quarta-feira, 9 de março de 2011

A igreja evangélica está crescendo em qualidade ou em quantidade? (2)


Quando se fala em crescimento da igreja, pensa-se logo nos modelos que aparentemente têm sido bem-sucedidos, em razão de atraírem multidões, como: “igreja em células”, “igreja emergente”, “igreja com propósitos”, etc. Seja qual for a estratégia de crescimento numérico, ela só será eficaz se aplicada por uma igreja madura espiritualmente e conscientizada da Obra Missionária.

O crescimento da igreja deve abranger, simultaneamente, os aspectos espiritual, numérico e geográfico, assim como ocorria na igreja de Atos dos Apóstolos, que é o nosso verdadeiro modelo. Esse tríplice ideal de crescimento é visto em Atos 1.8: “recebereis a virtude do Espírito Santo” (crescimento espiritual); “e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém” (crescimento numérico); e “como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (crescimento geográfico).

Na igreja primitiva, os apóstolos testemunhavam com grande poder (At 4.33). E, com isso, o crescimento numérico ocorria naturalmente (At 2.36-41; 6.7). Mas a igreja primitiva teve dificuldade de entender que deveria crescer além fronteiras (At 1.8), o que só começou a acontecer após as perseguições (At 7-8).

Muitos líderes da atualidade têm priorizado o crescimento numérico, ignorando que este só é relevante quando decorre do crescimento espiritual. Deus valoriza o crescimento numérico, mas prioriza o crescimento espiritual (Jo 6.60-69; Jz 7.1-8; Sl 12.1; 101.6, etc.).

Nos tempos da igreja primitiva, o crescimento espiritual era priorizado (At 6.7; 16.5). Todos oravam (At 1.13,14,24; 2.42; 3.1; 4.31; 12.5). Imagine o que aconteceria se todos orassem, hoje! Todos estavam unidos (At 2.1,44; 4.32; 5.12). Onde há união em torno da verdade o Senhor se faz presente (Sl 133). Todos eram cheios do Espírito Santo (At 2.4; 4.8,31; 6.3,5; 7.55; 9.17; 11.24; 13.9,52). Ser cheio do Espírito é um mandamento (Ef 5.18).

Todos — nos tempos da igreja nascente — perseveravam na doutrina (At 2.42). Só existe salvação para quem persevera no evangelho de Cristo (1 Co 15.1,2). Todos tinham o temor do Senhor (At 2.43; 9.31). Precisamos servir ao Senhor com temor e tremor (Sl 2.11; 1 Co 2.3; 2 Co 7.15; Fp 2.12, etc.). Ninguém perdia os cultos (Lc 24.53; At 2.46). E os cristãos não se reuniam porque tinham interesses pessoais. Todos louvavam a Deus (At 2.47). Não confunda louvor com cantoria interminável! Louvar é mais que cantar (Sl 57.7; 103.1).

Geralmente, quando a igreja cresce espiritualmente, o crescimento numérico ocorre de modo natural. E esse crescimento é real, e não transitório. Crentes devidamente instruídos são capazes não só de evangelizar, mas também de gerar discípulos, cumprindo todos os aspectos da Grande Comissão (Mc 16.15; Mt 28.19, gr.).

Por que havia crescimento numérico na igreja primitiva? Porque todos caíam na graça do povo (At 2.47). Não precisamos ser antipáticos, ao pregar o evangelho, a despeito de a mensagem do evangelho não agradar aos pecadores perdidos (1 Co 1.18; At 5.13). Todos tinham poder para testemunhar (At 1.8; 4.33). Estamos hoje buscando esse poder sobrenatural para pregar o Evangelho? Todos anunciavam com ousadia a Palavra de Deus (At 4.31). Essa ousadia (coragem, intrepidez) para pregar decorria do crescimento espiritual e da comunhão íntima que aqueles cristãos tinham com o Senhor (Lc 10.19; Tg 4.7).

É impossível uma igreja que cresce espiritualmente não crescer também numericamente. Essas duas coisas foram casadas por Deus (At 1.13-15; At 2.41-47; 4.4; 5.14). Mas o crescimento numérico não indica, necessariamente, que uma igreja esteja crescendo espiritualmente.

Quando o crescimento quantitativo é priorizado, Deus deixa de ter compromisso com a igreja (igreja local, é claro). O aumento de membros pode decorrer de inúmeros fatores. Muitas igrejas têm oferecido atrativos do mundo para as pessoas, e por isso crescem — apenas quantitativamente.

Que Deus nos ajude a crescer na graça e no conhecimento, ganhando almas para Jesus em todo o mundo!

Desejo a todos um ótimo fim de semana!

Ciro Sanches Zibordi

3 comentários:

disse...

Eu acho que ela esta inchada, pois
não basta somente crescer, precisamos de maturidade espiritual do novo e velho convertido. E essa maturidade só é alcançada através do evangelho puro e simples de Jesus, aquele Evangelho genuíno,aquele que custava a vida dos nossos irmãos primitivos. Gostei muito do artigo. Paz!

SANDRO LUIS DO ESPIRITO SANTO disse...

PREZADO PASTOR CIRO

A PAZ DO SENHOR,

NOTADAMENTE A IGREJA EVANGÉLICA NA ATUALIDADE CRESCE SEM QUALIDADE.

VEJA A CONFUSÃO QUE EXISTE EM NOSSO MEIO, DIFERENTES INTERPRETAÇÕES PESSOAS DESPREPARADAS.

ISSO ACONTECE, PORQUE A MAIOR PREOCUPAÇÃO É APRESENTAR NÚMEROS PARA O BATISMO, NÃO HÁ UM DISCIPULADO AUTÊNTICO E GENUÍNO.

POR EXEMPLO, JÁ VI LEVAREM PESSOAS QUE NÃO ESTAVAM LIBERTAS E ATÉ "CRIANÇAS" GAROTOS OU GAROTAS DE 11 OU 12 ANOS QUE NEM SABEM O REAL SIGNIFICADO DE SERVIR À DEUS.

"NÃO HÁ QUALIDADE, A PREOCUPAÇÃO ESTÁ EM APRESENTAR NÚMEROS, COMO UMA INDÚSTRIA QUE NÃO PODE DEIXAR CAIR A PRODUÇÃO"

DEUS ABENÇOE E ILUMINE A TODOS ! !

http://sandrocristao.blogspot.com

SANDRO LUIS DO ESPIRITO SANTO disse...

PREZADO PASTOR CIRO

A PAZ DO SENHOR,

NOTADAMENTE A IGREJA EVANGÉLICA NA ATUALIDADE CRESCE SEM QUALIDADE.

VEJA A CONFUSÃO QUE EXISTE EM NOSSO MEIO, DIFERENTES INTERPRETAÇÕES PESSOAS DESPREPARADAS.

ISSO ACONTECE, PORQUE A MAIOR PREOCUPAÇÃO É APRESENTAR NÚMEROS PARA O BATISMO, NÃO HÁ UM DISCIPULADO AUTÊNTICO E GENUÍNO.

POR EXEMPLO, JÁ VI LEVAREM PESSOAS QUE NÃO ESTAVAM LIBERTAS E ATÉ "CRIANÇAS" GAROTOS OU GAROTAS DE 11 OU 12 ANOS QUE NEM SABEM O REAL SIGNIFICADO DE SERVIR À DEUS.

"NÃO HÁ QUALIDADE, A PREOCUPAÇÃO ESTÁ EM APRESENTAR NÚMEROS, COMO UMA INDÚSTRIA QUE NÃO PODE DEIXAR CAIR A PRODUÇÃO"

DEUS ABENÇOE E ILUMINE A TODOS ! !

http://sandrocristao.blogspot.com