sexta-feira, 16 de setembro de 2011

São tantas e tantas unções...


Tenho recebido muitas perguntas a respeito da unção e das novas unções. E resolvi escrever este artigo para responder a todas elas, de maneira sucinta e objetiva.

O que é a unção? Nos tempos da Antiga Aliança, reis, profetas, sacerdotes e coisas (colunas, objetos, etc.) eram ungidos (Gn 31.13; Êx 30.26-30; 40.15; 1 Sm 10.1; 1 Rs 19.16; Sl 133). A unção simbolizava consagração de pessoas ou coisas ao Senhor. Mas, no Novo Testamento, Jesus afirmou, após ter lido um trecho de Isaías (61.1-2), que a profecia quanto à unção do Espírito sobre a sua vida tinha se cumprido (Lc 4.18-21). Deus o ungira, no plano espiritual, e isso em si já era o bastante para o cumprimento de sua missão na Terra (At 10.38).

O derramamento de azeite representava, antigamente, unção divina propriamente dita sobre a vida de quem ascenderia a uma posição de destaque (Nm 3.3; 1 Sm 16.13). No entanto, hoje, não é mais necessário ungir pessoas com azeite para consagração ou confirmação de seus ministérios. Basta a unção do Espírito Santo (2 Co 1.21; 1 Jo 2.20,27).

Também não é preciso ungir objetos, a fim de consagrá-los a Deus, pois o Novo Testamento menciona a unção literal somente para os enfermos (Mc 6.13), a qual deve ser aplicada pelo presbitério (Tg 5.14). O azeite, além de símbolo do Espírito Santo (Zc 4.3-6), é o ponto de contato que pode estimular a fé do doente. Mas o recebimento da cura não está relacionado com a unção, e sim com a oração da fé, em nome do Senhor: “E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará” (Tg 5.15).

O que é a unção do Santo? Este termo é bíblico (1 Jo 2.20,27) e representa a única e definitiva unção que o crente deve possuir, a unção do Espírito Santo. O cristão verdadeiro possui essa unção, não precisando de novas unções ou unções novas.

O que é unção com óleo para os enfermos? 
O Senhor Jesus disse: “porão as mãos sobre os enfermos e os curarão” (Mc 16.18). E a imposição de mãos pode incluir a unção com óleo. Esta, no entanto, não é a condição primacial para a cura, que ocorre por meio da fé (Lc 8.48; 17.19). Os apóstolos não precisavam de azeite para levantar os enfermos.

Hoje, a unção para os doentes é apenas simbólica. Não deve ser aplicada ou esfregada no local da enfermidade, como fazem certos milagreiros, para depois pretensamente extrair objetos das pessoas, como pedaços de ossos, pedras, filetes com sangue ou algo parecido. Isso, na maioria dos casos, se trata de fraude; em outros, é ação do mal mesmo.
Nos tempos bíblicos, o azeite era empregado diretamente nas feridas, mas apenas como remédio (Is 1.6; Lc 10.34).


Existe unção da loucura de Deus? Essa falsa unção foi inventada com base em 1 Coríntios 1.25: “Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens”. Os espalhafatosos propagadores dessa nova unção vêem nessa passagem a justificativa para todas as aberrações que dizem e fazem. Alguns têm ministrado a “bênção do depósito celestial”. Prometem que as pessoas que tiverem fé encontrarão uma grande quantia em sua conta bancária. No entanto, como o suposto agraciado declarará isso no Imposto de Renda, haja vista não poder dizer simplesmente: “Foi Deus quem me deu”?

A expressão “loucura de Deus” foi empregada por Paulo apenas para enfatizar o quanto os seres humanos, por mais capazes que sejam, estão aquém do Todo-Poderoso. A despeito de ele ter mencionado a “fraqueza de Deus”, nenhum milagreiro inventou, ainda, a unção da fraqueza de Deus, com base no mesmo versículo.

O que é a unção do leão? Esta tornou-se muito conhecida depois que a vocalista de certo grupo engatinhou “profeticamente” em um palco, levando milhares de fãs ao delírio. A própria cantora admitiu que andou sob a unção do Leão da Tribo de Judá, mas depois se desculpou pelo ocorrido.

Reteté é o mesmo que unção? Uns dizem “reteté”, e outros, “repleplé”. Ninguém sabe ao certo o que significam essas expressões onomatopaicas — que devem ter se originado de uma brincadeira de péssimo gosto com as línguas estranhas —, usadas para identificar pretensos cultos pentecostais. O termo “reteté” não consta de dicionários oficiais. Mas há quem diga que teve origem no italiano; relacionado com a culinária, significaria: “mistura”, “movimento”, “reboliço”, “festa”, “aquilo que foge da normalidade”, etc. O certo é que essa expressão esdrúxula faz o maior sucesso no meio pseudopentecostal.

Nas reuniões em que ocorre a unção do reteté, os “hinos” são apresentados em ritmos como axé, com batuques que lembram reuniões de candomblé, e muito forró. Pessoas rodopiam, correm de um lado para o outro, caem, riem, berram, etc. Não se trata apenas de meninice. Em muitos casos, existe influência maligna (cf. 1 Tm 4.1), aceita e incentivada por obreiros neófitos que não estudam as Escrituras, deixando de observar o que está escrito em 1 Coríntios 14.

O que é a unção do riso? Falsa unção que ocorre quando um “ungido” olha para o povo e começa a dar gargalhadas, supostamente pelo poder de Deus. Pessoas uivam, como se fossem lobos. Outras caem e lançam-se umas sobre as outras, dando gargalhadas similares àquelas que só podem ser ouvidas em filmes de terror.

É bíblica a unção dos quatro seres? Não. Trata-se de uma falsa unção tem sido propagada por “adoradores” que, baseando-se em Apocalipse 4, se dizem impulsionados por essa nova unção para rugir como leões, baterem os braços como águias e imitarem bezerros, nos cultos. Os que são influenciados pelo ser que tem rosto “como de homem” limitam-se a gemer e a chorar.

Esse tipo de manifestação exótica e aberrante também está associada à chamada bênção de Toronto, que já influenciou crentes da América do Norte, da Europa e também do Brasil. Várias pessoas reuniam-se em um local próximo ao aeroporto de Toronto, no Canadá, e muitas delas latiam como cães e caíam supostamente pelo Espírito e eram tomadas por risos prolongados e incontroláveis. Algumas imitavam animais, como leão, cachorro e até lagartixa.

E a unção financeira tem o abono das Escrituras? Este termo é muito usado pelos propagadores da falaciosa teologia da prosperidade. No Brasil, essa falsa unção ganhou notoriedade depois que um telepregador estadunidense “profetizou”, em 2009, que Deus derramaria a tal unção sobre todos os que contribuíssem com R$ 900,00 para um programa de TV.

O que é unção nova ou nova unção? Ambos os termos se referem, genericamente, a todo e qualquer tipo de novidade apresentada como sendo decorrente de uma unção, como, por exemplo: unção apostólica, financeira, extravagante, de ousadia, de conquista, de multiplicação, do riso, etc.

O que é uma unção profética? Este tipo de unção é mística, pois transforma o óleo em um elemento “mágico” para obtenção de dádivas. Segundo a Bíblia, somente o ministério está autorizado a ungir os enfermos. Tiago, ao mencionar presbíteros, referiu-se aos ministros chamados por Deus, vedando essa prática a diáconos, cooperadores e membros (Tg 5.14; cf. Mc 6.13).

Certos “ungidos” têm usado o óleo para ungir “profeticamente” casas, carros, etc., para “abençoar” pessoas e ser “abençoados” por elas. Há algum tempo, seguidores de um grupo “evangélico” resolveram, numa “atitude profética”, escalar e ungir o pico Dedo de Deus, na região serrana do Rio de Janeiro. Outros enterram garrafas ou latas de azeite em montes, a fim de tornar o produto da oliveira “poderoso”. Depois, o empregam em suas campanhas para ungir casas, carros, carteiras de trabalho, etc.

Existe mesmo a transferência de unção? Na verdade, a transferência é um modismo pseudopentecostal, pelo qual certos “ungidos” pretensamente transmitem unção uns aos outros. Os “ungidos” se abraçam fortemente, podendo ficar grudados por um longo tempo. A transferência também ocorre quando os “ungidos” encostam as suas testas umas nas outras ou rolam pelo chão abraçados, movimentando-se violentamente.

Os defensores desse modismo afirmam, erroneamente, que Moisés transferiu a sua unção para setenta anciãos. O que aconteceu ali foi muito diferente. Deus usou o seu servo como um canal e deu o seu poder a setenta homens (Nm 11.16,17). Não houve transferência de uma pessoa para outra de maneira induzida, como ocorre hoje, pretensamente. Foi o Senhor quem, soberanamente, agiu naquela ocasião específica.

Ufa! Haja unção!

Ciro Sanches Zibordi

20 comentários:

MINISTÉRIO RELIGARE disse...

Muito esclarecedor pastor Ciro. Que Deus continue sendo propício ao seu conhecimento e sabedoria, que com certeza, têm nos abençoado muito.

Abraços em Cristo.
Pr.Paulo Cesar
Ministéiro Religare

Anônimo disse...

Pastor Ciro,em relação "UNÇÃO DO LEÃO" a protagonista; só para esclarecimento, e tirar minha duvida é aquela da lagoinha?

pr Jonatas de Oliveira disse...

Pr Ciro. Diante de tantas aberrações; diante da constatação de que a imagem Assembléia de Deus está sendo julgada por alguns como a igreja do reverendo que vende sementes a R$900,00; diante da clara tendencia de um domínio do neo-pentecostais no cenário evangélico com todas as suas manifestações sincréticas; diante de tantas outras coisas reprováveis que temos visto em quase todas as denominações ou em suas políticas administrativas, nós que ainda somos jovens obreiros somos tomados de três sentimentos ao menos: desilusão por ver as bases teológicas que estudamos serem ridicularizadas; incerteza de uma possível mudança; medo do que o futuro nos reserva. Tenho muitos amigos que como eu, estão iniciando sua vida ministerial, com a média de 8 anos de pastorado; e ao conversar com alguns deles, vejo que esta minha preocupação não e exclusiva minha, mas de quase todos. Ajude-nos com um artigo que fale sobre as possibilidades futuras.
Uma certa vez, conversando com um pastor já idoso, de uma igreja histórica(tradicional, com todo respeito), ele me disse as seguintes palavras: Um dia, a Assembleia de Deus será tratada por fanáticos como uma igreja tradicional. Seria isso possível? Estaria este ministro que me disse tais palavras "profetizando"? Sei que o sr. deve receber inúmeras sugestões de artigos. Ficarei muito honrado e edificado com sua resposta. Paz.

Fábio Santos disse...

Parabéns pelo artigo.
Deus lhe abençoe.

Reflexões Bíblicas - Duarte Rego disse...

Com tanta unção este artigo não poderia ser outra coisa do que ungido. (rsrs)

Muito esclarecedor. Deus abençoe.

Anônimo disse...

Pr. Ciro concordo com o sr e fico triste por ver o rumo que muitas igrejas estão tomando com tantas invensões, penso q só tá faltando eles venderem lugar no céu...

Georges disse...

No Antigo Testamento tudo o que envolvia o culto era simbólico e provisório. A caminhada pelo deserto, o tabernáculo, o altar, o animal sacrificado, os sacerdotes. Tudo figurava as realidades definitivas que seriam estabelecidas por Jesus no Novo Testamento, quando, então, o Antigo Testamento seria superado.
A unção com óleo também era simbólica e provisória. O tabernáculo e a arca significavam a presença de Deus e o sacerdote era o mediador, santificado para isso. Os textos sobre a preparação e uso do óleo são muito claros. Em Êxodo 30:22-33 lemos sobre o “óleo sagrado da unção”, um preparado que não era somente o azeite da oliveira. No hebraico as palavras shemen (óleo), qodesh (separado para Deus, sagrado), e mishchah (consagração, unção para consagrar) mostram claramente que na unção com óleo objetos, lugares e pessoas eram especialmente consagrados, separados em santificação. Por isso, após a preparação, o óleo era aspergido sobre o tabernáculo, os móveis, o altar e os sacerdotes. Mas não podia, de maneira nenhuma, ser aplicado sobre o corpo de alguém; somente os sacerdotes podiam ser ungidos. Quem usasse do óleo de maneira diferente era banido do povo de Deus! Leia Êxodo 30:31-38.
As “novas unções” são totalmente impertinentes: tem unção da unidade, unção da coragem, da prosperidade, da criatividade, da conquista, da vitória, do riso, da alegria (referências ao Salmo 45:7 e Isaías 61:3, que só podem e devem ser entendidas em sentido figurado)... complicado, isso. O conceito “não toqueis no ungido do Senhor”, da forma que é usado em alguns círculos evangélicos, não passa de uma falácia, para proteger “líderes” questionáveis de confrontos que eles não desejam, para não verem expostos seus erros. Infelizmente, a maioria descerebrada morre de medo de perder “a cobertura” e não ousa abrir a Bíblia como os de Beréia, “para ver se as coisas eram de fato assim” (Atos 16:10, 11).
Abs...
Georges

Diego Mercuri disse...

Pastor Ciro como vc ousa falar de kenneth Hagin?
Vc conhece a palavra de Hagin?
Vc já viu o que o ministerio de Hagin fez pelo mundo? Ele foi muito maior até do que o ministério do apostolo Paulo. Veja quantas pessoas Hagin ganhou pra Jesus e veja quantas Paulo ganhou..
Se vc sabe hoje algo sobre cura e fé você deve isso a Hagin, pois os livros deles são os unicos bons que falam desse assunto.
Vc já viu as experiencias que Hagin teve com Jesus, coisa que nenhum pastor no mundo até hoje teve.
Quanto a essa unção do riso Jesus foi ungido com óleo de alegria, pois alegria do senhor é a nossa força. Essa alegria, vc vive por fé, pois nossa carne e nossa alma não querem se alegrar, mas todo filho de Deus tem o fruto da alegria dentro do seu espirito.Isso aconteceu em atos dos apóstolos no dia de pentecoste, por isso os homens disseram que todos estavam embbriagados, justamente por que a embriagues faz pessoas ficarem no chão muitas vezes sorrindo.
Se matricule numa escola Rhema urgente e leia os livros de Hagin. Mas leia com a Biblia aberta e fique em oração. Tenho certeza que se vc tem o Esp Santo, e certamente ele vai te abrir o discernimento e a palavra rhema cairá em teu coração.

T+++

Marcello Comuna disse...

Esclarecedor e pratico. Parabéns.

Landa disse...

Paz do Senhor, Pastor Ciro!
Através da rádio que ouço, tomei conhecimento de outros tipos de unção, como a unção do emagrecimento, e a novidade agora é "Unção do ACHAR" (os fiéis vão receber a água do Mar da Galiléia, no qual os discípulos ACHARAM o que estavam procurando)....
Na mesma rádio é anunciado o "Milagre de Manassés" onde Deus apaga da memória o sofrimento da pessoa - a "Ovelha" vai à igreja e pede oração, dizendo que é viciado em cigarro, por exemplo. Aí o Pr. ora e pede a Deus que apague da memória da pessoa aquele vício. Ao término da oração, acontece um diálogo mais ou menos assim:
PASTOR: Você tem algum vício?
OVELHA: Não!
PR: Já fumou alguma vez?
OV: Nunca!
PR: Mas você me disse aqui que fuma 2 maços por dia!
OV: Nãããoo... eu não falei isso nããão!
PR: Falou sim... Então o quê que você está fazendo aqui?
OV: Não sei...
E por aí vai...
Daqui a pouco vão ter que voltar lá pra pedir oração pra serem curados da perda de memória...
Creio que Deus pode fazer milagres de todas as formas, mas essas novidades que surgem o tempo todo me deixam triste e preocupada, pois a Verdade que Liberta está sendo deixada de lado!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Diego Mercuri,

Como ousa me mandar tantas perguntas sem ter lido meu artigo com atenção? Aliás, tenho dúvida se você o leu, pois eu não citei nome de Hagin em momento algum. O que há uma foto de um aberrante vídeo publicado no YouTube, em que esse senhor, falecido em 2003, mostra a língua como se fosse um lagarto, enquanto pessoas caem umas sobre as outras, dão gargalhadas... Uma verdadeira aberração que nada tem a ver com culto a Deus.

Você conhece a Palavra de Deus? Você conhece o ministério do Senhor Jesus? Ele é maior do que qualquer ministério. Veja quantas pessoas o Senhor Jesus já salvou.

Agora, você demonstra sintomas de idolatria ao dizer que o ministério de Hagin foi superior ao do apóstolo Paulo. Superior em quê? Só se for em heresia! Paulo, aliás, jamais disse que o Diabo invadiu o corpo de Jesus na cruz, como fez Hagin em "O Nome de Jesus" (Graça Editorial, pp. 20-30).

Se você sabe hoje algo sobre cura e fé você deve isso a Hagin? Meu Deus! Isso é haginolatria! Tudo o que precisamos saber sobre fé e cura está no Novo Testamento.

Acorde! Ainda há tempo. Defenda o Evangelho de Cristo com a mesma avidez com que defende o falacioso evangelho de Hagin.

CSZ

disse...

Muito bom o artigo Ciro. Paz!

André Gonçalves disse...

Graça e paz!

Olá Pr. Ciro! Belo artigo!

Pr. sabe o que mais me impressiona? É que o número de seguidores destas "unções" não para de crescer. O povo gosta de novidade, e quanto mais extravagante melhor (para os incautos).

Quando se rejeita a essência da Palavra, o risco é ir pelo caminho das heresias, que é o que temos visto.

Certa vez vi um "profeta" pegar a bíblia e a jogar com força em cima da tribuna e gritar para o povo: "os crentes já estão cheio de bíblia, o que queremos é podeeeeerrrrrrrrr". Bom, o resultado não precisa nem eu dizer.

Deus lhe abençõe atalaia!!

Em Cristo,
André Gonçalves.

JOSÉ ROBERTO MORAES disse...

BOA PASTOR,ESCLARECEDOR,QUE DEUS TENHA MISERICÓRDIA...
Galatas 01:08,Mas ainda que nós mesmos ou um Anjo do céu vos anuncie
outro evangelho além do que já vos tenho anunciado,seja anátema (Maldição).
Quantas Almas se enganando e sendo enganadas por lobos "falsos profetas"

Por que será que não querem a Sã doutrina hein...???

Paz e graça a todos...

Daniel Gomes da Silva disse...

A paz do Senhor, Pr. Ciro.

Muito bom esse seu artigo! Estamos cansados de tantos modismos e a falta do verdadeiro Evangelho. Infelizmente essas práticas e ensinos têm invadido também a Assembleia de Deus.

Gostaria de aproveitar e pedir que escreva um artigo sobre o "sentir a presença de Deus". É algo imensamente falado em nossas congregações, mas que eu jamais encontrei base bíblica. Entendo que não devemos viver de sentimento, mas de fé. O que acha?

Deus lhe abençoe!

Ciência e religião ao alcance de todos disse...

Pastor Ciro, gostaria apenas de fazer uma observação: realmente nunca tinha parado pra pensar que no novo Testamento é recomendada a unção com óleo para os enfermos. è digno de nota que o óleo na Antiguidade era utilizado com propósitos medicinais e cosméticos. Assim, não estariam eles sancionando de alguma forma a administração de "remédios", tanto como a oração pelos enfermos? Isso vai contra alguns grupos cristãos extremistas que são contra o uso de remédios e intervenções médicas.

Abraços, Paz de Cristo.

jorge melo disse...

Muito bem explicado este seu post, Pr. Ciro.
Infelizmente nota-se que existem milhares e milhões de crentes que por não terem bases biblicas, já que os mesmos não tem como hábito diário examinar as Escrituras Sagradas e meditar nela de dia e de noite, como nos ensina o salmo 1,se tornam assim, de dar crédito as estas baboseiras de enganos que aí estamos vendo todos os dias através da mídia.
Que desperte os que estão dormindo, e os levante dentre os mortos, efés.5.14

Em CRISTO

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Ciro, graça e paz!
Como modestíssimo autodidata de teologia,meses atrás, pois estamos engatinhando em computador, tivemos a felicidade de descobrir o seu blog e,sem exagero, foi importantíssimo para nós,tendo em vista a maneira segura, mas também educada como o distinto se reporta,
tanto respondendo perguntas consultadas, bem como as postagens
a seu critério.
Em verdade, nosso conhecimento melhorou ainda mais pois gostamos de pesquisas.
Que continue sendo sua bandeira (2Coríntios 13.8).
Em Cristo,
Tadeu de Araújo



.

winter disse...

ótima explicação pastor ciro.é lamentável como muitos cristãos,muitos mesmo,gostam de cada unção que aparece no meio cristão. tá faltando muita base bíblica para o povo que abraça esses modismos que sempre tem conseguido espaço em muitas denominações. se cada pessoa fosse mais á escola dominical com ardente desejo de conhecer mais á Deus,creio que não estariam se deixando levar por tantas heresias.sou grato ao Senhor Jesus por sua vida,conhecimento e humildade em nos fornecer um artigo tão esclarecedor e com tanta base de refutação. a paz do Senhor.

Anônimo disse...

A paz do senhor Jesus Cristo muito bom o seu artigo.