segunda-feira, 30 de maio de 2011

Você tem medo de avião?


O acidente com o Airbus A330 da Air France — que partiu do Rio de Janeiro a Paris, em 30 de maio de 2009 — completa hoje dois anos. Com o resgate dos destroços da aeronave do fundo do mar, a tragédia começa a ser contada passo a passo, aterrorizando quem tem medo de voar.

Pensando nisso, escrevi este artigo com o objetivo de tranquilizar pessoas que voam constante ou eventualmente, bem como incentivar as que perguntam: “É seguro voar?” É claro que os acidentes nos deixam assustados, mas viagens de avião devem ser encaradas com muita naturalidade.

Conheço pregadores que viajam três dias de carro ou de ônibus (em estradas esburacadas, cheias de curvas, nas quais transitam motoristas embriagados, com sono, etc.), correndo muito mais riscos do que correriam a bordo de aviões. Veja quantos pastores já partiram para a eternidade em decorrência de acidentes automobilísticos. Um caso que ainda está vivo em nossa mente é o de David Wilkerson, que vivia mais no ar do que na terra e acabou morto numa estrada do Texas.

Falando em Estados Unidos, visitei, há pouco tempo, o Museu da Aviação, em Washington, DC, e vi um painel que muito me impressionou. Ele mostrava todos os voos no espaço aéreo estadunidense, indicando cada avião com uma pequena luz, que mudava de cor em pousos e decolagens. Parecia um enxame.

Aliás, falando em abelhas, você sabia que é mais fácil alguém morrer em decorrência de picadas de abelha do que em acidentes aéreos? Ocorrem no mundo, em média, 180 mil decolagens por dia! E isso equivale a quase 66 milhões de voos por ano! Durante um ano todo, ocorrem apenas (apenas?) dois ou três acidentes aéreos de grande porte.

Seria ótimo que não ocorresse nenhum acidente. Mas corremos risco de vida — ou risco de morrer, como diz uma parte da imprensa — a todo instante, em casa, no elevador, no carro, no ônibus, no metrô, na floresta, na praia... Para morrer, basta estar vivo.

Já passei por maus bocados a bordo de aeronaves. Nunca me esqueço de dois voos — um de Brasília para o Rio de Janeiro, e outro do Rio para Curitiba —, em que os comandantes interromperam as decolagens quando os aviões já estavam prestes a levantar o nariz! Pânico geral. Se alguém estivesse sem o cinto de segurança, com certeza seria arremessado contra o banco da frente e se machucaria.

Lembro-me de cada detalhe do voo do Rio para Curitiba. A aeronave, depois de frear bruscamente antes da decolagem, voltou para o ponto de origem, e os passageiros foram orientados a permanecerem sentados. O tempo foi passando, o medo aumentando, enquanto os comissários permaneciam calados. A cada minuto, os passageiros ficavam mais ansiosos e apavorados. Então, ao orar a Deus, senti no meu coração uma angústia e tive a certeza de que, se aquele avião decolasse, cairia.

Não costumo fazer isso, mas, depois de orar, resolvi abrir a Bíblia aleatoriamente (risos). Abri os olhos, e o texto que estava diante deles era Jeremias 51.45: “Saí do meio dela, ó povo meu, e livre cada um a sua vida”. Quer saber o que eu fiz? Apertei o botão de chamada de comissário e lhe disse: “Quero sair deste avião agora mesmo, pois já perdi o meu compromisso”. E já fui me levantando. O rapaz me respondeu: “Senhor, o comandante pediu para todos ficarem assentados”.

Mas eu insisti, e um rapaz, ao meu lado, fez o mesmo, o que gerou uma grande movimentação dentro do avião, e o comandante teve de autorizar a saída de todos os passageiros, que foram encaminhados para outra aeronave... Ufa! Louvo a Deus por esse grande livramento!

Não tenho medo de voar, sobretudo por causa da certeza de que o Senhor está no controle da minha vida. Mas também porque, como já afirmei, algumas pesquisas mostram que é mais fácil ganhar sozinho na loteria do que morrer vítima de acidente aéreo. Assim como existem pessoas que jogam durante a vida toda na loteria e não conseguem ganhar, há aquelas que voam constantemente sem enfrentar nenhum acidente. Algumas sequer passam por turbulências que chegam a assustar.

Por outro lado, há quem jogue uma única vez na loteria e ganhe (risos). Nesse caso, o melhor mesmo é confiar no Senhor e pedir a sua proteção, seja qual for o meio de transporte.

Ciro Sanches Zibordi

9 comentários:

Pr. Jesiel Freitas disse...

Caro Pr. Ciro:

Paz seja contigo...

Matéria oportuna, pertinente e muito interessante!

Confesso, que assim como o companheiro, vivo grande parte do tempo dentro de aeronaves para atender aos compromissos de agenda, mas nunca soube o que é o medo de voar. O que não significa que não respeito aqueles que possuem esse temor. Mas sempre tive consciência da moral do seu texto: é muito mais fácil morrer num acidente automobilístico do que num acidente aéreo.

Trabalhei vários anos como repórter de rádio e TV (sou jornalista), e sinceramente não sou capaz de enumerar os acidentes de carro que cobrí, grande parte deles com vítimas fatais. E nesse mesmo tempo tive o desprazer de cobrir apenas três acidentes aéreos, sendo que em apenas dois houve mortes.

Nossas vidas estão nas mãos do Criador. Desde que estejamos no centro da sua vontade e reconheçamos os riscos naturais do cotidiano fazendo a nossa parte em relação aquilo que seja prudente ou imprudente, só partiremos para a eternidade no tempo determinado pelo Senhor!

Parabéns pelo seu artigo.

Abraço fraterno.

No mais... Paz!

Pr. Jesiel Freitas

Miss. Marineuza de Sánchez disse...

Matéria oportuna, pertinente e muito interessante!²

A Paz do Senhor, Pr. Ciro.

Ainda bem que o senhor carrega sua Bíblia mais à mão em vez do celular (risos)...

Federal esse versículo, heim?

Luciano de Paula Lourenço disse...

Pr. Ciro, não tenho medo de andar de avião, desde que ele não se mexa, isto é, não haja turbulência. Tenho pavor de turbulência! Já passei por várias situações difíceis. E já ouvi relatos, que se eu for pensar neles nem viajo.
A propósito, "a pessoa só morre quando chega a hora determinada por Deus"?. As pessoas que se suicidam estão inseridas neste aspecto?
Um abraço!

Lendo e Postando disse...

É mais fácil morrer de uma topada do que de acidente aéreo...rsrs
Muito iluminado esse texto

João Pedro disse...

Pr. Ciro, admiro muito o senhor, mas depois desta experiência o senhor ainda duvida que Deus fala conosco ao abrirmos a sua palavra "aleatoriamente"?? Rs! E o senhor já contou aqui no bloq quando Deus falou contigo chamando pelo próprio nome "Ciro" ao abrir a Bíblia. Já que o post fala sobre probabilidades, qual a probabilidade de isso acontecer?? Rs! A Sua Palavra é viva e eficaz, e se ela é viva, e se o seu autor está vivo ele pode sim falar conosco através dela. Um grande abraço!

Izaldil Tavares de Castro disse...

Caro Pr. Ciro, a Paz do Senhor Jesus esteja com você.
Achei interessante sua mensagem de paz para o coração dos que voam (em aeronaves, claro).
Eu nunca tive esse medo: voo tranquilo. Ufa! sem acento - não assento - e sem trema - nem tremor rsrsrsrs.
Quanto ao livramento naquele voo, louvo ao Senhor pelo cuidado que Ele tem com os que lhe pertencem.
Abraço.

Cindy disse...

A Paz do Senhor
Eu tenho muito medo de andar de avião e sempre tenho sonhos com eles caindo, mas estou pedindo a Deus que tire isso de meu coração. Ao contrário de minha mãe que sempre muito corajosa, sempre diz o mesmo que você: Pra morrer basta estar vivo. E qd for ahora, pode ser em qualquer lugar, é só Deus pra gurdar! Minha mãe a 1º vez que foi andar de avião, já pegou logo dois e depois mais dois na volta, eu disse que se eu pegasse dois eu desceria no aeroporto e voltaria pra casa de ônibus nem teria entrado no próximo, (risos), e eu vou arriscar, já que deu certo em um não é?!!
Mas olha irmão, palavra abençoada. Deus continue te usando.

Tiago Rosas disse...

Ilustre Pr. Ciro,

"Não costumo fazer isso, mas, depois de orar, resolvi abrir a Bíblia aleatoriamente (risos). Abri os olhos, e o texto que estava diante deles era Jeremias 51.45: 'Saí do meio dela, ó povo meu, e livre cada um a sua vida'" (Risos)

Estás vendo pastor? na hora da angústia, a gente faz coisas não muito comuns e aconselháveis, mas Deus é tão tremendo que alivia o nosso coração nos dizendo o que fazer. Mas imagine, nobre pastor, se o Senhor tivesse aberto a Bíblia aleatoriamente em Lucas 23.43: "Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso". O Senhor teria surtado, não? (risos)

Deus nos ajude e nos livre do medo, e melhor ainda: dos acidentes aéreos!

João Paulo Fernandes disse...

Pastor

Sofro desse mal! Tenho muito medo Queria achar uma solução para esse meu problema. Ore por mim!