quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O melhor travesseiro que eu conheço


Dizem que os melhores travesseiros são os que têm plumas de ganso ou tecnologia da NASA, etc. Para mim, o melhor travesseiro é a consciência tranquila, decorrente de uma mente firmada em Deus (Sl 4.8). Afinal, assim nos orientam as Escrituras neotestamentárias: "conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram naufrágio na fé" (1 Tm 1.19).


Em Isaías 26.3 está escrito: "Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti". Este é um versículo que me acompanha desde o início da minha caminhada cristã. E ele sempre passa do coração à mente quando preciso tomar difíceis decisões.

Quando valorizamos mais o nosso bem-estar do que os princípios e mandamentos da Palavra de Deus, nos tornamos, pouco a pouco, pessoas de consciência cauterizada. E levantamos da cama, todos os dias, dispostos a fazer qualquer coisa (qualquer coisa, mesmo, inclusive abrir mão da nossa integridade), a fim de garantir a manutenção da nossa condição socioeconômica. Mas as Escrituras nos ensinam a ter uma vida baseada no "ser", e não no "ter".

Desde que firmei a minha mente em Deus e tomei a decisão de priorizar o que sou diante dEle, em detrimento do que tenho nesta vida, passei a desagradar a muitos, a ser considerado "o radical" e a perder amigos (amigos?). Mas tenho certeza de que o Senhor Jesus, o Bondoso Amigo, tem se agradado de mim. E, por isso, minha consciência está tranquila.

E a sua mente, caro leitor, está firmada em Deus?

Ciro Sanches Zibordi

5 comentários:

Julia disse...

Pastor Ciro,
A paz do Senhor Jesus,
Moro em Minas Gerais,na região do Vale do Aço.Gostaria muito de saber se você tem algum compromisso aqui por perto para que eu possa participar.
Em tempo oportuno esta palavra,uma vez que estamos vivendo da valorização do ''ter'' em detrimento do ''ser'' ,até mesmo dentro das igrejas,tenho visto dois pesos e duas medidas sendo usada por líderes,beneficiando alguns em troca de favores ou até mesmo por afinidade e bajulação.Que Deus tenha misericórdia de nós(falo como corpo) para que entendamos quão efêmera é esta vida .Que Deus continue abençoando sua vida,tenho acompanhado todos os dias seu blog,lendo as mensagens ouvindo os estudos e sendo edificada.

Grupo Yafa disse...

Excelente, pastor Ciro! Sempre discutimos esse tema em nossas reuniões e estudos bíblicos. Obrigada por nos transmitir tão claramente a mensagem do Senhor.

Tamar disse...

Está difícil encontrar crentes com menos de 50 anos que sirvam como referencial para a gente. Sempre tenho orado por aqueles que tive a graça de conhecer e cujas vidas testemunham de que é bom servir ao Senhor.

Joseph Martinez disse...

Ola!
Eu pequei gravimente contra Deus, mas me arrependi e perdi perdao a Ele. Mas, muitas vezes eu fico com consciencia pesada do mesmo jeito e me sinto culpado, o que eu posso fazer?
Deus te abencoe!

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Ciro, graça e paz!
Não é porque somos imperfeitos, é que não devamos ser íntegro.
Essa preocupação, todavia, encontra-se em fase de extinção, tanto no mundo secular quanto no eclesiástico. Do púlpito para o banco e vice-verso.
Graças a Deus que nunca deixará de haver os remanescentes, para fazer a diferença em um mundo que vai de mal a pior.
Mesmo assim, por mais que tenhamos uma vida inatacável e discreta, não estamos livres de pessoas, que não desfrutam da nossa confiança, tanto na igreja quanto fora dela, serem usadas, de forma poderosa, pelo diabo, como intuíto de prejudicar a nossa imagem.
Assim dizemos, pois passamos por algumas situações.
Como éramos inocentes, o Altíssimo tomou providências, ora com o acusador, ou com um parente.
E o pior: naquilo em que foram acusados, não provaram o contrário.
Há, pela misericórdia do Grande Deus, uma passagem que esforçamos para segui-la: Mateus 7.12.
Em Cristo,
Tadeu de Araújo