quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O que a Bíblia diz a respeito do culto pentecostal? (4)


Se, por um lado, há heresias e modismos pseudopentecostais na igreja brasileira, observo que, por outro, existe o antipentecostalismo, cujos proponentes verberaram impiedosamente contra os cristãos pentecostais, a ponto de os tacharem — com “ch” mesmo! — de ignorantes, analfabetos e hereges.

Todos sabem que sou pentecostal. Pertenço à Assembleia de Deus desde os meus 15 anos. Creio na atualidade da manifestação multiforme do Espírito Santo, conforme 1 Coríntios 12.4-6, passagem que menciona a diversidade de dons, ministérios e operações do Consolador. E, por isso, neste quarto artigo, quero mostrar o outro lado da moeda: o antipentecostalismo.

Nos artigos anteriores, mostrei que o pseudopentecostalismo é uma aberração. Mas abraçar o antipentecostalismo é outro grande erro. Respeito os irmãos cessacionistas. Tenho amigos que pertencem a igrejas que não aceitam o culto pentecostal, convivemos pacificamente e até participamos de eventos evangelísticos, literários, etc. O que é inaceitável é ver uma parte dos cessacionistas — pequena, na verdade — verberarem contra a centenária Assembleia de Deus e outras igrejas pentecostais, associando-as ao pseudocristianismo.

Os antipentecostais, sem fazer nenhuma distinção, dizem que os pentecostais não obedecem às Escrituras. Asseveram que a promessa do revestimento de poder do Espírito foi apenas para os dias dos apóstolos. Mas, não estão eles ignorando passagens claras da Palavra de Deus, como Joel 2.28,29, Lucas 24.49, Atos 2.39, 1 Coríntios 12-14, 1 Tessalonicenses 5, etc.?


Não devemos abrir mão da sobrenaturalidade do verdadeiro Evangelho, expressa mediante dons, ministérios e operações que se manifestam na Igreja (e não apenas no culto), os quais são descritos com muita clareza no Novo Testamento. Por que os antipentecostais insistem em afirmar que as línguas e a profecia cessaram? É pecado falar em línguas? Pecado é zombar, escarnecer do que a Palavra do Senhor apresenta como manifestação proveniente do Espírito, desprezá-la ou fazer mau uso dela (1 Co 14; 1 Ts 5.19-21).


Citando Paulo, os antipentecostais asseveram que “havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas cessarão” (1 Co 13.8). Ora, esse apóstolo disse isso depois de enfatizar que nada teria valor sem o amor de Deus, derramado em nossos corações pelo Espírito Santo (Rm 5.5). Línguas, profecias, ciência e fé perdem o sentido sem o amor (vv.1,2). Se não tivermos o amor de Deus, “havendo ciência, desaparecerá” (v.8), isto é, ela não terá valor algum. Mas nenhum dos opositores do Movimento Pentecostal afirma que a ciência desapareceu...


E, quanto à fé? Caso não haja o amor, com certeza ela “desaparecerá”, posto que o fruto do Espírito gerado em nós molda o nosso caráter, fazendo com que virtudes eficazes se manifestem com o amor, primeiro elemento desse fruto (Gl 5.22; 1 Co 12.31; 13.1). Todos os outros “gomos” são diferentes expressões dessa preciosa virtude: gozo é o amor regozijando-se; bondade, o amor em ação; fé, o amor crendo; e assim por diante (Ef 5.9; 2 Pe 1.5-9; Cl 3.12-16).


Quanto ao batismo com o Espírito — que é diferente de ser batizado no Corpo de Cristo pelo Espírito (cf. 1 Co 12.13) —, trata-se de um revestimento de poder para o cristão (Lc 24.49; At 1.8). E a promessa desse poder diz respeito “a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar” (At 2.39). Um revestimento se aplica a quem já está vestido, não é mesmo?

Eu sei que, para os antipentecostais, é difícil abrir mão da interpretação — equivocada — de que as línguas mencionadas em 1 Coríntios 14.18 eram idiomas aprendidos neste mundo, como hebraico ou grego. Mas, em 1 Coríntios 14.2, está escrito: “Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios”. Se as línguas estranhas são idiomas aprendidos, por que ninguém as entende? 


Se as línguas mencionadas por Paulo são deste mundo, por que ele disse que é preciso orar para interpretá-las? Observe: “ore para que a possa interpretar” (1 Co 14.13). Além disso, o termo “mais” (gr. mallon) indica que Paulo falava em línguas mais frequentemente (e não em mais idiomas) que os crentes de Corinto.


Sabemos que há falsificadores da Palavra (2 Co 2.17), mas abrir mão do poder do alto por causa dos falsos profetas é privar-se das armas da nossa milícia, que não são deste mundo (Lc 10.19; 2 Co 10.4). Lembremo-nos de que, no Novo Testamento, há três nãos que não podemos ignorar: “não proibais falar línguas” (1 Co 14.39); “Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias” (1 Ts 5.19,20).

Definitivamente, não é um bom caminho fazer pouco caso dos sinais, prodígios e maravilhas que o próprio Senhor Jesus apresentou como o efeito da pregação do Evangelho (Mc 16.15-20; At 4.30,31; 8.13).


Ciro Sanches Zibordi

14 comentários:

Presb. Laélson disse...

Pastor Ciro, o Senhor está sendo uma bênção em minha vida e está confirmando tudo aquilo que eu vejo no meio cristão com o que realmente é bíblico, não sou teólogo mas gosto de estudar a bíblia de forma clara, sem interpretar pelo meu entendimento humano mas sim pela graça de Deus. Tomei a liberdade de publicar seu post em nosso blog e coloquei os créditos no final. Sou presbítero da igreja evangélica pentecostal IDE em Mongaguá no litoral sul de São Paulo, e visito com regularidade seu blog e como os Bereanos confiro tudo na palavra, continue assim, fazendo a obra de Deus corretamente. Aproveito para lhe deixar um convite para visitar nosso Blog www.igrejaidemongagua.blogspot.com
E quando possível, se Deus assim quiser visite nossa igreja no litoral, agradecemos toda a cooperação para a edificação do reino de DEUS.
Que a Graça do Senhor Jesus, o Amor de Deus e as Consolações do Espírito Santo estejam contigo.

ALEX disse...

Paz do Senhor.

Pr ciro, é correto nas igrejas existirem diaconisas? febe era diaconisa ( Rm 16:1-2).

um abraço de um jovem aprendiz, que luta pelo evangelho.

Cleison Brugger disse...

Excelente artigo, pastor Ciro. Bênção para os pentecostais e alerta para os anti-pentecostais.

Tiago Rosas disse...

Ilustre Pr. Ciro,

É assim que eu creio!

A despeito da meninice dos pseudopentecostais, da ignorância no uso dos dons, é notória a perenidade dos dons espirituais como elementos do culto e da vida cristã em todo Novo Testamento.

O centenário slogan da Assembleia de Deus está respaldado nas páginas sagradas do "livro da capa preta": Jesus Cristo salva, cura, batiza no Espírito Santo e em breve voltará!

Deus nos ajude.

Julio Cesar Schvambach disse...

Amém pastor Ciro! Não é porque vemos meninice no nosso meio que vamos abrir mão das armas que Deus nos deu para pregar o Seu Reino aos povos.

Ademais, creio num revestimento e avivamento sim, mas que traga arrependimento, ousadia para pregar as boas novas e santificação. Não podemos deixar o espírito se extinguir nas nossas vidas.

Deus o abençoe grandemente

Diego Damasceno disse...

Graças a Deus não pertenço a esse circo que é o protestantismo, onde tem uma igreja pra cada gosto do freguês, e vários desiqulibrados berrando, latindo, girando, caindo... Isso é uma vergonha.
Graças a Deus na nossa santa igreja catolica não tem nada disso. O evangelicos de hoje parecem macacos que ficam pulando de igreja em igreja pois é dificil escolher uma menos errada. E a tendencia disso é piorar, pois a igreja da bispa Sonia já está fechando....e assim vai...se bem que pra abrir igreja é facil basta alugar um barracão e pronto e deturpar a Biblia.
Veja só os evangelicos que tem uma unica biblia e nenhum entra de acordo com o outro. Estão todos divididos ensinando cada um uma doutrina diferente...Pode o Esp santo se contradizer?
Realmente o que Lutero fez foi algo demoniaco... e a tendencia dessas seitas é piorar mais aida a situação.
Acordem povo !!! Voltem pra igreja mãe da qual vcs filhos rebeldes de Lutero nunca deveriam ter saido.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro "irmão" Diego Damasceno,

Pelo seu comentário, o cristianismo que você abraçou não tem contribuído para a mudança do seu caráter. Afinal, se você vivesse o Evangelho autêntico, jamais empregaria impropérios ao expressar seu pensamento. Amadureça. Ou melhor, você precisa mesmo é ter um verdadeiro encontro com o Senhor Jesus e ser salvo.

Você disse: "Graças a Deus não pertenço a esse circo que é o protestantismo". Esqueceu-se de mencionar um agradecimento a Maria? Isso é um grande erro para um adepto do romanismo, que é uma religião mariólatra, não é mesmo?

Os que sobem escadas de joelho e veneram imagens de escultura não são desequilibrados, caro "irmão" católico? Aliás, você se esqueceu de que, nos últimos anos, o romanismo vem imitando o neopentecostalismo, a ponto de cantar canções cedidas (e outras usurpadas) de astros da música gospel?

Se você atentasse para o Evangelho, saberia que o que Senhor Jesus falou em Mateus 7, não é mesmo? Como acusar os pastores, ainda que muitos deles estejam errando, se há muitos padres que abusam de crianças e adolescentes? Que tipo de cristianismo é esse? Que santa igreja é essa?

Lutero cometeu muitos erros. Mas cometeu um grande acerto ao enfrentar o ameaçador e cruel papismo, o qual calava os "hereges" matando-os. Que santa igreja é essa? Lembra-se da Santa Inquisição?

Acorde! Ainda há tempo.

CSZ

Janise, Com ou Sem Crise disse...

O que eu pude observar e é o que considero o básico: Ler, estudar e viver a Palavra.
Engolir tudo que é apresentado sem questionar, não é uma boa opção.

Que Deus continue a abençoá-lo!

Diácono Valtair disse...

A paz do Senhor Jesus!
Tenho um amigo , irmão em Cristo que era da A.D ele cria nos dons , na profecia , falar em línguas , porém ele saiu da A.D e hoje está na igreja Presbiteriana do Brasil , agora ele diz que tudo que ele fazia (crer nos dons espírituais de uma forma geral) é errado , falar em línguas é errado, crer nas profecias bíblicas é errado , pr. ciro para ele nós os pentecostais está tudo errado .
Pr.Ciro sou da A.D , mas confesso gosto de ouvir mensagens pregada por pastores reformados como :Hernandes dias lopes , Algustus nicodemus, Jeremias pereira e outros mais , mas nunca vou abrir mão das verdadeiras doutrina bíblica.
Abraço pr.Ciro até a próxima!

Fábio Santos disse...

Pastor, mas a palavra "estranha" não é um acréscimo por parte dos tradutores, visto que esta palavra não consta no texto original bíblico?um acréscimo por parte dos tradutores, visto que esta palavra não consta no texto original bíblico?

Fábio Santos disse...

Caro Diego Damasceno, esqueceu que na sua igreja há também "vários desiquilibrados berrando, latindo [ainda não, eu acho], girando, caindo", através das reuniões carismáticas? E isto tem causado divisão na sua "santa" e amada igreja?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Fabio Santos,

Bom dia, na paz do Senhor!

Experimente ignorar todas as palavras em itálico na versão ARC para ver se as frases terão sentido...

Os tradutores só incluíram palavras em itálico para dar sentido ao texto original. Caso contrário, seria impossível entender o sentido da construção frasal hebraica.

Segue-se que o termo "estranha" não é inapropriado. Ele apenas evidencia que as línguas como manifestação do Espírito são estranhas a quem as pronuncia.

Um abraço.

CSZ

Ciência e religião ao alcance de todos disse...

Pastor Ciro,
esta série de artigos realmente foi muito boa. Hoje em dia, apesar de ter nascido e crescido num lar pentecostal, frequento uma comunidade batista tradicional, mas lá não deixa de haver a ação do Espírito Santo e o respeito aos demais irmãos. Só tenho uma coisa a acrescentar:

A maior controvérsia entre o pentecostalismo e o cristianismo reformado tradicional é sobre o Batismo no Espírito Santo. Existe realmente um segundo "batismo", no sentido real da palavra? Enfim, na minha opinião, isso não passa de uma confusão de nomeclatura.

Eu li uma vez no "Esboço de Teologia Sistemática" do A. B. Langston, teólogo batista notadamente tradicional, havia uma seção sobre algo que ele chamou de "estar cheio do Espírito Santo", e era algo que equivalia praticamente ao "Batismo com o Espírito Santo" pentecostal. O fato de usar a palavra "batismo" causa uma certa aversão dos ortodoxos. É fato que existe uma segunda experiência, um revestimento de poder que não é dado a todos os crentes, mas que deve ser buscado. Mas isso não quer dizer que as pessoas que não o possuem não têm o Espírito Santo. Talvez realmente apenas não estejam "cheias" dEle.

O Rev. Marcelo Lemos, do blo Olhar Reformado, escreveu tempos atrás um artigo muito bom sobre o assunto. Se puder, dê uma lida:

http://www.olharreformado.com/2011/04/o-batismo-com-o-espirito-santo-uma.html

Abraços, Paz de Cristo.

Tia Luana disse...

Pr. Ciro, om toda certeza, a má interpretação das Escrituras gera situações difíceis para o povo de Deus. Mas o que mais me preocupa é a intolerância e a prontidão com que estão defendo cada um sua "interpretação"( não o senhor!, mas "alguns").AS pessoas estão cada vez mais com menos ( sabedoria, entendimento , conhecimento Bíblico e idiomático) ! Que o Eternos nos Guarde !
Obrigada Pela sua sempre disposiçãoe em nos esclarecer ! PAZ Do SENHOR!