domingo, 3 de julho de 2011

Eu digo “não” à ditadura gay evangelicofóbica! E você?


Não é por acaso que eu tenho escrito inúmeros artigos a respeito do homossexualismo e da homofobia. Muitos líderes evangélicos parecem estar anestesiados e ainda não perceberam que existe um movimento no Brasil, ao mesmo tempo favorável à agenda elegebetista e contrário aos evangélicos. Sob a égide da luta contra a homofobia, ele tem promovido a perseguição religiosa, criando outro tipo de ódio, a evangelicofobia.

Depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) legitimou a união estável entre homossexuais (mas debaixo de muitos protestos da igreja evangélica); depois que pastores passaram a se opor ferrenhamente a projetos de lei anticonstitucionais que visam a privilegiar os homossexuais, como o PLC 122 e o PEC 23; e depois que o nefando “kit gay” foi descontinuado, também por pressão evangélica, políticos, grande parte da imprensa, juristas, médicos, psicólogos, artistas, novelistas, comediantes, etc. resolveram se manifestar contra os “fundamentalistas religiosos”.

Deputados estaduais e federais, bem como senadores evangélicos têm se posicionado contra essa tentativa de privilegiar uma parte da população (homossexuais), em detrimento de outra (evangélicos). Mas cada um de nós também deve fazer a sua parte. Como? Orando por essa causa, pregando o Evangelho com verdade e protestando com mansidão e temor (1 Pe 3.15).

Sim, devemos protestar, pacificamente, mas sem medo (At 4.31), contra essa tentativa quase hitlerista de transformar os evangélicos nos grandes vilões da História e obrigá-los a concordar com o homossexualismo. O leitor já notou que, em boa parte dos casos de violência contra os homossexuais, a mídia evangelicofóbica procura convencer a todos de que os causadores disso são os “fundamentalistas religiosos”?


Graças a Deus, há gente de peso se manifestando contra a ditadura gay evangelicofóbica. Recebi, há alguns dias, uma carta da Academia Evangélica de Letras no Brasil (AELB), entidade que congrega a intectualidade cristã, zelando pelos valores maiores espirituais e éticos há cerca de cinco décadas, da qual faço parte, por graça de Deus. Constam da correspondência uma Nota Pública e o boletim Carta de Notícias.

Por meio da aludida Nota, assinada pelo presidente da AELB, Rev. Guilhermino Cunha, repudia-se a tentativa do Congresso Nacional de 
“aprovar texto de lei que, a pretexto de defender a minoria de casais homoafetivos, na realidade cerceia direitos e garantias individuais, equiparando a repulsa ao aplauso ou ao incentivo a tais relacionamentos homossexuais a crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

A AELB conclui a Nota Pública repudiando de forma firme e segura, a incriminação da assim chamada homofobia consubstanciada no PLC 122/2006, que extrapola os limites do razoável, criando precedentes e tratamento diferenciado em benefício de um determinado segmento da população

Já no boletim Carta de Notícias, também publicado pela AELB, há um artigo do Rev. Hernandes Dias Lopes, intitulado “Homofobia, um esclarecimento necessário”, pelo qual ele mostra por que a igreja brasileira se opõe ao PLC 122 e a projetos de leis afins. E salienta que está em risco o mais sagrado dos direitos, que é a liberdade de consciência e de expressão.


Que os homossexuais têm direito garantido por lei de adotarem para si o estilo de vida que quiserem e fazer suas escolhas sexuais, ninguém questiona. O que não é cabível é nos obrigar, por força da lei, a concordar com essa prática. Se os homossexuais têm liberdade de fazer suas escolhas, os heterossexuais têm o sagrado direito de pensar diferente, de serem diferentes e de expressarem livremente o seu posicionamento
, afirma Hernandes.


Diante do exposto, concluo, evocando as palavras inspiradas pelo Espírito Santo contidas em Romanos 12.1,2: 
“Rogo-vos, pois, irmãos, [...] não vos conformeis com este mundo”. 

Ciro Sanches Zibordi

13 comentários:

Só para mulheres! disse...

Querem de qualquer maneira colocar os evangélicos como os grandes vilões nessa história toda, mas mesmo entre aqueles que não professam nenhum credo religioso, há oposição sobre os "direitos" da classe LGBT. Mas somente os religiosos são achincalhados como preconceituosos e homofóbicos.
Todos tem direito de expressar como veem as coisas.
Basta que eles tenham os direitos que todos os outros cidadãos tem. Não compreendo porque insistem em se diferenciar através de leis que são inconstitucionais.

Rinaldo Santana disse...

Caro pastor Ciro Graça e paz, gostei muito deste artigo de maneira que me atrevi a postar no meu blog.É claro que citei a fonte autora.
www.rinaldoeapalavra.blogspot.com
Rinaldo Santana

Mozart Paulino disse...

A Paz pastor Ciro.

No meu twitter compartilhei do link do respectivo artigo.

Se cada cristão e pessoa de bem fizer sua parte, talvez não resolva, mas com certeza mostraremos que estamos atentos.

Abraços.

MSP

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro "Ciência e religião...", acabei apagando seu comentário sem querer. Estou no aeroporto usando o smarphone e me atrapalhei. Bem, o que cabe à Igreja é pregar o Evangelho, o que inclui condenar o pecado. E o homossexualismo, em todas as suas formas e manifestações, é pecado. Cabe também à Igreja opor-se à injustiça, mesmo que ela parta dos poderes constituídos.

Em Cristo,

CSZ

Lucas Jordão disse...

Ótimo artigo, meu caro irmão. Agradeço a Deus pelos seus servos de coragem e valor que ainda clamam pela equidade. Bendito seja o Senhor Jesus!

Lucas Jordão disse...

Ótimo artigo, meu caro irmão. Deus ainda levanta homens de coragem e valor que clamam por justiça verdadeira. A Palavra de Deus é bússola orientadora para a vida do homem.

Ev.Wanderlei Domingues da Silva Lopes disse...

Prezado Pr Ciro, tenho lido suas matérias, sempre muito equilibradas e esclarecedoras e, ao mesmo tempo,procurado me posicionar diante das questões apresentadas. De fato, há muitos líderes que poderiam manifestar-se, mas preferem fazer de conta que não é com eles. Mas fazer o que? Vamos orar para que sejam despertados! Dia 01 e 02 de Julho Postei singela matéria sobre homossexualismo. Se o Pastor desejar ler e comentar, ficarei honrado! Abraço!

JOEL disse...

PASTOR, A PAZ DO SENHOR. GOSTARIA DE PERGUNTAR SOBRE OUTRO ASSUNTO. A BIBLIA FALA DE ALGUMAS RESSURREIÇÕES, POR EXEMPLO, O HOMEM QUE CAIU NA COVA DE ELISEU ETC. GOSTARIA DE SABER (SEI QUE DEUS É SEMPRE JUSTO) SE ESTE HOMEM OU OUTRA PESSOA QUE RESSUSCITOU TEVE DUAS CHANCES NA VIDA. POR FAVOR ME MANDE UMA RESPOSTA, POIS JA ENVIEI OUTRAS MENSAGENS E NAO OBTIVE RESPOSTA.

Rafael Vasconcelos disse...

A paz e graça de Cristo!

Irmão Ciro,nunca se viu o movimento gay tão em evidência como nos dias de então.Precisamos como igreja nos manisfestar de forma aberta contra a "onda gay" que é contrário ao ensino bíblico e desfavarável à constituição brasileira.Entratanto,devemos fazê-lo com respeito e moderação.

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo e nosso pr. ciro Zibordi,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Postar a indignação sobre este tema, que tem levantado inúmeros adeptos e amantes da homossexualidade à destruição da sociedade, deve ser combatido, pelos que possuem a firmeza necessária, para não estarem convivendo na irresponsabilidade do silêncio de muitos.

O silêncio dos muitos, é como uma ferrugem malígna que destroi tudo à sua volta como um TORNADO, que ao passar produz uma devastação completa em muitas cidades.

Devemos sim, combater esta onda malígna, proporcional a um Tsunami moral, com todas as nossas forças.

O medo de alguns somente será substituído pela responsabilidade com Deus. O Deus da Palavra!

Com temor e tremor!

O Senhor seja contigo, nobre atalaia,

O menor de todos os menores.

Lea dos Anjos disse...

A Paz do Senhor pastor!

Eu também pastor digo não!
Mas infelizmente temos acompanhado muita omissão no meio evangélico, seja na tv ou internet.
Muitos blogs estão influenciando milhares de pessoas dizendo que devemos aceitar as leis contrárias aos principios cristãos e devemos amar somente isso, mas Jesus disse que devemos primeiramente amar a Deus e depois as pessoas.
Publicaram em um blog de apologética com humor do inferno que o Apostolo Paulo convivia pacificamente com uma sociedade pervertida e não saia por ai atacando o meio de vida dos outros.
Mas Jesus falou que se Ele não tivesse vindo ao mundo ninguém teria pecado, mas agora ninguém têm mais descupa para o seu pecado.
E para quem entende um pouquinho de história, sabe que aquela sociedade gentílica que o Apóstolo Paulo viveu, era uma sociedade dominada pela cultura das trevas, onde a Igreja estava começando a evangelizar as pessoas, e ninguém sabia que sodomia, lesbianismo e pedofilia era pecado!
Hoje estamos dois mil e onze anos a frente da ignorância daquela época, quase todo mundo hoje já ouviu falar de Jesus e sabe muito bem o que é pecado.
Enfim, ficar omisso diante disso é voltar de volta as trevas, e esquecer tudo o que o cristianismo conquistou ao longo do tempo para chegar até aqui. Hoje temos uma Igreja forte e espero que fique unida nesses últimos tempos.
Quando Deus falou que a terra foi contaminada por esses pecados abomináveis, o mesmo tem acontecido, só que em efeito dominó, Eua, Europa, Austrália e agora América Latina...quem está escapando? os mulçumanos?
Não acredito que aquela cantora que impactou tanto com seus louvores a Deus, acha errado nós estarmos aqui inconformados com essas leis das trevas, sendo que a mesma não está pensando em seus filhos ou nas próximas gerações que sofreram como a família de Ló ou como os primeiros cristãos da igreja primitiva....Voltaremos as catacumbas também?

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Ciro Sanches,graça e paz!
Concordamos com a mesma linha de pensamento do ilutre,no tocante a respeitarmos os homossexuais.
Acontece,todavia,que respeito não significa concordância.
A nosso ver,é preciso que o Supremo Tribunal Federal estabeleça para os mesmos,que respeito não significa aceitação.
Do contrário, estaremos enfrentando uma ditadura branca. Aí, é perigoso.Que Deus ilumine as nossas autoridades.

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Ciro Sanches,graça e paz!
Concordamos com a mesma linha de pensamento do ilutre,no tocante a respeitarmos os homossexuais.
Acontece,todavia,que respeito não significa concordância.
A nosso ver,é preciso que o Supremo Tribunal Federal estabeleça para os mesmos,que respeito não significa aceitação.
Do contrário, estaremos enfrentando uma ditadura branca. Aí, é perigoso.Que Deus ilumine as nossas autoridades.