segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O ecumenismo é bom ou ruim?


Houve uma época em que o ecumenismo era um grande perigo para a Igreja de Cristo. Pastores verberavam contra ele. Cristianismo verdadeiro e catolicismo romano eram coisas completamente antagônicas e irreconciliáveis. Mas os tempos mudaram. Hoje, com a aproximação entre evangélicos e católicos — fomentada pela festejada comunhão entre padres galãs e astros da música gospel —, o ecumenismo está se tornando obrigatório.

O que é o ecumenismo e por que os cristãos do passado não o viam com bons olhos? A palavra “ecumênico” (gr. oikoumenikós) significa “aberto para o mundo inteiro”. O Senhor Jesus disse: “Eu sou a porta” (Jo 10.9), e os apóstolos corroboraram a sua declaração (1 Tm 2.5; At 4.12). Já os adeptos do ecumenismo argumentam que cada pessoa tem o seu ponto de vista, e o importante é acreditar em Deus e amar o próximo. Se alguém faz isso, já é uma pessoa do bem e não precisa se submeter aos rígidos mandamentos contidos nas Escrituras.

A despeito de haver pessoas boas e honestas em todas as religiões, penso que o caminho para o céu é um só, aceitemos ou não essa verdade. É claro que devemos respeitar a escolha de cada um; só não podemos ignorar o que a Palavra do Senhor ensina. Ela deixa claro que priorizar sentimentos em detrimento da verdade é um grande erro: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jr 17.9). Seria o amor entre católicos e evangélicos uma justificativa para se abrir mão da verdade?

O ecumenismo prioriza o amor, em detrimento da verdade, contrariando o que diz a Palavra de Deus em Efésios 4.14,15: “que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (ARA). Para Deus, o que vale é a unidade em amor, em torno da verdade (Jo 13.35), e não a unidade com aqueles que ensinam falsas doutrinas ou apoiam comportamentos anticristãos.

Se o amor anulasse a verdade, e devêssemos, em decorrência disso, tolerar o erro, em prol da unidade, por que o Senhor Jesus disse as seguintes palavras? “Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas; para que não as pisem e, voltando-se, vos despedacem” (Mt 7.6).

O amor sem a verdade é fraco e sem influência. Já a verdade sem o amor é rígida demais, sem misericórdia. O amoroso Deus é santo e justo, e aqueles que permanecerem no pecado, por mais convincentes que sejam as suas argumentações, serão lançados no inferno, e a sua parte “será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte” (Ap 21.8).

Não é fácil comunicar o Evangelho a uma geração que ouve com os olhos e pensa com o coração. Mas o verdadeiro amor não abre mão da verdade. O amor de Deus não anula a sua santidade. Amor não é sinônimo de tolerância. Quem ama o Senhor deve se submeter aos seus mandamentos, pois amá-lo implica fidelidade à Palavra: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (Jo 14.23).

O apóstolo Tiago, depois de mostrar que o amigo do mundo é inimigo de Deus (4.4), afirmou: “Sujeitai-vos, pois a Deus...” (4.7), pois quem o ama se sujeita à sua vontade. E, em 1 Coríntios 16.22, Paulo declarou: “Se alguém não ama o Senhor Jesus Cristo, seja anátema; maranata”. Se católicos e evangélicos devem se unir em amor, sem levar em conta a verdade da Palavra de Deus, por que o apóstolo foi tão categórico ao dizer que está sob ou é anátema — amaldiçoado, condenado — quem não ama Jesus?

É claro que Paulo não sugeriu uma “guerra santa” entre os evangélicos e os católicos. Porém, a solução para o mundo não é a união de todos em torno de suas próprias verdades, criadas mediante consensos, e não recebidas do alto (1 Co 11.23). É do Senhor que vem a verdade, através das Escrituras, pois somente elas são divinamente inspiradas e proveitosas para ensinar, redarguir, corrigir e instruir em justiça (2 Tm 3.16).

Aparentemente, o ecumenismo está coberto de coerência, haja vista firmar-se no pressuposto de que cada pessoa possui a sua crença, e que devemos respeitá-la. Parte-se do princípio “democrático” de que cada um tem o direito de acreditar no que quiser sem ser incomodado, desde que guarde consigo a sua verdade e não emita nenhuma opinião sobre as verdades alheias. Isso já vigora em boa parte da Europa e dos Estados Unidos — o que chamam de liberdade ou exercício pleno da democracia.

Nada tenho nada contra os padres galãs e as pessoas que seguem ao catolicismo romano. Entretanto, a Palavra de Deus é clara: “E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem” (At 5.32). Ora, quem ainda tem Maria por mediadora e Pedro por fundamento da Igreja obedece ao Senhor? Não! Por isso, Jesus afirmou que o mundo não pode receber, ver e conhecer o Espírito da verdade, que está em nós (Jo 14.17).

Amém?

Ciro Sanches Zibordi

19 comentários:

Clécia Ferreira disse...

Prezado Pr. Ciro, ontem recebemos uma notícia maravilhosa, na igreja que congrego recebemos a notícia de que o senhor irá ministrar o 3º seminário da Harpa Cristã, sou uma admiradora do seu trabalho e da maneira como Deus o usa no seu ministério, será uma honra recebe-lo na nossa igreja em Brasília! Fica na paz!

Diógenes Spartalis, diácono disse...

Glórias a Deus, pastor Ciro.
A Ele toda honra e glória, todo louvor sejam dados a Jesus que é o Único Caminho, como Ele mesmo diz: "Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida." Fiquemos com o que nos diz a Santa e Infalível palavra de Deus. Amém...

HELIO COSTA disse...

a paz pastor ciro
permita-me so acresentar algo sobre a palavra ecumenismo.

Ecumenismo (ou eucumenismo) é o processo de busca da unidade. O termo provém da palavra grega "oikos" (casa), designando "toda a terra habitada". Num sentido mais restrito, emprega-se o termo para os esforços em favor da unidade entre igrejas cristãs; num sentido lato, pode designar a busca da unidade entre as religiões ou, mesmo, da humanidade. Neste último sentido, emprega-se também o termo "macro-ecumenismo".

O Dicionário Aurélio define ecumenismo como movimento que visa à unificação das igrejas cristãs (católica, ortodoxa e protestante). A definição eclesiástica, mais abrangente, diz que é a aproximação, a cooperação, a busca fraterna da superação das divisões entre as diferentes igrejas cristãs.

Do ponto de vista do Cristianismo, pode-se dizer que o ecumenismo é um movimento entre diversas denominações cristãs na busca do diálogo e cooperação comum, buscando superar as divergências históricas e culturais. Segundo a Igreja Evangélica Luterana do Brasil, o termo ecumênico quer representar que a Igreja de Cristo vai além das diferenças geográficas, culturais e políticas entre diversas igrejas[1]. Nos ambientes cristãos, a relação com outras religiões costuma-se denominar diálogo inter-religioso.

fica na paz

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor Ciro!!!

Pastor Ciro, quero te passar esse link: http://novotempo.com/videos/namiradaverdade/?video=3

Nesse video eles dizem que bíblicamente podemos nos batizar, também diz, que as principais doutrinas do periodo do anti-cristo será a guarda do domingo e a imortalidade da alma, segundo eles essas doutrinas pertence a babilonia de apocalipse.

Tenho uma prima que já está cheio de duvidas por causa desse programa, e não é só ela, pois nesse mesmo programa uma irmã pede informação sobre o reebatismo.

Um grande abraço!

Jean Patrik

Diácono Valtair disse...

Caro pr. ciro
Basta ligarmos a emissora da chamada canção nova ou renovação cárismática e ver os padres ,pregarem como pastores evangélicos , nós sabemos que as pesquisas comprovam que nós evangélicos nós próximos anos seremos a maioria ou quase a maioria . É claro que devemos respeitar as pessoas independente das sua crenças ou convicçôes, eu particularmente sou totalmente contra toda e qualquer forma de ecumenismo.
Quem não tem conhecimento e ligar na canção nova e ver monsenhor jonas abib ou padre fábio de melo falando vão dizer que é um pastor!
Existe hoje um certo padre por nome de cleodon amaral , ex-pastor da Assembleia de Deus , que anda dizendo que só agora conheceu a verdade em maria , sinceramente eu não entendo!!!
Pr. ciro eu poderia escrever mais , mas até aqui é o sulficiente!
abraço!

Jean Patrik disse...

bíblicamente podemos nos batizar

Errei!

é batizar novamente.

Jean Patirk

William Moghrabi disse...

Prezado Pr.Ciro, o que tenho a dizer é que sou muito grato ao Senhor Jesus pelo que Ele tem entregado a ti e de fato pelo que Ele tem de aceitável para o senhor; e lhe digo que faça aquilo que o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo tem de aceitável. fique na paz do nosso Senhor...

Rafaelly disse...

Amém , amém e amém! Faz pouco tempo q conheço o seu blog e estou encantada com a sabedoria q recebeste do Senhor! Q Deus continue te usando e te abençoando, suas palavras são claras , e nós leigos conseguimos entendê-las com perfeição. Sempre fui contra ao ecumenismo e agora tenho mais certeza ainda daquilo q acredito! A Paz De Jesus !

Pr. Edvaldo Brito disse...

Pr. Ciro a paz do Senhor Jesus;
gostaria de colocar no meu blog esta mensagem, bem como sobre a de B H. peço-lhe permissão para fazer-lo, aguardo resposta.
brito_edvaldo@hotmail.com ou cbgpaz.blogspot.com

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo e nosso pr. Ciro Zibordi,

A paz do Senhor!

Certamente, a aproximação católica + evangélica, marca com procedência a desgraça que está por vir.

Não podemos aceitar que se processe em nosso meio a possibilidade deste retrocesso par a igreja.

Entendemos que a verdadeira igreja é invisível, e está em carreira de assumir o dito final. O Arrebatamento! Este que está às portas. Aleluia!

A chamada igreja católica é a expressão do desacato à Palavra de Deus, e sutilmente se aproveita dos desvios de líderes evangélicos, que caminham sedentos em sí mesmos com o sangue de ovelhas desatentas pela falta de conhecimento ao evangelho verdadeiro.

É momento de ATALAIAR!

O Senhor seja contigo, nobre amigo e atalaia!

O menor de todos os menores.

Luciano de Paula Lourenço disse...

Em 2Corintios 6:14-7:1, o apóstolo Paulo instrui os cristãos a manter-se separados dos incrédulos, da iniquidade, das trevas, do maligno e dos ídolos. Paulo ataca com vigor a tese da união entre todas as religiões. Ele resiste fortemente ao ecumenismo universalista. O pensamento de que toda religião é boa e todo caminho leva a Deus está em completo descompasso com a Escritura. Não há comunhão verdadeira fora da verdade. Em 2Co 6:16 ele declara que não há consenso entre Deus e os ídolos, pois se cada crente é templo do Deus vivo, não pode haver em seu interior imundícias que profanem a vida cristã. Assim, devemos abster-nos de todo tipo de relacionamento que nos leve a transigir nossa fé ante o paganismo.
Em Cristo,
Luciano Lourenço

disse...

Destacando:
O amor sem a verdade é fraco e sem influência. Já a verdade sem o amor é rígida demais, sem misericórdia.

Não é fácil comunicar o Evangelho a uma geração que ouve com os olhos e pensa com o coração.

Muito bom.Virou frase para meu blog rsss, concordo contigo, plenamente. Pois a verdadeira intenção é de arrebanhar os que foram perdidos por eles. O ecumenismo para os católicos é para promover a restauração da unidade entre todos os cristãos é um dos principais propósitos do Concílio Ecumênico Vaticano. Eles alegam que Jesus Cristo não esta dividido e que ele fundou uma única igreja. E como Jesus não esta dividido, não tem como se professar ser discípulo do Senhor, e caminhar por rumos diferentes, como se o próprio Cristo estivesse dividido, dizem que esta divisão, contradiz abertamente a vontade de Cristo e é escândalo para o mundo, como também prejudica a pregação do Evangelho a toda a criatura assim eles alegam. Eu acho isso forçassão de barra e uma tremenda apelação para quem pensa com o coração como você disse. Mas os que estão alicerçados na palavra, os que já ouviram a verdadeira pregação não cai nessa. Paz!

Anônimo disse...

A paz de Cristo Jesus. Pastor Ciro, Deus condena o ecumenismo. O que tem que ser pregado nao é uma mensagem hipócrita de paz, amor e união, pois não pode existir união em torno do erro. Para este mundo Arrependimento, salvaÇao e separação do pecado é o que garante paz e amor para a eternidade. Este mundo ja esta condenado deste o pecado de Adao. Nunca tera paz. O proprio cristo disse que nao veio trazer paz MATEUS 10:34, a fé em Cristo separa o crente do mundo. Estou sempre orando pastor, para que Deus me dê sabedoria semelhante a sua e para que ele de cada vez mais saúde, sabedoria e discernimento para o senhor. A paz do Senhor Jesus.

Anônimo disse...

Keyson Basílio: A paz de Cristo Jesus. Pastor Ciro, eu já estou práticamente seu ''fã'', vou colar um ''poster'' seu na minha porta! (brincadeira)

REGINALDO A D SANTOS disse...

Gostaria de acrescentar esse detalhe:
A União de todas as Religiões será a porta para a FALSA PAZ do Anticristo (o "Executivo Mundial" - príncipe britânico) através do papa (o Falso Profeta).
Em breve, isso se concretizará na manifestação do "Cristo Cósmico (Baha'u'llah), o esperado de todas as religiões.
Um dos mandamentos de Baha'u'llah é "vivei em paz com os seguidores de todas as religiões."

Assista os vídeos de meu canal:

www.youtube.com/user/tempodoapocalipse

Que o Altíssimo te abençoe!
MARANATA! JESUS VEM BREVE!

Thiago A. Silveira disse...

Pr. Ciro...

O ecumenismo é análogo ao colesterol podendo ser bom ou mau. Deixa eu esclarecer. É preciso distinguir entre ecumenismo, macro-ecumenismo e diálogo inter-religioso. Meu professor de ecumenismo e teologia sistemática na Faculdades EST, Dr. Rudolf von Sinner, falava que o termo ecumenismo poderia ser usado de várias maneiras e a partir de diversos modelos e maneiras de compreendê-lo. Von Sinner ensinava ser melhor usarmos o termo ecumenismo “para a busca da unidade entre cristãos” (Ecumenismo. Faculdades EST, apostila não-publicada, EST/2010, p. 4), ou seja, entre aqueles que professam a fé em Jesus Cristo como único e suficiente salvador. Partindo dessa definição, o ecumenismo é algo desejável e presente no propósito de Jesus desde o princípio ( Jo 17.20ss e cf. ainda Ef 4.4ss; 1 Co 1.13a ). E o prof. Dr. Gottfried Brakemeier no livro Preservando a Unidade do Espírito no Vínculo da Paz (ASTE/2004) afirma que a busca do ecumenismo cristão jamais pode prescindir da verdade do evangelho. Aqui me vem a mente a frase de Lutero da qual Brakemeier é fiel herdeiro: “A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço”. Então o ecumenismo, nessa perspectiva, não pode ser considerado como do “diabo”, mas como um propósito estritamente cristão. O ecumenismo se torna necessário devido as grandes e pequenas divisões que assolam o corpo de Cristo desde o século I, separações e cismas que surgiram já nos dias apostólicos e que se multiplicaram no decorrer da história da Igreja, aliás, algumas que nós mesmos já presenciamos.
O problema do ecumenismo é que alguns querem sob essa rubrica construir uma religião “ecumênica” onde mais ou menos todos os caminhos levariam a Deus (como à Roma!). Isso sim é problemático e totalmente incoerente com a fé cristã histórica. Concordo com Cipriano que “fora da igreja não há salvação” no sentido de que “fora de Cristo não salvação”. O diálogo inter-religioso (macro-ecumenismo) é necessário no estabelecimento da paz e respeito mútuo, e viveríamos melhor nesta oikumene se as diferentes religiões procurasem viver em harmonia. Mas a verdade do evangelho não pode ser sacrificada por nada, pois o evangelho "é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê" (Rm 1.16).

Abraço!

Elaine Cândida disse...

O Movimento Ecumênico é um movimento anticristão, mesmo que certas igrejas afirmem o contrário.

O ecumenismo não se preocupa com missões, em alcançar pessoas com a mensagem do Evangelho para que sejam salvas, mas busca o diálogo, segundo o lema: “Creia no que eu creio e crerei na sua fé”.

Ele não busca transformação de vidas, mas sim calar a voz de quem lhe parece ameaça, com a visão do "se não pode vencê-los, junte-se a eles".

O Movimeno Ecumenista pretende construir pontes e ligar o bem ao mal, onde Deus mandou construir muros e separar os Seus filhos do mal (Is 62.6; 26.1-2; Ne 2.17-20; 6.15-16; 2Co 6.14; Am 3.3; Lv 10.10etc.).

E infelizmente essa peste tem se alastrado no meio evangélico, pelo fio condutor da falta de conhecimento da Verdade que a maioria tem vivido. De fato, "não é fácil comunicar o Evangelho a uma geração que ouve com os olhos e pensa com o coração."[1]

Fosse o contrário, os cristãos já teriam percebido que isso tudo não passa de mais uma estratégia maligna para macular a honra de Deus e do povo que forma a Igreja de Cristo em todas as raças, tribos, línguas e nações. Essa é a que vai morar no Céu.

E ela não se mistura jamais!

Shalom.

Elaine Cândida

mixx disse...

a paz do senhor querido irmao ciro sanchez,,gosto muito do seu blog

ele abril meus OLHOS em muitos aspecto
ssua palavras sao simples e objetivas,,mais faz lembra quando era pequeno ,quando minha vÔ ensiinava os mandamentos de cristo,numa pequena igreja assembleia de DEUS.. vc é diferente,vc nao fika falando de prosperidade..vc fala de DEUS como Deus na presença de DEUS,,,DEUS ABENÇOE SUA VIDA,,CONTINUE ASSIM ,,E VE SE APARECE AKI EM PARATY RJ RS

Anônimo disse...

Olá irmãos evangélicos, paz em Cristo!
Sou católico e queria fazer um comentário sobre o pronunciamento de um irmão evangélico. Ele disse: "Quem não tem conhecimento e ligar na canção nova e ver monsenhor jonas abib ou padre fábio de melo falando vão dizer que é um pastor!"
Sinceramente, irmão, eu discordo. É tão diferente! Sou católico, acompanho a Canção Nova, mas também já assisti diversas pregações evangélicas, mas acho que são diferentes!
Meu sentimento é que não haja tanta confusão, e que pela maravilhosa Misericórdia e maravilhoso Amor Divino, muitos e muitos de nós, evangélicos e católicos, possamos nos encontrar no Céu em plena comunhão! Esta "guerra" entre católicos e evangélicos oprime o coração e causa imensa tristeza, nem sei o que dizer, mas Deus tem todas respostas! Deus não deseja este confronto e tem as respostas e de alguma forma está agindo e vai continuar agindo... Do fundo do coração, que Cristo possa nos ajudar, tantos nós Católicos quanto os irmãos evangélicos trazendo as Verdades que precisam urgentemente aparecer em nossos corações; sem estas brigas, ressentimentos, ódios, defesas acirradas e preconceituosas,às quais, tanto vemos no dia a dia, inclusive em debates pela internet!
Paz em Cristo, que é puro Amor!
Paulo