segunda-feira, 27 de julho de 2009

É possível perder a salvação, se ela nos foi concedida pela graça de Deus? (6)


Haja vista a grande quantidade de perguntas repetitivas, de irmãos que estão chegando agora e não leram (ao que tudo indica) os outros artigos e as minhas respostas, resolvi escrever este último artigo, pelo qual concluo esta série. Só voltarei ao assunto se surgir uma argumentação nova, devidamente fundamentada, ou perguntas de interesse geral, pelas quais não se repitam os mesmos clichês predestinalistas.

Reitero, porém, que
a doutrina da predestinação situando o crente na presciência de Deus não está na Bíblia para motivar choques de ideias, especulações ou coisas semelhantes, mas para Deus encorajar o crente. Através dessa doutrina, o Senhor está mostrando que antes que o mundo existisse, e o homem nascesse, Ele antecipou-se a tudo, prevendo problemas e dificuldades em nosso caminho e nos mostrando que é poderoso para nos levar a salvo para o seu Reino celestial (2 Tm 4.18, ARA; Fp 1.6; Jd vv.24,25).

Reafirmo que um salvo pode vir a se perder
. Ele pode sim se desviar, cair em pecado e perecer, caso não se arrependa ante a insistência do Espírito Santo (Ez 18.24,26; 33.18; Hb 3.12-14; 5.9; 1 Tm 4.1; 5.15; 12.25; 2 Pe 3.17; 2.20-22; Rm 11.21,22; 1 Ts 5.15; Dt 30.19; 1 Cr 28.9; 2 Cr 15.2; 1 Co 10.12; Jo 15.6). Essa verdade fica ainda mais evidente quando consideramos o “se” condicional quanto à salvação (Hb 2.3; 3.6,14; Cl 1.22,23), bem como a condição “ao que vencer”, que aparece sete vezes em Apocalipse 2 e 3.


Quanto ao texto de João 10.27,28, é importante observar que o versículo 27 mostra as condições da ovelha, para que ela nunca venha a perecer, nem sair das mãos de Jesus e do Pai (cf. Jo 6.67). Outrossim, se não há perigo de queda definitiva para o crente, por que a Bíblia adverte com tanta ênfase para que ninguém caia (1 Co 10.12; Hb 3.12; Jo 15.6; 1 Tm 4.1 [“apostatarão”]; 2 Ts 2.3 [“apostasia”]; Pv 16.18; 28.14; Ap 2.4,5; Rm 8.13; 2 Pe 1.10; 1 Co 9.27; Nm 14.43)?

Em 1 Timóteo 2.4, está escrito: “[Deus] quer que todos os homens se salvem”. Nisto está incluído o mundo inteiro que queira. De fato, todos os que verdadeiramente crêem se salvam; somos testemunhas disso. O Senhor predestinou à salvação todo aquele que aceitar a Jesus. A própria aceitação já é um dom de Deus, para que ninguém se glorie julgando que assim contribuiu para a sua salvação.

A predestinação fatalista da alma, como ensinada pelos calvinistas, bem como a dependente de obras humanas, propalada pelos arminianos, não têm apoio na Palavra de Deus
. O termo original de onde provém a nossa palavra “predestinação” (gr. pro-oridzo) significa “destinar de antemão”, “predeterminar”, “preestabelecer”, “prefixar”, “preeleger”, etc. (At 4.28; Rm 8.29,30; 1 Co 2.7; Ef 1.5,11).

Biblicamente, a predestinação não é a de uns para a vida eterna e a de outros para a perdição eterna. A predestinação é para os que quiserem ser salvos, conforme lemos em 2 Tessalonicenses 2.13, que Deus nos escolheu desde o princípio para a salvação. Ou, de acordo com
2 Timóteo 2.10, para que os “... escolhidos... também alcancem a salvação”.

Predestinação é o ato divino pelo qual Deus decide ou destina de antemão, segundo a sua soberana e perfeita vontade. Ela depende da eleição e seus propósitos. Eleição é o ato divino pelo qual Deus escolhe ou elege um povo para si, para salvá-lo (2 Ts 2.13). Predestinação é o ato de Deus determinar o futuro desse povo. No Novo Testamento, esse povo é a Igreja, o Corpo de Cristo, do qual — se somos salvos mesmo! — somos parte (Ef 1.22,23).


Na predestinação de Deus para a Igreja está a sua conformação à imagem do Filho de Deus (Rm 8.29), a sua chamada para a salvação (Rm 8.30), a sua justificação (Rm 8.30) e a sua glorificação (Rm 8.30). Essa conformação depende de chamada, justificação e glorificação. E depende, ainda, da santidade de Deus (Ef 1.4) e da adoção de filhos (Ef 1.5).


A eleição divina não consiste somente na soberania de Deus, mas também na sua graça
(Rm 11.5). Em relação a indivíduos, isoladamente, a predestinação e a eleição somente têm lugar se a pessoa estiver inclusa “em Cristo” (Ef 1.4), bem como permanecendo “santa e irrepreensível” (Ef 1.4b; Cl 1.22,23; 1 Co 1.2; Cl 1.2; 1 Jo 2.6). O crente está seguro quanto à sua salvação enquanto permanecer em Cristo (Jo 15.1-6). Não há segurança fora de Jesus e do seu aprisco. Não há segurança espiritual para ninguém, estando em pecado (cf. Rm 8.13; Hb 3.6; 5.9). Jesus guarda o crente do pecado; e não no pecado.

Somos mantidos em Cristo pelo seu poder, mediante a nossa fé nEle (1 Pe 1.5; Jd v.20; 2 Co 1.24b). A salvação é eterna para os que obedecem ao Senhor (Hb 5.9; 1 Co 15.1,2). Estamos em pé pela fé em Cristo, e não pela predestinação: “tu estás em pé pela fé” (Rm 11.20); “se é que permaneceis firmes e fundados na fé” (Cl 1.22,23); “Deus é salvador de todos, mas principalmente dos fiéis [lit. “dos que crêem”]” (1 Tm 4.10).


Há vários outros textos que também mostram a segurança do crente somente enquanto este está em Cristo (Sl 91.14; 16.8; Hb 3.14; 2 Tm 1.12; 1 Co 1.8). O crente deve obedecer a Deus; não para que a sua obediência o salve ou o mantenha salvo, mas como uma expressão da sua salvação, do seu amor e da sua gratidão para com aquEle que o salvou. Não nos tornamos salvos por aquilo que fazemos ou deixamos de fazer, mas pela fé em Jesus Cristo (At 16.31). A conservação da salvação também vem pela fé em Cristo, pois está escrito: “O justo viverá da fé” (Rm 1.17).

A doutrina da predestinação como ensinada pelo calvinismo só leva em conta a soberania de Deus, e não a sua graça (Rm 11.5; Tt 2.11) e a sua justiça (Sl 145.17; Rm 3.21; 1.17; 10.3). Em Ezequiel 18.23 e 33.11 vemos que Deus quer que o ímpio se converta, e não apenas os eleitos e predestinados. Ele jamais predestinaria alguém ao Inferno sem lhe dar oportunidade de salvação. Isso aviltaria a natureza dEle.

Se todos já estão predestinados quanto ao seu destino eterno, então não há lugar para escolha, decisão ou livre-arbítrio por parte do homem. Entretanto, temos essa escolha em vários textos bíblicos, como vimos. Que Deus nos conceda cada dia uma visão espiritual mais ampla e profunda, a fim de compreendermos a sublimidade da gloriosa salvação que Jesus Cristo consumou; da qual, pela graça de Deus, já somos participantes.

Em tempo: parabéns aos calvinistas pelos 500 anos do nascimento de Calvino! E parabéns aos arminianos pelos 400 anos da morte de Armínio!

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

11 comentários:

Lucas Marin disse...

A Paz do Senhor Pastor Ciro...

Um belo "fim", acredito eu;

Que Deus continue te abençaondo e lhe dando graça.

Ah, eu ainda tenho aquela dúvida sobre Hebreus 6.4-6!! rs

Artur Ribeiro disse...

Pastor Ciro, a paz do Senhor.

Cristo é o Senhor que pagou a nossa dívida, pagou nosso resgate (leia-se: proporcionou-nos a REDENÇÃO) sem exigir que nós - agora servos dEle, porque quisemos - o servíssemos. Servi-lO é uma opção. Tanto é que muitos não desejam isso. Jesus é Senhor, mas não exige que os homens sejam servos, muito diferentemente de outros senhores que exigem a servidão (cf. como isso se dava nos tempos no NT).

E daí?

Daí que, pela lógica da 'predestinação', os predestinados são obrigados a serem servos do Senhor, isto é, Cristo exigiria que os homens fossem Seus servos - o que é ir absolutamente contra a Bíblia.

Orando por que esses irmãos se rendam à Rocha Eternal e Maravilhosa, que é a Palavra (1 Jo 1.1; 5.7 Mt 7.24,25), como também esperando contribuir com sua argumentação,


Artur Ribeiro

a verdade do evangelho disse...

Amado Pr. Ciro tendo em vista a quantidade de pessoas que tem dúvidas sobre este assunto e a capacidade que Deus lhe deu para argumentar sobre o mesmo, seria bom que você escrevesse um livro sobre a doutrina da predestinação.

No aguardo de desfrutar desta literatura.

Pb. Edinei Siqueira, Th.B

Cicero Leandro Junior disse...

A Paz do Senhor Pr. Ciro!

Agradeço a Deus pelo senhor ter feito esses artigos acerca de Calvino e a segurança da salvação. Eles vieram a mim num momento em que eu estava com muita dúvida acerca da salvação e da perseverança dos salvos.Que Deus o abençoe e o mantenha com sabedoria para pregar a sã doutrina.

Perseverando em Cristo,
Cícero Leandro Júnior
Assembleia de Deus em Teotônio Vilela/AL

Pastor Mozart Paulino disse...

Pr. Ciro, a Paz do Senhor.

O irmão pode escrever infinitos textos explicativos e claros, mas os "predestinados" à faladores e teólogos de plantão jamais aprenderão, pois a soberba estâ no âmago dos seus entendimentos.

Os próprios comentários dos seus blogs refletem isso.

Achei interessante o comentário de um desses, no artigo “A Vida Eterna É Para Sempre” – Francis Schaeffer, que disse:

"Quanto ao Pr Ciro, resolvi me engajar num "combate" também. Se quiser, dê uma conferida nos meus comentários (li os seus).

http://cirozibordi.blogspot.com/2009/07/e-possivel-perder-salvacao-se-ela-nos_8139.html"

O que entendo por COMBATE conforme meu dicionário é "Luta", ou, se utilizar COMBATER, significa:
1) Bater-se com; opor-se a;

2) Lutar contra;

3) Debater-se, estar em conflito.

Segundo a minha Bíblia, que creio que seja diferente da deles, diz que a nossa luta (ou conflito) não é contra a carne e sangue, mas sim, contra os principados, e etc (Ef. 6:12).

Então, não entendi desse desafio a um combate.

E não me venham com papinho furado que esse desafio é no sentido figurado, para esclarecimento e troca de idéias para edificação.

Quando eu ministrava palestras no ICP (na época que funcionava como se devia), e participava de "confrontos" com hereges e sectaristas, era porque eles assim procuravam.

Agora, entre servos de Deus, por mais que tenham posições teológicas diferentes, isso é no mínimo ridículo.

Nem mesmo quando eu estudava bacharelado em um seminário teológico calvinista (batista cessacionista) via tantas mentes retrógradas (para não dizer retardadas, que podem ser traduzidas de outra maneira conforme interesse e estado de ânimo do leitor) como vejo nesses artigos.

Pastor Ciro, continue batalhando nessa fé que uma vez nos foi proposta.

De seu amigo e irmão,

Ex-professor e pastor de confissão batista calvinista e cessacionista, e atual pastor de teologia pentecostal.

Um grande abraço,

MSP

pr tony disse...

Parabéns pois a predestinação é um belo prato para o diabo manter muitos "crentes" para grande tribulação, é so ir no guichê e pegar é grátis. Que Deus tenha misericórdia das nossas vidas, e nos exorte cada vez mais a continuar a porfia...a aquele que vencer...chega , né.

Blog do Jordanny Silva disse...

Excelente final, pastor Ciro!

Como muito bem fundamentado, a Bíblia é suficiente; por mais limitado que seja a nossa compreensão. Que Deus possa te abençoar mais e mais e te fazer prosperar neste maravilhoso ministério de batalha pela fé.

Aliás a salvação é dependente da fé, por isso batalhamos por ela.

A paz do Senhor Jesus!

Jordanny Silva

toggle disse...

Olá pessoal!

O que aconteceu é o seguinte, tudo que o pr. colocou em suas palavras está biblicamente correto; foi tudo maravilhosamente bem colocado. É só o nome da tal doutrina... (Predestinação), que foi mal elaborada. Mas o conteúdo está 100%. Pois as pessoas quando lêem arremetem "predestinação" a escolha de DEUS quantos a todos os salvos e não salvos. O que da a entender é que todos antes da fundação do mundo já foram salvos ou condenados. Mas a bíblia nos diz que fomos chamdos por DEUS pai. Esse chamado nós depois aceitar ou não... Entenderam?

São 3 as fases da salvação: O chamado, que vem do PAI, o encontro (Filho), e o processo (E.S.).

Na verdade toda humanidade está sendo chamada... AP 3:20 "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.".

Se abrirmos a porta ele entre e ceia conosco.

Vejamos a importância das 3 etapas.... depois de chamado você tem um encontro com JESUS.... você pode parar também nessa etapa. Assim como o JOVEM rico, descrito nos evangélios. e depois de ter um novo nascimento, começa o processo de santificação... que só o E.S. pode dar.... Por isso no AP. diz ser fiel até a morte de darte-ei a coroa da vida. "Até a morte".

Então amados... Se atentem ao conteúdo de que o pr. escreveu que está tudo OK...

Grande abraço.

Kleyton Barcelos
kleytonbarcelos@gmail.com

Arminiano disse...

Pr. Ciro, Graça e Paz.
Tenho acompanhado seus artigos sobre o tema salvação e de fato refletem a posição da Assembléia de Deus em toda sua história. Faria apenas uma correção, o arminianismo não ensina salvação pelas obras. Uma coisa que talvez o Sr. com grande penetração nos círculos assembleianos deveria levar a discussão seria algumas publicações que refutem o calvinismo, pois não é de hoje que os reformados estão penetrando sorrateiramente na AD, digo isto pelo simples fato que se a AD não se der conta do problema, poderemos enfrentar o mesmo racha promovido pelos calvinistas na convenção batista do sul.

Arminiano disse...

Pr. Ciro, Graça e Paz.
Tenho acompanhado seus artigos sobre o tema salvação e de fato refletem a posição da Assembléia de Deus em toda sua história. Faria apenas uma correção, o arminianismo não ensina salvação pelas obras. Uma coisa que talvez o Sr. com grande penetração nos círculos assembleianos deveria levar a discussão seria algumas publicações que refutem o calvinismo, pois não é de hoje que os reformados estão penetrando sorrateiramente na AD, digo isto pelo simples fato que se a AD não se der conta do problema, poderemos enfrentar o mesmo racha promovido pelos calvinistas na convenção batista do sul.

credulo disse...

Mr. Ciro, só para confirmar, eu sou arminiano molinista e não ensinamos salvação por obras. A salvação é pela graça divina, mediante a fé somente, e sua manutenção é pela graça divina mediante a fé somente.

O calvinismo está de fato 'tomando conta' do Brasil - veja este comment do blog do Augustus Nicodemus:

http://tempora-mores.blogspot.com.br/2012/06/heresia-biblicista.html

O livro “O Culto Espiritual”, Fez nossa Igreja inteira parar de falar em línguas, e mudamos toda nossa liturgia. Tivemos até que tirar a placa Assembléia de Deus e nos “transformamos” rsrsrs.. Em Igreja Reformada em Jf.
Éramos Assembleianos calvinistas, um movimento singular que tem surgido em nossos dias.
Por causa dessa atitude corajosa de nossa parte, a nossa pequena Igreja começou a crescer numericamente como nunca antes.


Já está mais que na hora de os arminianos de verdade tomarem posição.