terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O dedo de Deus está apontado para a Serra do Mar?

Sempre que ocorrem tragédias naturais no Brasil aparecem pessoas para dizer que Deus está derramando a sua ira sobre os pecadores. Mas gostaria de dizer aos moradores das cidades localizadas na Serra do Mar — cadeia montanhosa do relevo brasileiro que se estende por aproximadamente 1.500 quilômetros ao longo dos Litorais Leste e Sul, desde o Espírito Santo até o Sul de Santa Catarina — que vocês não moram em cidades debaixo da ira divina.

Tragédias como as ocorridas em Santa Catarina, em 2008, no Litoral Sul Fluminense e em Niterói-RJ, em 2010, e na Região Serrana-RJ, neste ano, são — indubitavelmente — sinais da Vinda de Jesus. Ele mesmo asseverou que, nesses últimos dias, haverá “em vários lugares grandes terremotos, e fomes, e pestilências; haverá também coisas espantosas” (Lc 21.11). Mas não temos apoio das Escrituras para afirmar que todos e quaisquer fenômenos meteorológicos são manifestações do juízo divino contra o pecado da humanidade.

Deus, bondosamente, faz a sua chuva descer sobre justos e injustos (Mt 5.45). Ele estabeleceu as leis da natureza, para que chova aqui e ali, muito ou pouco. Mas chove com grande intensidade em muitos lugares do mundo, e não apenas na Serra do Mar. Algumas pessoas não são atingidas pelos efeitos das grandes chuvas porque residem em lugares seguros ou porque o seu governo está preparado para prever e lidar com fenômenos meteorológicos.

Veja como tem chovido na Austrália. Há pouco tempo, também caiu em Portugal muito mais água do que vem caindo na Região Serrana Fluminense. Quantas pessoas morreram nesses países? Poucas. E nenhuma delas estava em áreas de risco. Nos Estados Unidos existe a FEMA (Federal Emergency Management Agency). Já ouviu falar dos “caixões” da FEMA, aqueles que os teólogos do terror dizem que serão usados para depositar os corpos das pessoas que serão mortas pelos Illuminatis? Esses contêineres de plástico, que podem ser vistos até em imagens de satélite feitas pelo Google Earth, são muito úteis em situações emergenciais, no resgate de corpos e de vítimas.

A FEMA é uma agência do governo destinada a serviços de emergência. Além dos “caixões”, ela possui tecnologia de última geração para prever e lidar com a força da natureza, inúmeros ônibus de evacuação, helicópteros, etc. Os Estados Unidos se preparam especificamente para terremotos, enchentes, desabamentos, incêndios e todo tipo de catástrofe. E possuem planos de evacuação em massa e de resgate de vítimas. No próprio Estado da Geórgia, onde está instalada a mencionada agência, ocorreram desastres nos últimos tempos, como tempestades e tornados, e o país estava pronto para lidar com esses fenômenos meteorológicos.

Temos exemplos também no Brasil. No ano passado, choveu de modo torrencial sobre toda cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, onde resido. Quem morreu? Pessoas que viviam em locais de alto risco ou estavam passando por esses lugares. Boa parte das pessoas que partiram para a eternidade morava no Morro do Bumba, um lixão desativado cuja ocupação foi tolerada irresponsavelmente pela prefeitura. Estavam essas pessoas sob a ira divina ou sob um governo incompetente?

Atribuir causa e efeito a todo e qualquer fenômeno natural é julgar injustamente (Jo 7.24) e assumir o papel do Juiz de toda a terra (Gn 18.25). Trata-se de uma temeridade afirmar que o Senhor está punindo a Terra através de fortes chuvas que ocorrem sempre na mesma época do ano. É claro que Deus julga nações, povos, instituições e pessoas (Rm 1.18). Ele não é apenas o Criador; é o Controlador do Universo. Ele destruiu Sodoma e Gomorra por causa de seus pecados (Gn 19). Mas Ele, que é um Deus misericordioso, envia os seus profetas para avisar os pecadores, haja vista não ter prazer na morte das pessoas (Ez 18.32; Jn 1.1-17).

Segue-se que está na hora de pararmos de responsabilizar o Criador pelas más escolhas de moradia das pessoas, junto às encostas (mesmo que a maioria esteja morando nesses locais de risco por falta de opção). Ele não deve ser responsabilizado pelo despreparo do Brasil em prever catástrofes naturais e lidar com elas, tampouco pela tolerância dos governantes às tais ocupações irregulares, que ocorrem ao longo de muitos anos, e não da noite para o dia.

Tenho esperança de que a presidenta Dilma Rousseff e sua equipe de ministros, os governadores, os prefeitos, os senadores e os deputados darão, a partir de agora, maior atenção à vida humana, como já fazem os países desenvolvidos.

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

13 comentários:

Orlando disse...

Valeu Zibordi! Pelo menos alguma relação teológica/escatológica, e não o ostracismo de alguns pragmáticos extremados querendo defender a todo custo o silêncio de Deus - Romanos 11.22 (ARC) para eles!!!

Abraços e forças a todos os irmãos cariocas da gema!
souteologico.blogspot.com

Tiago Rosas disse...

Ilustre Pr. Ciro,

Pertinente artigo!

Fato é que a Bíblia nos deixa espaço para pensarmos das duas formas: manifestação da ira divina sobre os pecadores (e aqui não há inocentes, haja vista "todos pecaram"); e irresponsabilidade humana, que seja por miséria (os pobres desafortunados que se fazem habitar nas encostas de morros) ou por ganância e vaidade (os ricos que se expõem ao perigo construindo mansões em lugares paradisíacos) acumulam para si própria destruição.

E estou certo de que uma coisa não anula a outra. Mas se medirmos bem, tudo se encerra no "de que se queixa o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados".

Aqui só não cabem os extremos. Generalizar e dizer que TUDO é ira divina, ou que TUDO é apenas irresponsabilidade humana nos incorre em dois erros sutis: espiritualização exacerbada para tirar do homem a sua resposabilidade social ou humanização extremada dos fatos que "tiram" de Deus a sua soberania e sua liberdade de julgar a terra.

Mas concluo que o momento é mais propício mesmo para pregamos o amor, a força da fraternidade, a doação pela causa alheia; bem como declararmos aos homens a sua fragilidade, a sua insuficiência para salvação e a sua necessidade da graça divina quer sejam ricos ou pobres, ainda mais diante da iminente volta de Cristo que é prenunciada pela força da natureza!

"Vinde contemplai as obras do Senhor, que desolações Ele tem feito na terra!" (Sl 46.8)

"E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis" (Lc 13.4,5)

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Tiago Rosas,

Agradeço-lhe pela participação. Mas jamais podemos chamar de juízo divino as fortes chuvas que ocorrem SEMPRE no começo do ano. Isso faz parte das leis naturais que Ele estabeleceu, e não do seu juízo, que se manifesta de modo específico e claro, como em Sodoma e Gomorra, Nínive, etc.

Chamar as catástrofes (todas) de juízo divino é temerário. Niterói, no ano passado, foi "julgada". Mas só o povo do morro foi atingido pela "ira divina"...

Por isso, afirmo categoricamente que os moradores da Serra do Mar, especificamente, não estão debaixo de juízo divino. Eles são vítimas, e não vilões. É claro que, de modo geral, ninguém é inocente. Mas a chuva de Deus cai sobre maus e bons, assim como o seu sol brilha sobre justos e injustos.

Em Cristo,

CSZ

disse...

Sabemos que tudo aconteceu foi pelo abandono e descaso das autoridades,e não de Deus.
É preciso que existam galerias pluviais, é preciso desocupar as áreas de risco. Toda essa lista de coisas parece emergir em um consenso transparente e inacreditável. Espero que quando o sol sair, seja feita alguma coisa. como obras de infra-estrutura que melhoraram o escoamento das chuvas, que os bueiros sejam limpos e não tomados de lixos que a população aprendam a jogar o lixo no lixo. Que desocupem as encostas ocupadas, sabemos que é difícil remover milhares para lugares planos,mas que pensem em uma solução. Triste é saber que os políticos que hoje aparecem nos telejornais sem saber o que fazer continuarão sendo eleitos, e muita gente continuará colocando a culpa em Deus. Isso é lamentável

Anônimo disse...

Muito bem, pr. Ciro! Está corretíssimo a sua interpretação! Jamais, à luz da Palavra de Deus, podemos atribuir Juizo divino ao que está acontencendo no RJ.
Um abraço!

disse...

Ah, adorei a foto do post, o dedão apontando para os culpados de fato. Paz querido.

Fratermaurício disse...

Caríssimo, saudações fraternas em Cristo!
Podemos afirmar que a ira divina realmente não está voltada para os moradores dessa região serrana; contudo, pode ser admissível que recaia sobre seus administradores irresponsáveis. Paz!

edineudo disse...

ea paz do senhor pr, admiro o seu trabalho,para mim deus permite estas coisas para nos alerta,pois muitos estão dormindo. é o meu pensamento.

Maikon disse...

A paz do senhor
Pr Ciro, sou leitor assíduo do seu blog, o qual tomei conhecimento em um congresso de jovens aqui em bh
Em relação ao assunto das chuvas no Rio de Janeiro, já tem muita gente sem bíblia dizendo que o anjo da morte, o anjo do conserto e blá, blá , blá, está passando no nas cidades fluminenses castigando os cariocas,falo por que ouvi isso de pregadores ( aqueles que gritam receeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeba).E claro que os sinais da vinda de cristo são evidentes,contudo atribuir ou mesmo demonizar ações da natureza? Puxa vida.... Deus não tem culpa se alguns moram em áreas de grande risco ou encostas... Vejo que até em momentos como estes muitos desavisados fazem mal uso da palavra de Deus.
Maikon Evangelista
A.D. BH

Orlando disse...

Do ponto de vista sociopolítico - as pessoas não devem ficar esperando tudo do governo - pois vão ficar esperando eternamente! Somente um demente não sabe que o Estado brasileiro é desprezível/débil e extremamente corrupto! Antes do governo e das leis as pessoas precisam aprender a tomar iniciativas e certos cuidados com suas vidas - zelar mais pelo seu individual e sua família - protegendo-as até o quanto possível! Muitos constroem suas "casas" em lugares que nem os bichos fazem suas tocas! (Vale também dizer que a especulação inflacionista imobiliária maldita tem certa parcela de culpa em tudo isso - 2dorm. R$800, R$900 e até mais - o morro deveria cair sobre vossas cabeças!) Vivemos num país de maioria dinheirista e irracional!

Abraços!

Filósofo Calvinista disse...

Pr.Ciro, demais irmãos:

Evidente que não sou a favor dessa "escatologia aterrorizante". Contudo, quando o senhor diz "vocês não moram em cidades debaixo da ira divina", penso que,neste ponto, caberia uma reflexão. A Palavra de Deus nos diz que a terra (toda ela e não apenas parte) está debaixo da maldição de Deus, correto? Portanto, apesar de ter entendido o enfoque que se quis dar, não podemos esquecer desse ensinamento das escrituras.

Gostaria de convidar a todos para lerem e comentarem nossa postagem, que trata sobre esse assunto, intitulada "A ORIGEM DAS TRAGEDIAS HUMANAS", em:

http://www.filosofiacalvinista.blogspot.com

Anônimo disse...

Prezado Pastor Ciro,

Achei muito pertinente, mais uma vez, esta explanação.

Faz-se até urgente explicações como esta para, ao menos, diminuir as tantas vozes que desejam, sempre, mistificar tais ocorrências.

Gostaria de aproveitar e lhe perguntar se o senhor pode nos dar uma orientação ou qualquer argumentação, mínima que seja, no sentido de sabermos se administradores ou responsáveis políticos da população (os lideres do País) possam vir a ser responsabilizados num plano espiritual por tais descasos.

Pois sabemos que caberiam aos administradores do País criar, ao menos, sistemas preventivos que minimizassem tais ocorrências.

Como o senhor bem lembrou, em Portugal, EUA, dentre outros (inclusive Austrália) tais ocorrências também ocorrem, porém com registros de menores vítimas fatais, se comparadas ao Brasil.

Em síntese gostaria de saber se no plano de Deus há a possibilidade dos líderes administrativos terem que responder um dia por tais vidas perdidas.

Mais uma vez Obrigado,
que Deus abençoe à sua família,

Mauricio Moreira
Petrópolis-RJ

Anônimo disse...

Pastor Ciro,
permita-me,

Aproveito para lembrar a alguns, particularmente aos que gostam de mistificar todo e qualquer acontecimento catastrófico, que antes de julgarem, como secretários de Deus na terra (irônico), saibam que no caso de Petrópolis, em particular, a população MAIS AFETADA é justo aquela que mora em áreas de risco de desabamento.

E por seguinte, infelizmente, aquela população mais carente que não pode e não tem meios de escolher, prevenir ou reforçar, de algum modo, o entorno de suas habitações.

Por fim gostaria de deixar apenas uma citação aos que falam e lançam a sentença sem antes examinar às escrituras, ou seja, à parcela do povo de Deus que não lê a Bíblia (seus secretários na terra):

Palavras de Jesus:

"1 E, NAQUELE mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios.

2 E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?

3 Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.

4 E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?
" - Lucas 13:1~4;

Que Deus abençoe rica e abundantemente à sua família!

E que Deus nos proteja de seus secretários, maus leitores bíblicos, por toda a face da terra, no momento em particular, em Teresópolis, Friburgo e Petrópolis!

Na Paz de Deus pastor Ciro!
E desculpe-me o desabafo.

Mauricio Moreira
Petrópolis-RJ (região serrana fluminense)