terça-feira, 5 de abril de 2011

Falando por “para-bola” (1)


No começo deste artigo você poderá rir. Mas, ao final, deverá chorar. Falo por “para-bola”...

Há mais de cem anos, alguns Santos que florescem como Palmeiras e imitam São Paulo chegaram dos Estados Unidos e fundaram no Brasil uma grande instituição. Mas isso deixou os inimigos furiosos. E estes, que eram grandes admiradores de Corinto, no mesmo ano (1910) resolveram criar um partido, que chamaram de Corinthians.

Durante muitos anos, os coríntios (ou corintianos) amargaram derrotas para aqueles, o que os deixou ainda mais irritados. Mas, com o passar do tempo, os Santos que florescem como Palmeiras e imitam São Paulo começaram a brigar entre si. “Eu sou dos Santos”, “Eu floresço como Palmeiras”, “Eu imito São Paulo”, diziam. Resultado: o partido corintiano se fortaleceu muito por causa dessa desunião.

Nesta semana, os imitadores de São Paulo têm um grande desafio. E estão bastante apreensivos por causa da Santa Cruz. Afinal — que ironia! —, esta pode trazer-lhes uma grande tristeza. O que fazer, caso isso aconteça? O melhor é não se envergonhar daquela...

O problema é que os corintianos gostam de zombar da desgraça alheia e estão torcendo pela derrota dos amigos de São Paulo. A bem da verdade, nesse caso, os justos que florescem como Palmeiras e os Santos — conquanto tenham se digladiado recentemente — também estão unidos aos de Corinto, na expectativa de que a Santa Cruz prevaleça...

Falando sério, agora: em que pese o fato de o Brasil ser o país do futebol, “é uma brincadeira” — como diriam o apresentador Datena e o comentarista Neto — um cristão se deixar dominar pelo futebol, a ponto de agir como se isso fosse a sua maior prioridade. Francamente, o crente em Jesus que fica emburrado por vários dias por causa de uma derrota de seu time preferido precisa urgentemente buscar a Deus, visto que está doente em seu espírito.

Não verbero, de modo legalista, contra o cristão que aprecia o futebol. Mas, por favor, pare com esse negócio de levar o smartphone para o templo, a fim de acompanhar os jogos do seu time. Pare de sofrer por causa de efemeridades, caro irmão torcedor. Enquanto você sofre pelo Mengão, pelo Timão, pelo Vascão, pelo Verdão, pelo Fluzão, pelo Peixão, pelo Fogão, etc., há muitos que choram por não ter pão, proteção, afeição e outros “ãos”.

Há crente incapaz de sofrer pelo próximo, mas sofre pelo futebol. Tragédias e mais tragédias ocorrem no mundo, e ele só chora ou se comove quando o seu time de milionários perde um jogo. Imagine quantos santistas e fluminenses vão lamentar se os seus clubes forem eliminados da Taça Liberdadores! Mas o cristão que se preza não sofre por causa de coisas supérfluas, secundárias, efêmeras, a menos que estas tenham se tornado para ele uma coisa dominadora (1 Co 6.12).

Quantas mães estão chorando agora a morte de seus filhos? Quantas crianças estão sofrendo agora por serem portadoras de câncer, como a linda Ana Luíza, mencionada neste blog? Quantos desempregados estão aflitos por não poderem alimentar suas famílias? Quantas pessoas ainda choram os seus mortos no Japão, na Região Serrana do Rio de Janeiro, no Haiti, etc.? Será que temos o direito de chorar por causa de um time de futebol?

Se um cristão, evangélico, não consegue se sensibilizar mais com as causas nobres, porém sofre pelo futebol, trata-se de um cristão que não vive o cristianismo e de um evangélico que não prioriza o Evangelho. Se somos, de fato, Santos que florescem como Palmeiras e imitam São Paulo, priorizemos as palavras contidas em 1 Corinthians (Coríntios, em inglês) 1.18: “a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”.

Amém?

Ciro Sanches Zibordi

22 comentários:

Anderson Ribeiro disse...

Graça e paz Pr. Ciro

Excelente reflexão!!! Que Deus abençoe o seu ministério bem como toda sua família rica e poderosamente.

Ah, se me permite tem um erro de digitação...coisas supérfluas.

A paz,
Anderson Ribeiro
http://dcandersonribeiro.blogspot.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Anderson,

Grato pelas palavras. Quanto ao erro de digitação, sinceramente não encontrei, pois "coisas supérfluas" se escreve assim mesmo.

Um abraço.

CSZ

disse...

Rss Eu confesso que já chorei muito pelo meu time, hoje não mais, me libertei graças a Deus. Até porque se continuasse iria morrer de tanto chorar, pois o mesmo não tem dado tantas alegria aos seus torcedores já algum tempo, rsss. Legal seu artigo. Paz!

Ana Paula disse...

Amém!!!!!!!!!
Agora, levar smartphone para acompanhar o jogo durante o culto é novo para mim..... sério isso?

Paz!!!!!!

Anderson Ribeiro disse...

Graças e paz Pr. Ciro

De fato pastor, eu lí SUPERFULAS e corrigi para SUPÉRFLUAS. Desculpe-me.

Abraço
Anderson Ribeiro

EBDicas - Sergiano disse...

Paz do Senhor, pastor Ciro.
Para proteger o coração dessa paixão dominante somente sendo um crente "bota fogo" no diabo, rsrsrs!
Fica com Deus!

Cidinha disse...

Amém,eu do gosto meu time ,mas graças a Deus,nunca deixei de ir a um culto ou chorar por causa de derrota ,(pois se fosse assim,ficaria cem anos chorando rsrsrs)gosto de colocar alguma coisa no orkut ou Facebook,quando meu time ganha só para brincar com meus amigos,e sobrinhos,mas é sério mesmo,tem gente gritando gol da hora do culto?
Abs

Christofer Freitas disse...

Excelente post!

Mas da pra torcer sem sofrer, basta apenas ser cruzeirense! O mesmo não posso dizer dos atleticanos/MG que sofrem intensamente nos ultimos 40 anos.

Mas falando sério, devemos refletir e muito.

Tiago disse...

Que tal Pr.Ciro participar de um "baba" santo? Quem será que vai ganhar? Está posto o desafio!rsrsrs]
Falando sério o Sr. cada vez mais me surpreende. Ao longo desses anos que venho te acompanhando e tenho visto sua dedicação com o povo de Deus. Através das sus postagens,publicaçãoes,livros etc.
Estou na expectativa do seu mais novo trabalho que possa transformar,abençoar a vida das pessoas.
Que as ricas e copiosas bençãos do Senhor repouse sobre sua vida e famíla e continue sendo este instrumento nas mãos do nosso Deus.
Um forte abraço!!

Izaldil Tavares de Castro disse...

Caro irmão, Pr. Ciro,
A Paz do Senhor Jesus.
Existem coisas que oscilam: vão do "oito para o oitenta". Antigamente (meu tempo passado)crente não podia (pelo menos em público) falar sobre futebol, pois era "assunto de incrédulos", rsrsrsrs.
Ai de quem ousasse torcer por qualquer time! Esse era o tempo do "oito".
Hoje,crentes levam seus aparelhos para o culto e, às escondidas, consultam o andamento das partidas e já vi quem comunicasse o resultado ao púlpito! É a época do "oitenta". Isso funciona tal qual a questão dos "costumes": antes a saia era rodada e ia até ao calcanhar, a manga da blusa cobria até a mão da distinta irmã. Hoje...
Isso não é passar do "oito para o oitenta"?
Grande abraço, amado irmão.

li disse...

muito bom Pr,
como sempre muito criativo.



Fluminse é tricolor com São Paulo, por isso cresce como Palmeiras...rs

*essa foi só pra mencionar o flu :)

abç querido Pr

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Izaldil Tavares de Castro,

Concordo plenamente, em gênero e número (risos), com o irmão. O grande problema é o extremismo. E, para estarmos no centro, precisamos ser crentes maduros.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Cidinha, Cidinha...

Percebo que a irmã é do partido de Corinto... Risos.

Brincadeira, eu já conheço o seu posicionamento equilibrado sobre o assunto, haja vista termos já conversado sobre o assunto no Twitter.

Um grande abraço.

CSZ

Tamar disse...

Irmãos não se enganem,as agências de propaganda FATURAM BILHÕES para DOBRAR a vontade das pessoas.

O fanatismo pelo futebol que está dominando até os assembleianos tem origem na propaganda maciça feita nos meios de comunicação.

Milhões de pessoas assistindo um jogo significam milhões consumindo bebidas, automóveis e marcas.

Transmissão de Esportes na TV e programas de comentários são bem baratos de produzir comparado á outro tipo de programação. O retorno financeiro é espetacular.

O consumo de oceanos de cerveja por todas as faixas da população neste país tá diretamente ligado á propaganda.

Esse fanatismo futebolístico é apenas a ECRAVIDÃO DO ARBÍTRIO, DA VONTADE, nas cadeias da publicidade.

A prova é que a maioria das pessoas que assiste fanaticamente os jogos não costumam nem ter o prazer de brincar de jogar futebol.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Grandes verdades ditas pela profetisa Tamar!

A questão não está em gostar de futebol ou de um time... O problema é que as pessoas têm sido dominadas, a ponto de tudo, em sua vida, girar em torno de futebol. Por isso, é bom refletirmos sobre o assunto.

Um abraço.

P.S. Tamar, precisamos marcar um dia em São Paulo, você, o Valter e eu, para tomarmos um café.

CSZ

Eber Ventura disse...

Pastor Ciro,
excelente ilustração. Que Deus continue o abençoando poderosamente.
sds em Cristo,
Eber

Pr. Anderson Araujo disse...

Caro Pr. Ciro Zibordi;

A PAz do Senhor;

Parabéns pela abordagem, muito pertinente aos dias em que estamos vivendo, na euforia do futebol, tenho a mesma opinião que o amado pastor com relação aos excessos que alguns "cristãos" imaturos cometem quando o assunto é a bola.
Quantos deixam de ir á igreja por causa dos jogos do domingo do seu time do coração, estamos invertendo os valores, não podemos esquecer do ensinamento de Jesus quando disse: "Buscai primeiro o Reino de Deus, e sua Justiça e todas essas coisas vos serão acrescentadas". (Mt-6:33) , Estamos chorando e dando prioridades as coisas terrenas, efêmeras que são passageiras, e deixando de lado o que verdadeiramente nos traz a paz, o conforto e a alegria, vejo pessoas que se emocionam quando o artilheiro de seu time de coração faz um belo gol, mas, não é sensível á voz do Espírito Santo quando sussurra em seu ouvido, chora quando o time perde um jogo, mas, não chora quando louvam a Deus na Igreja ou ouvem uma mensagem inspirada pelo Eterno... Acho que precisamos reaver conceitos e de uma vez por todas amadurecermos espiritualmente para não cairmos na contradição em que o mundo está vivendo.

um grande abraço;

Pr. Anderson Araujo;
Blog Plenitude da Graça.

Vinícius Fernandes disse...

Muito boa e pertinente a postagem! Um pastor assembleiando tendo a sensibilidade de tratar de questões como essas a partir do próprio tema é muito sábio. Parabéns pela ousadia.

Endossado integralmente o conteúdo do post, como bom nordestino e torcedor do América de Natal, vou torcer hoje com força para o Santa Cruz, mesmo porque ela tem muito mais valor que o São Paulo! Abraço e paz seja contigo.

Izaldil Tavares de Castro disse...

Caro irmão, Pr. Ciro,
Fiquei muito feliz por encontrar alguém que não "concorda em grau"; só em gênero e número (risos). Você é muito agradável e simpático, meu irmão; mesmo nas entrelinhas. Aceite meu cordial abraço, na Paz do Senhor Jesus Cristo.

Ed disse...

Muito boa a reflexão amigo e irmão Ciro Sanches, e preciso renuncia, negar-se a si mesmo como disse Jesus, Lucas 9. 23 E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.

Paz a todos!!!!

Samuel disse...

Por fim, a Santa Cruz fez os seguidores de São Paulo seguirem em frente!

Ruan disse...

Deus me libertou de futebol, lembro-me bem quando fui a um culto e o Pr mandou abrir a biblia em primeira corintios eu fiquei fulo da vida. Agora acredito que se o meu PoOooOoOOOooRRRRrrrrCCCcccOoooo (pronto me contive), estiver jogando valendo o titulo do brasileirão na hora do culto fico na boa no culto sem desespero. OBRIGADO DEUS POR ME LIBERTAR.