segunda-feira, 11 de outubro de 2010

A teologia, a filosofia e a Bíblia



O que é a filosofia? Este vocábulo é formado por dois termos gregos: filos, que traduz a ideia de amor, e sofia, que significa “sabedoria”. Segue-se que a filosofia é o amor à sabedoria.

Pertence à filosofia o estudo geral dos seres, do nosso conhecimento e do valor das coisas. Sua finalidade é desvendar as relações de causas e efeitos entre as coisas. Ela abrange os mais diversos tipos de conhecimento. Em termos mais específicos, podemos situar dentro do campo filosófico os estudos que se referem à teoria do conhecimento, os fundamentos do saber científico, a lógica, a política, a ética e a estética.


Muitos têm dito que a filosofia é uma coisa tal, que sem a qual o mundo continua tal e qual. E afirmam também, de modo desdenhoso, que filósofo é alguém que, levando toda a vida na miséria, cria teorias sobre a miséria de toda a vida. Não acredito nisso. Para mim, a filosofia é uma ciência fascinante, que estimula os indivíduos a pensarem e os coloca em contato com grandes pensadores do passado. Mas, se ela for supervalorizada, a ponto de tornar-se a fonte primária de autoridade para um teólogo, em detrimento da Palavra de Deus, problemas surgirão.


Conta-se que um jovem aprendiz de filósofo, passando por uma grande crise existencial, resolveu pensar, pensar, pensar... até conseguir uma resposta para o seu problema. Com o objetivo de descobrir quem ele era de fato e o que estava fazendo no mundo, pensou: “Eu não sou ninguém... Mas, sabe de uma coisa? Ninguém é perfeito...” E continuou estabelecendo conexões: “Espera aí. Deus é perfeito” — pensou. — “Logo, eu sou Deus!”


Ainda admirado com a sua descoberta, o rapaz pensou mais um pouco e afirmou, dialogando consigo: “Não devo ficar triste, pois Deus é amor. É... mas o amor é cego... Bem, Stevie Wonder é cego. Então, eu sou Stevie Wonder!” Mas, antes que ele vibrasse com a sua nova descoberta, pensou mais um pouco e concluiu: “Meu Deus, eu estou cego!”


O “causo” anedótico acima, usado para exemplificar erros de lógica, pode ser tomado também para enfatizar que, em teologia, o exercício do pensamento sem a devida orientação da Palavra de Deus e a iluminação do Espírito pode conduzir um pensador a conclusões absurdas. Afinal, o homem natural não pode compreender as coisas do Espírito de Deus (1 Co 2.14). Ele precisa aceitar pela fé as verdades contidas nas Escrituras.


Sabemos que é da natureza da filosofia não se conformar com respostas únicas, definitivas, rígidas e estáticas, como: “Todos pecaram” (Rm 3.23) ou “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (Jo 14.6). É função da filosofia dizer o contrário, sempre, haja vista a sua riqueza residir na pluralidade, na valorização do questionamento e na problematização. Ah, então os estudiosos da Bíblia estão proibidos de pensar e questionar? Não! Mas os questionamentos e o exercício da lógica humana, ao meditar numa passagem da Palavra de Deus, devem ter como objetivo assimilar as verdades reveladas pelo Espírito Santo, e não conceber “verdades” próprias.


A filosofia busca, também, desenvolver no indivíduo o senso crítico, o que, para o crente em Jesus, pode ser positivo ou negativo. Positivo, se estivermos submissos ao Espírito Santo e conscientes de que a Bíblia é a Palavra de Deus. Negativo, se confiarmos em nosso limitado raciocínio (Sl 25.14; Mt 11.25). Embora pensar seja importante, não devemos nos valer da finita lógica humana para questionar as verdades da Palavra de Deus, como fazem os unicistas, ao negarem, erroneamente, a inquestionável doutrina da Trindade.


Portanto, em vez de pensarmos que sabemos tudo mediante a lógica humana, oremos como o salmista: “Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei” (Sl 119.18). Isso denota submissão, humildade, para aceitar a revelação divina. E muitos teólogos não querem se submeter à Palavra de Deus, preferindo confiar em seu limitado raciocínio (1 Co 2.14-16).


Em Cristo,


Ciro Sanches Zibordi

6 comentários:

Regozije em Cristo! disse...

Ótimas palavras, Pr. Ciro. Louvo a Deus por estas explicações. Que Deus continue te abençoando a cada dia até o aparecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.

Eu publiquei esta matéria em meu blog indicando as fontes.

Deus te abençoe,
Eduardo Carolino

Honório Guedes disse...

A Paz do Senhor Pr. Ciro, gostei de seu texto muito elucidativo, mostrando que a filosofia nos leva a pensar e questionar, porém a Bíblia a Palavra de Deus continua sendo a verdade inquestionável.

Abraços fraternais,

Jeú disse...

Explêndido..
Tal afirmação venho ao encontro de minhas necessidades e sanou-as.

Jeú disse...

Explêndido...

disse...

Muito bom seu artigo. Bom demais!

Izaldil Tavares de Castro disse...

Caro Pastor Ciro,
Parabéns! Um homem voltado para uma verdadeira Teologia não menospreza a Filosofia; usa-a, contudo, como ferramenta (que é) para mais se aproximar das mais puras e absolutas verdades do Senhor nosso Deus.
Deus continue a enchê-lo de saber e de Sabedoria.