quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Erros etimológicos que os pregadores devem evitar (3)


Um grande erro etimológico que pregadores, ensinadores e teólogos cometem é o de confundir semelhança com igualdade. Nos textos de Romanos 8.3, Filipenses 2.7 e Hebreus 2.17, por exemplo, empregam-se termos gregos que estão corretamente traduzidos para “semelhança” e “semelhante”. Entretanto, alguns teólogos, ignorando o étimo desses termos — talvez para amoldar o texto bíblico à sua eisegese —, insistem em afirmar que os tais podem ser traduzidos, sem prejuízo às ideias originais dos autores sagrados, para “igualdade” ou “igual”.

Na língua portuguesa, embora seja usual e comum, em alguns textos, considerarmos as mencionadas palavras sinônimas, o étimo delas é bem diferente. Houaiss mostra que o termo “igualdade” (lat. aequálìtás,átis) tem como característica original não apresentar diferença de qualidade ou valor; ou “de, numa comparação, mostrar-se as mesmas proporções, dimensões, naturezas, aparências, intensidades”. Já a palavra “semelhança”, segundo o seu étimo (lat. similiáre por simìlo,ás,ávi,átum,áre), denota “parecença entre seres, coisas ou ideias que têm elementos conformes, independentemente daqueles que são comuns à espécie”.


Filipenses 2.6,7 é uma passagem muito útil para exemplificar como os termos “igualdade” e “semelhança” são etimologicamente diferentes também no grego do Novo Testamento. Na frase “não teve por usurpação ser igual a Deus”, o vocábulo grego é isa. Este, segundo W.E. Vine, denota “o mesmo em tamanho, número e qualidade” (VINE, W. E., Dicionário Vine, CPAD, p.699-700) e aparece também em João 5.18: “Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual [ison] a Deus”.

Já na frase “fazendo-se semelhante aos homens”, o termo grego empregado é homoiõmati. Este, de acordo com Vine, denota: “aquilo que é feito como algo, semelhança”. Sobre a aludida frase, especificamente, ele afirma: “A expressão ‘semelhança de homens’ (ARA) por si só não implica, muito menos exclui ou diminui, a realidade da natureza que Cristo assumiu [...] Cristo, embora sem dúvida Homem perfeito (Rm 5.15; 1 Co 15.21; 1 Tm 2.5), foi, por causa da natureza divina presente nEle, não apenas e meramente homem, [...] mas o Filho encarnado de Deus” (idem, p.982).

É, portanto, um erro etimológico grosseiro afirmar que, em Romanos 8.3, e/ou em Filipenses 2.7, e/ou em Hebreus 2.17, os termos “semelhança” ou “semelhante” podem ser traduzidos, sem prejuízo à ideia original dos autores sagrados, por
igualdade” ou “igual”. Na primeira e na segunda passagens, o termo empregado foi homoiõmati (“semelhança); e, na terceira, homoiothenai (ser feito semelhante).

O curioso é que boa parte dos teólogos que não reconhece as claras diferenças entre isos (“igualdade”) e homoiõma (“semelhança”) faz questão de afirmar que existe diferença entre allos e heteros. Segundo Vine, o termo allos “expressa uma diferença numérica e denota ‘outro do mesmo tipo’; o termo heteros expressa uma diferença qualitativa e denota ‘outro de tipo diferente’. Cristo prometeu enviar ‘outro Consolador’ — allos, ‘outro como Ele’, não heteros (Jo 14.16) [...] Paulo fala de ‘outro [heteros] evangelho, o qual não é outro’ — allos, outro como ele pregava (Gl 1.6,7)” (idem, p.839).

Concluo, pois, com algumas perguntas a todos os que prezam a teologia exegética:

Por que os mesmos pregadores, ensinadores e teólogos, que conseguem ver a evidente diferença entre allos e heteros, equiparam — por sua conta e risco — os termos isos e homoiõma?

Se a diferença entre os aludidos termos é tão insignificante e desprezível, a ponto de um poder ser tomado pelo outro, como se fossem sinônimos, por que a maioria dos eruditos que trabalhou nas traduções bíblicas para os idiomas inglês, espanhol e português fez questão de empregar o mesmo termo? (Na maioria das traduções, emprega-se sempre “semelhança” em Romanos 8.3, Filipenses 2.7 e Hebreus 2.17.)

É aceitável que a opinião de homens falíveis esteja acima das Escrituras?

Em Cristo,


Ciro Sanches Zibordi

7 comentários:

Laudinho Botelho disse...

Amado Pastor, a Paz de cristo, parabenizo por esta postagem sobre etimologia realmente temos que prestar bastante atenção em cada Palavra das escrituras e buscar a sua etimologia em cada Palavra para que não incorramos ao erro de interpretar as Palavras das Escrituras a bel-prazer sem investigar a Palavra para chegar a seu étimo. observei bem estas Palavras no dicionario grego e é exatamente como o Senhor explicou;

Igual= ισος isos -> igual, em quantidade e qualidade

semelhança= ομοιωμα homoioma ->1) aquilo que foi feito à semelhança de algo
1a) figura, imagem, semelhança, representação
1b) semelhança, i.e., similitude, que está próximo à igualdade ou identidade.

aí Palavra semelhança "homoioma" diz tudo está próximo a Igualdade(risos)mas não é Igual.

já o grego ISOS é igualdade em quantidade e qualidade, mostra que a natureza Divindade é igual a Deus enquanto a natureza humana é próxima semelhança "homoioma' dos homens, mas não é igual aos homens,esta próximo a Igualdade mas não é Igual aos homens,apenas semelhante.

Gostei do Estudo,conferi,e estou pronto para aprender.

Graça e Paz

Gilson disse...

Por causa da lei do menor esforço. Da muito trabalho (para algumas figuras) pesquisar, entender, meditar, ver textos, contextos, dinamica dos fatos, etc. Mais facil empurrar com o barrigão e seguir os famosos "costumes denominacionais" e ainda dizem: "Porque mudar o que esta dando certo"?. Deu certo, então deve ser verdade, pensam.
E como dizia minha avo:"Pensando morreu um burro".

Escola Bíblica Dominical - Seminário Teologico Permanente disse...

Caríssimo pr Ciro,

Acompanhando seu estudo sobre COISAS QUE A BÍBLIA NÃO DIZ e ERROS ETIMOLÓGICOS QUE OS PREGADORES DEVEM EVITAR, me fez lembrar de uma palavra bem simples (para nós hoje) que Jesus disse à mulher samaritana: “Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna” (João 4.14). Com está palavra ganhei a primeira pessoa para Cristo no primeiro dia em que evangelizei na vida... Nunca esqueço disso! (risos).

Glória a Deus, pois a Fonte está a jorrar em ti, meu irmão, de maneira maravilhosa, surpreendente e excepcional. PA-RA-BÉNSSSSS!!!

Estou felicíssima em vê-lo escrever com tanta unção e graça; tem-se feito entender claramente, o que lhe é peculiar!!!

Só temos que agradecer a Deus por sua vida, disposição, coragem e dedicação ao Reino de Deus!!!

Um abraço!
Continuamos orando pelo sr e família!!!
Simone Tavares.

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo e nosso pr. Ciro Zibordi,

A paz do Senhor!

Penso que dá para preparar um novo livro com este título.

Com a quantidade de erros etimológicos em evidência, possivelmente seria uma coleção de livros. Mãos à obra!

O Senhor seja contigo, nobre pastor!

O menor de todos os menores.

Izaldil Tavares de Castro disse...

Pastor Ciro,
Dá para discordar do prezado pastor Newton Carpintero? De forma alguma! Gostei, também, do que disse o Gilson: "se está dando certo, então, é verdade". Onde fica a Lógica, não é? Muitos, entretanto, agem assim, "relaxadamente". A Bíblia, porém, chama de malditos os que fazem a obra fraudulentamente. Maldito, também, é "o que preserva a sua espada do sangue". Sem dúvida, esse não é o seu caso, pois o irmão tem ido à luta. Deus o abençoe e lhe dê fortaleza para o combate, fiel soldado!
Fraternalmente,
Tavares.

Aelson Junior disse...

Pastor, a paz do Senhor.

Excelente artigo pastor, fico feliz e motivado quando vejo alguém como o senhor se importando em cuidar das ovelhas do Senhor Jesus.

Esse artigo me fez lembrar de um versículo que muitos tem utilizado de forma errada e eu queria, se possível, que o senhor me explicasse:
"Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns" (1Co 9.22).

Até que ponto temos que nos fazer "tudo para com todos"? Pois, muitos tem utilizado esse versículo para tentar fundamentar o uso dos ritmos mundanos com o pretexto de ganhar vidas.

Deus o abençoe!

Anônimo disse...

Querido pastor, os seus ensinos tem nos edificados de forma significativa. Suas postagens tem sido relvante, acredito que pra todos que acessam seu blog. Deus continue te usando e te abençoando garndemente.