quarta-feira, 7 de setembro de 2011

A Estrela de Davi é um símbolo maçônico ou satânico?


Escritores, articulistas e pregadores do nosso tempo têm verberado contra Israel, acusando-o de oprimir os pobres palestinos e estar por trás das sociedades secretas. Alguns chegam a dizer que Salomão era satanista, e seus livros — constantes do cânon veterotestamentário —, satânicos! Tal conduta é influenciada pelos partidários da escatologia aterrorizante, que se opõem ferrenhamente a Israel e aos seus aliados (principalmente, os Estados Unidos).

Para quem observa a Palavra de Deus não há nenhuma novidade no fato de Israel ser odiado pelo mundo sem Deus. O que impressiona é ver cristãos (cristãos?) indignados contra Israel e aplaudindo o crescimento do terrorismo financiado pelo extremismo islâmico.


Os pregadores do terror não conhecem a história do povo de Israel. E demonstram desconhecer a verdadeira causa dos conflitos árabe-israelense e israelo-palestino
? Se conhecessem a importância do povo israelita e de seu futuro glorioso (Rm 11), não alegariam que o governo norte-americano e a ONU protegem os judeus e prejudicam os seus inimigos, a mando dos bilderbergs.

Não existe um país que tenha sofrido mais sanções e advertências das Nações Unidas que Israel. Se os judeus são os protegidos dos bilderbergs — que, segundo os conspiracionistas, estão no controle de todas as coisas, inclusive da mídia —, por que documentários, reportagens, filmes e novelas apresentam Israel como o vilão dos conflitos árabe-israelense e israelo-palestino?


Pastores que costumam expor bandeiras de vários países em seus denominados cultos de missões, depois de assistirem a DVDs ou vídeos contendo teorias da conspiração, resolveram banir todo e qualquer símbolo de Israel de dentro dos templos, sobretudo a bandeira. É evidente que os cultos evangélicos não devem se tornar judaizantes, pois o cristianismo não é o mesmo que o judaísmo (Gl 1-4). Entretanto, devem os cristãos odiar o povo escolhido por Deus?


Quando Jerusalém foi destruída pelos romanos, no ano 70 d.C., muitos pensaram que os israelitas desapareceriam da terra, assim como outros povos. Contudo, mesmo sem território próprio e sofrendo terríveis perseguições, chegaram ao terceiro milênio como o centro das atenções. Depois de eles terem sido espalhados entre as nações, por desobediência a Deus (Dt 4.23-28,63,64; Lc 21.24), começaram a voltar à Palestina, e o Estado de Israel foi estabelecido, em 14 de maio de 1948. Tudo isso estava previsto nas Escrituras. O mesmo Deus que espalhou os judeus havia feito uma promessa de reuni-los em sua terra (Dt 4.30; 30.1-6).


Os palestinos são povos árabes que formavam a população nativa da Palestina antes de 1948 — não confunda com os filisteus, que habitaram essa região nos primórdios. Depois de expulsos da Jordânia, em 1970, os palestinos perpetraram repetidas ações terroristas contra as cidades e colônias agrícolas israelenses, causando danos físicos e materiais. E, a despeito de Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP) estarem constantemente buscando a paz, ela nunca se estabeleceu.


Em 1987, jovens palestinos, cansados da ocupação israelense e da apatia da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), liderada por Yasser Arafat, resolveram atacar com pedras os soldados de Israel nos territórios ocupados de Gaza e Cisjordânia. Essa foi a primeira iniciativa para a criação da organização terrorista Hamas (acrônimo de Harakat Al-Muqawama al-Islamia), um movimento de resistência islâmica sustentado por extremistas muçulmanos milionários.


O Hamas não é apenas um grupo terrorista isolado. Ele representa todo o mundo muçulmano, especialmente os aiatolás de Teerã. E o Irã tem atacado Israel de modo indireto para adiar o anunciado ataque preventivo dos israelenses às instalações nucleares iranianas. Teerã não reconhece o Estado de Israel, mas sabe que a sua tecnologia bélica é de ponta e que as suas forças militares estão entre as mais bem equipadas e treinadas do mundo.


Na Palestina há judeus, cristãos, árabes, drusos, etc. Mas os fundamentalistas islâmicos, ignorando essa diversidade, pregam o fim do Estado de Israel e sua substituição imediata pelo Estado palestino. Os líderes do Hamas são jihadistas e estão dispostos a morrer pela causa que defendem, desde que matem muitos israelenses ou seus aliados. Entre 2000 e 2004, essa organização terrorista vitimou quase quatrocentos civis na Palestina.


Diante do exposto, é estranho ver expoentes cristãos (cristãos?) defendendo a causa dos palestinos e satanizando Israel. Aliás, esses pregadores de teorias da conspiração afirmam que os israelenses, com a intenção de dominar o mundo, criaram a maçonaria e a illuminati. E chamam de demoníaco o Escudo de Davi (hb. Magen David), mais conhecido como Estrela de Davi (hb. Kochav David), um dos símbolos mais respeitados pelo Estado de Israel.


O Escudo — ou Estrela — de Davi constante da bandeira de Israel tem origem no Antigo Testamento (Gn 15.1. Sl 18.2, etc.). Ele se assemelha a uma estrela de seis pontas porque foi criado a partir da letra hebraica dalet, a qual possui formato de triângulo e aparece duas vezes no nome do rei Davi (hb. David). O símbolo israelense nada tem a ver com pirâmides maçônicas ou com a imagem de um ser demoníaco da Idade Média parecido com um bode, em cuja cabeça há uma estrela de cinco pontas, e não seis.


São muitas as contradições dos pregadores do terror. Eles se opõem ao povo escolhido de Deus — Israel (Êx 19.5,6) — e demonizam os Estados Unidos, uma nação democrática e originalmente cristã. Ao mesmo tempo, nada dizem a respeito das más ações de políticos ligados a países com regimes ditatoriais, antidemocráticos e perseguidores dos cristãos (Cuba, Venezuela, China, Irã, Síria, etc.), além de não se oporem a movimentos terroristas, como Hezbollah, Hamas, Al Qaeda, Taliban, etc.


No afã de convencerem a todos de que as suas teses infundadas são verdadeiras, os adeptos da escatologia aterrorizante se baseiam em teorias da conspiração e em obras fraudulentas, como Os Protocolos dos Sábios de Sião, um livro escrito na Rússia, no auge do comunismo. Antissionistas e, sobretudo, antissemitas, os “terrólogos” arvoram-se contra a nação com a qual Deus firmou um pacto. E fazem inúmeros julgamentos caluniosos, não observando o que o Senhor Jesus ensinou (Jo 7.24; Mt 7.1,2). Ignoram eles que a base do julgamento das nações será o tratamento dispensado a Israel (Mt 25.31-46)?


Ciro Sanches Zibordi

21 comentários:

Auli Júnior disse...

Pr.Ciro,
aqui discordamos em parte.
A Bíblia afirma que este mundo jaz no malígno e isso é realidade. Já nos
primórdios conforme podemos ler em Ezequiel capítulo 8.
Também foi a liderança religiosa da
época que levou Cristo à morte.
Hoje governos e líderes governam para si mesmos, contra o povo e se distanciam cada vez mais de DEUS, notadamente nos EUA e Europa que abandonaram o cristianismo.
Amo o povo de Israel e creio que estão ainda nos planos do Senhor para os últimos dias, mas o governo atual não é Teocrático, pelo contrário, levará Israel a fazer um pacto com o governante mundial nos últimos dias.
Nesse contexto, creio que a bandeira de Israel e quase todas as bandeiras das nações tem forte influência de organizações como a maçonaria.
A história já provou o envolvimento dos maçons em quase todos os movimentos sociais dos últimos séculos.
Um abraço,
Auli Júnior

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Auli Júnior,

Concordo que o mundo jaz no Maligno, pois isso é bíblico. Mas Cristo morreu, sobretudo, porque Ele veio para morrer. Ele não foi um mártir; antes, deu a sua vida voluntariamente (Jo 10.18; Fp 2.5-11). Os judeus e os romanos, em certo sentido, "o mataram". Mas Cristo morreu, sobretudo, porque veio para morrer (Jo 1.29; Is 53).

Também concordo que os governos e líderes, em sua maioria, governam para si mesmos, contra o povo e se distanciam cada vez mais de Deus. Mas isso não nos autoriza a generalizar e considerar Israel um povo ligado à maçonaria ou sociedades secretas. Isso é calunioso, pois não há nenhuma prova disso, a não ser a simbologia "forçada", que não respeita aos critérios da semiótica.

É totalmente errônea a ideia de que a bandeira de Israel "tem forte influência de organizações como a maçonaria". Como escrevi, ela tem origem no Antigo Testamento. Alude a Deus como escudo (Gn 15.1) e foi formada a partir de letra hebraica "dalet". Israel não tem nada a ver com maçonaria. Isso é história de conspiracionistas.

Em Cristo,

CSZ

AD - Madureira - Passos / MG. disse...

Amado pastor! Sou admirador de sua luta no afã de trazer luz a muitos, que mal alimentados teologicamente, expõem frágil argumentação. Infelizmente! A babilônia mística tem movido seus tentáculos em direção de um cristianismo fragilizado, sustentado não pelo Verbo, mas por apelações materialistas de enriquecimento fácil. Que Deus o guie sempre.

Avraham Pearlman disse...

Salomão era Satanista?

“Porque sucedeu que, no tempo da velhice de Salomão, suas mulheres lhe perverteram o coração para seguir outros deuses; e o seu coração não era perfeito para com o SENHOR seu Deus, como o coração de Davi, seu pai,Porque Salomão seguiu a Astarote, deusa dos sidônios, e Milcom, a abominação dos amonitas.
Assim fez Salomão o que parecia mal aos olhos do SENHOR; e não perseverou em seguir ao SENHOR, como Davi, seu pai.
Então edificou Salomão um alto a Quemós, a abominação dos moabitas, sobre o monte que está diante de Jerusalém, e a Moloque, a abominação dos filhos de Amom.
E assim fez para com todas as suas mulheres estrangeiras; as quais queimavam incenso e sacrificavam a seus deuses.”

“O rei profanou também os altos que estavam defronte de Jerusalém, à mão direita do monte de Masite, os quais edificara Salomão, rei de Israel, a Astarote, a abominação dos sidônios, e a Quemós, a abominação dos moabitas, e a Milcom, a abominação dos filhos de Amom.”

“Porventura não pecou nisto Salomão, rei de Israel, não havendo entre muitas nações rei semelhante a ele, e sendo ele amado de seu Deus, e pondo-o Deus rei sobre todo o Israel? E contudo as mulheres estrangeiras o fizeram pecar.”

*- I Rs 11:4-8; II Rs 23;13; Ne 13:26

A Cabala Judaica surgiu neste período sombrio, lamentável e inegável da vida de Salomão. Daí o porquê os próprios Maçons o reconhecem como originador do movimento da Magia que por sua sabedoria foi ampliado e Hiram Habif seu engenheiro do templo. Naquela época não se fazia menção do nome Satanista como hoje, contudo entender-se-á ser-lhe bastante apropriado em nossos dias. Aconselho ao caro Pastor a deixar de lado a Política de Estado (At. 1:6,7) especialmente no que tange a Israel, pois desde a origem há um segmento em Israel que o próprio patriarca Jacó condenou e abominou (Gn. 49:5-7), era o princípio da Irgum e da Haganá, que fizeram atentados contra Ingleses em 22 de Julho de 1946 explodindo o Hotel King David. Como vimos, Terroristas há em todas as partes. Segundo, porque Israel não é melhor do que nem a Etiópia (Am 9:7) e a Igreja foi chamada para receber árabes e judeus, afim que se cumpra Is. 19:24,24. Shalom, Salam.

JJM Designer - Impressos Gráficos e Impressão Digital de Qualidade disse...

A cada dia que passa fico mais preocupado com o grande número de crentes que acreditam nos "terrólogos", o pior que a gente vai falar contra, eles (os irmãos) não aceitam, preferem acreditar em um desviado da verdade, é triste ver isso, pois como disse o próprio Jesus, que o anti-cristo enganaria até mesmo os escolhidos.

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Pr. Ciro.
Este assunto sobre a estrela de Davi é algo que dá “pano para manga”, cada um fala uma coisa. O irmão acabou de abordar este assunto e já em outro site tem alguém descrevendo o que o irmão escreveu, usando inclusive argumentos de antigos escritores. Veja este artigo: http://ministroslabaredasdefogo.blogspot.com/2011/09/fim-da-discussao-o-simbolo-nacional-de.html, e ainda diz que é o fim da discussão. Será? Acho muito difícil, mas independente de qualquer coisa eu fico do lado de Israel.
Fique na Paz!
Pr. Silas Figueira

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amados irmãos:

Quando o senhor "Avraham Pearlman" (nome curioso) se identificar melhor, posso lhe oferecer melhores informações que refutarão eficazmente as suas incongruentes e caluniosas informações acerca de Israel e Salomão. Por enquanto, só enfatizo que as referências bíblicas citadas não provam que Salomão era satanista nem maçon.

Salomão não adorou Satanás, mas a Moloque. Assim como os católicos praticantes não são satanistas por "venerarem" (adorarem) Maria; assim como os romanos não eram satanistas por adorarem o imperador, etc. Portanto, não confunda as coisas, caro "Avraham". Seja coerente.

Salomão se desviou do Senhor. Permitiu que as mulheres estranhas o desviassem do alvo, tornou-se idólatra e adorou Moloque. Mas nenhuma das passagens citadas comprova que ele era satanista ou maçon. A maçonaria não existia naquela época. Isso é conversa de conspiracionista.

Dizer que Salomão era maçon é risível. A maçonaria surgiu muito tempo depois. Não há nenhuma comprovação histórica de que ela tenha surgido nos tempos dos reis de Israel. Não há comprovação histórica de que Hiram Habif sequer existiu. Isso está bem documentado em meu novo livro. Trata-se de um dos muitos mitos da maçonaria. Segue-se que os conspiracionistas só convencem aos incautos.

Aconselho o senhor "Pearlman" a, primeiro, usar uma conta válida, identificando-se claramente em sua próxima participação, caso ela aconteça. Segundo, aconselho-o a ter cuidado com teorias da conspiração, que tomam como base factóides, suposições absurdas, invencionices, etc.

Ah, suponho que o senhor "Pearlman" conheça este perfil: http://pipl.com/directory/name/Pearlman/Abraham. A diferença é que o original é Abraham, com "b".

CSZ

Eduardo Melo de Miranda disse...

Pastor Ciro,

Realmente a estrela de Davi que possue 6 pontas,não tem nada haver como o pentagrama (5 pontas) e sim no hexagrama que tem seis pontas e é uma estrela de seis pontas.

"A primeira menção a esse símbolo é de 992 AC, quando Salomão envolveu-se com feitiçaria e magia... este livro rastreia a adoração de Astarte (também chamada de Astarote — um nome que significa 'estrela') e Chiun e Renfã (também significa 'estrela') dos egípcios antes do tempo de Salomão. Então mais tarde, na magia e feitiçaria árabe; na Idade Média, ele era usado pelos druidas durante o sabá mais importante dos bruxos, chamado Halloween. A família dos Rothschilds, sionistas e Hitler usaram o símbolo, como também o Knesset. Finalmente, ele aparece na bandeira de Israel." (Dr. O. J. Graham, "The Six-Pointed Star", pág. 3, Introduction)

Faça a seguinte pergunta a si mesmo: Onde na Bíblia o hexagrama é usado como símbolo para Israel? Quero realmente ver a Escritura e a referência dos versos. Se você puder encontrar, faça-me saber. A pesquisa que fiz me diz que o hexagrama é um dos símbolos satânicos pelo qual os judeus apóstatas se apaixonaram repetidamente na longa história de Israel.

Em seguida, quando o tempo chegou para Deus trazer Israel de volta à sua terra, em cumprimento a tantas profecias do Antigo Testamento, Ele permitiu que Satanás trouxesse Israel de volta, em cumprimento à profecia de Ezequiel 37:8d, onde Deus profetizou que traria Israel de volta à vida e o colaria de pé, mas inicialmente não colocaria espírito nele; como os eruditos bíblicos sempre reconheceram que essa é uma referência ao Espírito Santo e como o Espírito Santo sempre testifica de Jesus (João 15:26), essa profecia precisa significar que Israel retornará inicialmente à sua terra sem crer em Jesus Cristo como seu Messias.

É claro que foi exatamente isso que aconteceu. A família mais importante dos Illuminati, os Rothschilds, foram usados para criar o Movimento Sionista em 1896, financiando suas atividades e depois forçando os líderes de Israel em 1948 a adotar o hexagrama como seu símbolo nacional.

Conclusão: Deus é o Senhor da História, ele usa governos, pagãos,e até o Diabo para o seu proposito, concordo que não podemos satanizar as coisas mais o governo do anticristo já opera no mundo desde da torre de babel.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Eduardo Melo,

Discordo da opinião do Dr. O. J. Graham, pois, segundo a tradição judaica, o Escudo de Davi era desenhado ou encravado sobre os escudos dos guerreiros do exército do rei Davi, antes de Salomão. Repito o que disse no artigo: essa tradição teve origem no fato de o nome hebraico para Davi (pronunciado David) ser escrito originalmente por três letras do alfabeto hebraico - Dalet, Vav e Dalet. A letra Dalet tinha forma triangular no alfabeto hebraico usado até então, uma variação do alfabeto fenício, conhecido como proto-hebraico.

Portanto, faça a seguinte pergunta a si mesmo: "Onde na Bíblia o hexagrama é usado como símbolo do satanismo?" Quero realmente ver a Escritura e a referência dos versículos. Se você puder encontrar, faça-me saber. A pesquisa que fiz me diz que o hexagrama alude ao Escudo de Davi.

Em Cristo,

CSZ

Anônimo disse...

Não acho que seja do mal essa estrela.

Moacir R. S. Junior disse...

Eita, que o negócio tá esquentando por aqui. Meu caro Pr. Ciro, faz um bom tempo que não comento nada, mas hoje não pude resistir. A cisma com a ESTRELA HEXAGONAL é grande, e, geralmente quando ministro algum estudo sobre Israel, muita gente (hipnotizada pelos Dvds conspiracionistas) me pergunta sobre a ESTRELA "ILUMINISTA" DE DAVI. Recentemente apresentei uns estudos envolvendo CRISTAIS DE NEVE e muita gente ficou espantada ao ver a famosa estrelinha no centro dos flocos de neve. Aí perguntei: Vocês acham que isso é obra de Deus ou do diabo? No link abaixo há um texto demonstrando isso (quem acha que toda Numerologia é coisa do "Cão" talvez não queira ler o artigo).
http://misterio777.blogspot.com/2010/05/sera-que-deus-colocou-sua-assinatura-na.html
Não sei se isto espanta os visitantes, mas encabeçando meu blog tem uma imagem do candelabro judaico dentro da estrela de 6 pontas. Shalom!!!!!!!

Marcelo Lima disse...

Pr. Ciro,

Como sempre suas observações são equilibradas e pertinentes. Se gerássemos hoje cristãos pensadores e questionadores, não teriamos problemas com essas ridículas afirmações dos conspiracionistas.
Quero relatar aqui, brevemente, um fato ocorrido em minha igreja:
"Era congresso de irmãs, e chamaram uma famosa cantora gospel. A referida cantora trouxe consigo, além de CD's e DVD's, uns vidrinhos com azeite de Israel para vender, que continha a famigerada estrela de Davi.
Resultado: Um obreiro, que enquanto ela cantava, glorificava a Deus, ao perceber os vidrinhos, desceu do púlpito indignado, dizendo a todos os cooperadores e diáconos que aquele símbolo era satânico, da nova era. Então instaurou-se uma inflamada discussão a respeito do assunto durante o culto.
Quando me opus à opinião do referido Pr., dizendo que aquele símbolo na verdade era a estrela de Davi, que compõe a bandeira da nação escolhida, o murmurinho se desfez e o obreiro, saiu dizendo: "mas também é o símbolo da nova era".
Resumo da ópera: Se nossos pastores, responsáveis pelo rebanho, estão caindo na lábia desses conspiracionistazinhos de araque, e ao invés de estudarem a Bíblia sistematicamente, passam duas horas na frente da TV tendo uma lavagem cerebral, tenho pena do rebanho.
Encontro aí um pararelo com a passagem abaixo descrita:

"E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor".
Mateus 9:36

Em Cristo,

Marcelo Lima

O BLOG DA VERDADE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aprendiz disse...

Não discutirei a origem do hexagrama, pois ninguém tem provas reais a respeito disso. Aqueles que atribuem a Davi não tem provas realmente antigas e aqueles que atribuem à época do desvio de Salomão também não tem provas antigas.

É um absurdo que hajam cristãos difamando o povo judeu. Isso nada tem a ver com a origem desse símbolo, que não conhecemos. Se for realmente demonstrado que se originou como um simboo ocultista, o estado de Israel deve abandona-lo. Mas não estou certo de que seja. O site que tem apregoado essas coisas é fortemente ligado à "teologia da substituição", e é claro que é tendencioso contra Israel.

Continuo...

Aprendiz disse...

Quanto aos protocolos dos Sábios de Sião, essa é a história do texto.

http://www.angelfire.com/journal2/midiajudaica/especiais/protocolos/protocolos.htm

Como se pode ver, é uma fraude comprovada, pois os livros de onde ele deriva são conhecidos. O livro inicial foi escrito como uma ficção e tratava de diálogos imaginários entre Maquiavel e Montesquieu. Nada a ver portanto com os judeus. Quem afirma que os "protocolos" são verdadeiros está portanto cometendo calúnia e difamação.

Corrigndo apenas uma informação do seu texto, como se pode ver é umafraude czarista, embora a posterior URSS tenha usada esta e outra literaturas anti-semitas para espelhar o ódio aos judeus entre os árabes, pois ná época muitos árabes estudavam e universidades soviéticas.

Aprendiz disse...

Quanto aos filisteus, para ser mais exato, eles nunca ocuparam grande parte do território israelense, embora tenham ocupado parte do território israelense como invasores que matinham os israelitas sob agressão, no final do período dos juizes. Mas nunca estabeleceram cidades lá. Suas cinco cidades estados localizavam-se todas no litoral sudoeste da Terra Santa, mais ou menos onde hoje é a faixa de Gaza. Mas o povo que vive lá hoje nada guarda da língua, cultura ou religião dos antigos filisteus, nem parece haver qualquer continuidade genética entre esse antigo povo e os atuais habitantes de Gaza. Segundo o consenso geral, os sobreviventes dos filisteus devem ter sido absorvidos pelos povos à volta.

Aprendiz disse...

Quanto ao uso de bandeiras nacionais em reuniões cristãs, não concordo com o uso de nenhuma, pois os estados freqüentemente trazem em seus símbolos, resquícios de influência má.

Aprendiz disse...

Também discordo fortemente do uso que muitos evangélicos fazem de símbolos judaicos, acho isso um desrespeito. Devemos procurar entender os judeus, e não ficar fazendo pantomimas e imitações de seus símbolos e costumes.

Eduardo Melo de Miranda disse...

Podemos considerar a bandeira brasileira como um simbolo de concepção maçonica?

O BLOG DA VERDADE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. Felipe Miranda disse...

Pr. Ciro, gostaria de saber o que seria esse estrela citada nesse versículo, pois vi várias associações de que fosse aquela que recebeu o nome de "Estrela de Davi" posteriormente: "Antes tomastes o tabernáculo de Moloque,E a estrela do vosso deus Renfã, figuras que vós fizestes para as adorar.Transportar-vos-ei, pois, para além da Babilônia." Atos 7:43 - Graça & Paz - Pr. Felipe Miranda