quarta-feira, 15 de julho de 2009

Os dois lados do Santo Sudário


Milhões de pessoas, em todo o mundo, gostariam de ver de perto a maior relíquia do romanismo: um pedaço de pano chamado de Santo Sudário. Entre manchas envelhecidas de sangue, de água e de tecido queimado, percebe-se, com algum esforço, a imagem de um homem barbudo e despido. Para muitos fiéis católicos, não há dúvida: é a imagem do corpo de Jesus, que, segundo a Bíblia, foi envolto em lençóis (Jo 20.1-7).

Há vinte anos, exames atestaram que o lençol era uma fraude. Para muitos cientistas, o pano não tem a mais remota chance de ser da época de Cristo. Ou alguém o produziu querendo fazer crer que era o sudário verdadeiro, ou ele foi usado num funeral da Idade Média, e tudo não passa de uma grande coincidência. Constatou-se, finalmente, que a imagem fora criada na Idade Média a partir de pinturas bem trabalhadas.

Entretanto, estudiosos de diversas áreas têm reaberto a polêmica em torno da autenticidade do sudário. Apesar de, na Idade Média, as crucificações já serem coisa do passado, seria praticamente impossível que um pintor conseguisse produzir uma imagem tão clara de um homem crucificado. O tecido possui várias camadas de fibras e apenas a mais superficial delas apresenta outra tonalidade, criando o desenho. Como o pintor conseguiria tal proeza?


Em 1898, o fotógrafo profissional italiano Secondo Pia, ao retratar a relíquia, levou um susto: no negativo, surgia a imagem nítida do corpo que, no pano, aparece embaçado. Foi esse efeito do negativo que fascinou tanto os estudiosos céticos quanto os crédulos. Todos, admirados, passaram a admitir que, se o pano for uma fraude, trata-se da mais enigmática e mais bem elaborada da História.

Diversos tipos de análise foram favoráveis à autenticidade da mortalha. Mas o teste do carbono 14 confirmou que o tecido data de um período compreendido entre 1290 e 1390, não podendo ser de Cristo. Esse teste — realizado com base na quantidade de átomos radioativos de carbono impregnada em um objeto de origem orgânica — é conclusivo. Ou melhor, quase conclusivo, pois outros detalhes precisam ser considerados.


Em 1503, o sudário foi fervido em óleo. O objetivo era provar sua autenticidade: se a imagem não sumisse, ela seria “santa”. E ela não sumiu. Em 1532, em um incêndio, o pano foi atingido por labaredas que lhe deixaram marcas. Para físicos da Universidade de Harvard (EUA), o calor teria afetado a precisão do teste do carbono 14. Eles usaram a técnica em panos antigos, antes e depois de chamuscá-los, percebendo diferenças de até 600 anos nos resultados.

Se o sudário for uma fraude, é uma fraude genial, minuciosamente calculada. As chagas das mãos estão na altura dos pulsos, entre oito ossos em que estaria o ponto capaz de, trespassado por um cravo, sustentar o peso do corpo pendurado na cruz. Esse detalhe anatômico, segundo os entendidos, não era conhecido no século XIII.
O químico norte-americano Alan Adler conseguiu provar que o tecido contém moléculas que o organismo despeja quando passa várias horas em estresse extremo. Há também substâncias secretadas nos coágulos das feridas que são invisíveis, as quais só foram descobertas no século passado. Como alguém, sem saber da sua existência, poderia colocá-las no pano?

É muito improvável que a mortalha tenha envolvido o corpo de Jesus. Mas, ultimamente, alguns elementos têm levado os pesquisadores a esse pensamento. Estudos demonstraram que a pessoa envolvida pelo pano tinha 1,83 metro de altura e 81 quilos. A coroa de espinhos era na forma de capacete. Nas costas, há marcas dos 39 golpes de chicote que os soldados tinham de aplicar, conforme a lei romana. Só um gênio conseguiria forjar tudo isso no período medieval.

A riqueza de detalhes do sudário fica mais desnorteante quando se vê a reconstituição da imagem em forma tridimensional, feita por computador. A impressão que se tem é que ela foi produzida por meio de uma forte radiação emanada do corpo. Assim, tudo leva a crer que o tecido teria envolvido o corpo de uma pessoa morta em decorrência de uma crucificação.

Na verdade, os fatos apresentados demonstram que há razões fortes para crer na autenticidade do Santo Sudário. Mas isso não quer dizer que ele tenha envolvido, necessariamente, o corpo de Cristo. As crucificações na época em que Jesus andou na terra eram muito comuns.

Portanto, o sudário tem dois lados. Se o lençol for verdareiramente o que envolvera a Jesus, constitui-se na mais importante prova da veracidade da narrativa bíblica de João 19.40: “Tomaram pois o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis com as especiarias, como os judeus costumam fazer, na preparação para o sepulcro”. Ao mesmo tempo, pode levar pessoas a idolatrar o pedaço de pano...

Ciro Sanches Zibordi

16 comentários:

claudio pimenta disse...

Pastor sua postagem : RUIM, o megashow do ano saiu do ar o que houve ?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado Claudio,

O megashow RUIM já aconteceu! Mas a reportagem completa do evento o irmão poderá encontrar em meu próximo livro. Aguarde!

Um abraço.

CSZ

claudio pimenta disse...

Quero comprar direto do Senhor! vai ter promoçao ? tipo compre o livro e concorra uma viagem no aero-ciro ? tem previsao do lançamento do livro ?


Que o eterno abençoe o seu livro !
Será que o exejegues pode contribuir ao menos co uma linha do livro na postagem quem é ele ?

Robson Silva de Sousa disse...

A Paz do Senhor, meu prezado pastor.

Maravilhosa a análise sobre a tal "relíquia"...

Pensei em sugerir a alteração do artigo definido "O" no fechamento do texto em: "...pode levar pessoas a idolatrar o pedaço de pano..." pelo artigo indefido "UM"... Mas lendo o artigo "Lencinhos suadinhos: Um modismo sem fundamento bíblico" reproduzido pelo amigo Leonardo Gonçalves em seu Blog, Púlpito Cristão, cheguei a conclusão que "O PEDAÇO DE PANO" é o mais apropriado... Afinal, "UM PEDAÇO" pode ser qualquer pedaço, e isso o povo já vem fazendo há algum tempo...

Abraços!

Em Cristo, o ressurreto,

Robson Silva
Prossigo para o Alvo... Fp 3:14

Alan disse...

A Paz Pr. Ciro, realmente é intrigante este assubto,mas diante de tais evidências acredito que assim como na arqueologia, Deus pode ter deixado masi este testemunho.

Convido, qdo puder, ver as novidades de nosso blog. Deus abençoe o irmão e os sus leitores!

Ev. Alan G. de Sá
www.manejandobemapalavradaverdade.blogspot.com

Anderson Gonçalves disse...

Pr. Ciro, quando vi o enunciado logo pensei, viiix... Lá vem bomba para a Igreja católica. Mas vejo que seu texto não teve um foco preconceituoso, foi bem analítico, estruturado, e não demonstrou uma visão fechada sobre o assunto, fico contente. Geralemnte, a versão dos protestantes é "isso não existe e pronto", só pelo fato do Sudário estar em posse da ICAR.

Minha opnião sobre o assunto, é que o fato do Santo Sudário ser verídico ou não, não muda em nada a minha certeza de que Cristo existe e foi crucificado, morreu e ressucitou, e esta certeza não se baseia em provas científicas, mas na minha fé. Porém muito me fascina este assunto, é algo muito interessante, e como o amigo disse, intrigante também.

Sobre idolatria, haverão sempre idólatras, em qualquer religião, em qualquer parte do mundo, há sim aqueles que adoram ao pano, como se fosse o próprio Cristo, assim como existem os adoradores de cantores, como o senhor já disse em seu blog, adoradores de familiares (aqueles que põem a família acima de Deus) e por aí vai. Mas não são todos que agem assim, não mesmo.

Fica na paz!

Anônimo disse...

moacir, rio claro,sp

a paz de Cristo, pr Ciro!!!

não é possivel que alguem acredite nisso!!! se esse pano tivesse realmente envolvido alguem, qualquer um que seje a imagem estaria bem diferente do que se ve, ali esta uma pintura tridimencional o que na verdade não faz sentido, se vc pegar e lambusar seu rosto de tinta (não tóxica por favor) de preferencia facil de lavar e pegar um pedaço de pano e por sobre o seu rosto deixando ele fazer o contorno tipo te enrolando vc vai perceber que a imagem criada no tecido vai ter outras proporções em relaçao a realidade de seu rosto , no momento em que o tecido for posto em um plano reto vai se perceber que "seu rosto" vai estar bem mais largo e mais comprido, dizer que isso é uma fraude bem sucedida é brincar com nossa inteligencia...
duvída faça o teste!!! e veja quanta diferença haverá nas dimenções de seu "santo sudario" para o "verdadeiro sudario".

a verdade do evangelho disse...

Excelente post Pr. Ciro. Claro e equilibrado.
Para quem deseja um aprofundamento no assunto sugiro a leitura do livro:"A conspiração Jesus
Autores: Holger Kersten e Elmar R. Gruber - Ed. Best Seller

Pb. Edinei Siqueira, Th.B

Donald Dolmus disse...

Dios le bendiga siervo.

Reciba por este medio un fraternal saludo de su hermano en Cristo desde Managua, capital de Nicaragua.

Shalom

Donald Dolmus

Lucas S. F. Ricardo - CPAD disse...

Querido pastor Ciro,
estou impressionado com o artigo
sobre o Sudário, são poucos os autores evangélicos dispostos a discutir o assunto de forma tão aberta, sem dogmatismos ou tabus.
Sabemos que a idolatria é abominada por Deus, no entanto, o cumprimento de tal mandamento não envolve o descarte de eventuais provas científicas da ressurreição do mestre.
Obrigado.

a verdade do evangelho disse...

Obs. Sobre a indicação do Livro: A conspiração Jesus.

Quando indiquei o livro, esquecí de dizer que é obra de um teólogo liberal e que não concordo com alguns pensamnetos do autor.
por isso deve-se ter cautela.
Indico a leitura do mesmo aos interessados em entender os dois lados do debate que envolve o sudário de turim.

Pb. Edieni Siqueira, Th.B

jorge melo disse...

O que me chama a atenção é que esta imagem do sudário apresenta um JESUS com o rosto aparentando 70/80 anos.O JESUS da Bíblia tinha 33 anos. Muito estranho para acreditar nisto.


Eu prefiro ver JESUS no Paraíso, aí sim não teremos dúvidas.
DEUS continue abençoando o Pr. Ciro nas suas postagens.
RECIFE - PE

MRLindinha disse...

"SANTO SUDÁRIO"
Todos querem a imagem, a fotografia de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas não foi com o lençol que Ele se preocupou, Ele se preocupou em deixar um lenço estrategicamente dobrado como mensagem para todos... "Eu volto, Eu te amo e quero me casar com voce, seremos felizes para sempre"

Régis disse...

Pastor Ciro e demais internautas, a Paz do Senhor Jesus Cristo.

Como o sr. bem disse, o assunto envolvendo o sudário é bem intrigante. Mas independente de testes e mais testes, a Palavra de Deus nos diz em Jo 20:7 que havia lençois e que também havia um lenço, este colocado sobre a cabeça de Jesus. Nos diz ainda, claramente, que o lenço estava à parte dos lençois, denotando serem peças distintas. Sendo assim, tratando-se o "Santo Sudário" de uma peça inteira, será que o mesmo teria sido realmente usado para envolver Jesus?
E no mais, penso que o Senhor não deixaria uma "prova" assim, que levasse (e já leva) pessoas a desviarem o foco do que realmente importa: que Ele morreu pelos nossos pecados, ressuscitou e em breve voltará!
Um grande abraço e que Deus o abençoe ricamente.

Hugo disse...

Pr. Ciro,

O Sudário, se verdadeiro, seria uma prova contra aqueles que dizem que Cristo é uma invenção mitológica - idéia que se espalha como praga pela Europa e em partes dos EUA.

Imagino que qualquer católico saiba que o Sudário não é Deus; a simples idéia de que eles idolatrariam o Sudário é um absurdo sem respaldo em qualquer ensinamento católico - do catecismo às Encíclicas e documentos oficiais. Em terminologia católica, o Sudário seria um ícone, análogo aos ícones (ou atalhos) de computador: estes levam a um arquivo principal, aquele traz imediatamente a lembrança de Deus. E tudo o que lembrar Deus merece um respeito próprio, ou, em terminologia católica, veneração - o que sempre será diferente de adoração: não é, em hipótese alguma, reconhecimento que algo seja um deus.

Desta forma, vejo a abertura do seu artigo como algo um pouco fora da realidade: todo católico acredita que Cristo existiu. Se o Sudário pertenceu mesmo a Jesus, isso não tem nada a ver com romanismo, tem apenas a ver com história. Não faz muito sentido acusar católicos de idolatria por reconhecerem que o Sudário possa ser verdadeiro.

Cordialmente,
Hugo

Ciro Sanches Zibordi disse...

Senhor Hugo,

Grato pela exposição de sua opinião aqui.

CSZ