sexta-feira, 13 de março de 2009

É preciso ser um webereano na World Wide Web

Hoje, a World Wide Web (conhecida como WWW) completa vinte anos, e eu quero discorrer sobre os crentes bereanos. O que isso tem que ver com o aniversário da grande rede?

Os crentes de Bereia (sem acento, atendendo ao Acordo Ortográfico) foram considerados mais nobres do que os tessalonicenses (At 17.10,11). Mas observe que estes também eram nobres: “Pelo que também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes” (1 Ts 2.13).

Surpreendo-me, quando leio as Epístolas Paulinas, com a segurança de Paulo. Ele afirmou, no versículo acima, que os tessalonicenses fizeram bem em receber a sua pregação como Palavra de Deus! Isso mesmo. Paulo se portou como um autêntico dono da Verdade! Quem faz isso, hoje, é tido como arrogante, intransigente... Ele, porém, tinha convicção porque havia recebido do Senhor, segundo as Escrituras, as mensagens que compartilhava (1 Co 4.6; 11.23; 15.1-4; Gl 1.8).

Mas, por que os cristãos de Bereia foram considerados mais nobres do que os de Tessalônica? Porque, além de receberem com toda avidez a pregação de Paulo e de outros expoentes, examinavam “cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”. Ou seja, os bereanos também tinham total segurança de que andavam segundo a Palavra de Deus. Eram, por assim dizer, donos da Verdade, isto é, portadores da Verdade recebida do Senhor (Dt 6.6; Sl 119.11).

Na grande rede há dois tipos de webdiscurso que não devem ser recebidos de bom grado. Há quem propague o relativismo, defendendo que cada um deve ter a “sua verdade”. E existem aqueles que ficam furiosos com quem combate o erro, tornando-se duplamente contraditórios, uma vez que também combatem — e das maneiras mais espúrias — os que criticam, de modo legítimo (Jo 7.24; Tt 1.10,11), heresias, modismos, aberrações, incongruências...

Sejamos webereanos, crentes nobres na World Wide Web; isto é, webcristãos que, de bom grado, leem (sem acento, atendendo ao famigerado Acordo) um texto, em um weblog, ouvem um podcast ou assistem a um vídeo no YouTube, mas não abrem mão da Palavra de Deus.

Os webereanos são cristãos seguros, donos da Verdade, não porque seguem a um blogueiro formador de opinião. Eles podem até respeitá-lo, como os bereanos honravam o apóstolo Paulo. Mas a segurança deles vem da Palavra de Deus. E, por isso, não se irritam com quem propaga e defende a Verdade com segurança, à semelhança do imitador de Cristo, que, ao combater o erro, afirmou: “... estou incumbido da defesa do evangelho” (Fp 1.16, ARA).

Que Deus nos ajude a sermos webverdadeiros.

Do webpastor,

Ciro Sanches Zibordi

8 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro webpastor Ciro Zibordi,
A Paz do Senhor!

Parabéns pela postagem!

Que o Senhor nos ajude nessa tarefa de webereanos.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Blog do Jordanny Silva disse...

A webigreja tem crescido muito. E, junto com ela, websabedoria e webentendimento... Excenlente o webtexto, webpastor Ciro!

A paz do Senhor dos senhores (inclusive dos web senhores...rsss)

Deus te abençoe e continue te usando por meio da web... É a simples weboração deste humilde webpresbítero (rs)...

Jordanny Silva
Brasília

Tone Andrade disse...

Caro Pastor Ciro, APDSJ!

Chamo-o de caro, não com a demagogia de nossos irmãos, que se sentem melindrados aos verem as incoerências com as quais simpatizam sendo biblicamente combatidas aqui (no blog), mas sim movido pela gratidão de quem tem sido grandemente abençoado pelas reflexões e elucidações promovidas neste espaço.

Eu, equivocadamente, até conhecer seu blog, sentia-me só, enquanto discordante dos modismos em voga que tentam adentrar a Igreja. Pretensão, não é mesmo!? Descobri aqui que há tantos...tantos outros joelhos que ainda não se dobraram. (Ops, “ainda”? Misericórdia!!! rsrs)

Brincadeiras à parte, eu, humildemente, gostaria de tentar contribuir com o seu valioso trabalho, apontando-lhe um detalhe (que em nada desabona o argumento apresentado), mas que talvez possa ser-lhe interessante, pois percebi que o senhor, como um bom articulista, prima pelo uso correto das normas gramaticais. Ei-lo: há um aspecto da gramática normativa acerca de verbos irregulares que é bastante curioso. Em sua postagem (em aúdio) sobre “O crente poder abençoar ”, o irmão mencionou "... homens de Deus que abençoaram, isto é bendiZERAM...". Bem, o verbo "bendizer" termina em "dizer"; portanto, a conjugação deste (dizer) serve de modelo para aquele (bendizer). Sendo assim, uma vez que empregamos "eles disseram" e não "eles diZERAM", deve-se conjugar "eles bendisseram", em vez de bendiZERAM (que não existe).
É isso.

Espero poder ouvi-lo logo mais, no evento em Cariacica.

Com a certeza de que tenho muito mais a aprender com o irmão do que a tentar ensinar, despeço-me.
Fraternalmente.
Tone Andrade

Anderson disse...

Excelente mensagem, sobretudo em tempos de relativismo.
Curiosamente, postei sobre o tema no meu blog nesta semana: Igreja sem Identidade (www.gracasomente.blogspot.com).
Fique na Paz.

Elian Soares disse...

Mais um belo artigo para nossa meditação!

Sejamos webereanos!

Deus continue te abençoando e inspirando-te na verdade e defesa do evangelho.

Ah, essa semana eu recebi o jornal impresso FOLHA UNIVERSAL, que tinha uma matéria com o título "Doutrina da IURD inspira evangélicos - Pastores da Assembleia de Deus compartilham da pregação de fé do bispo Edir Macedo". Uma matéria escrita por pastores assembleianos, transcrita no referido jornal, em que critica o posicionamentos de homens comprometidos com a palavra. Num dos parágrafos, eles alegam:
"Atualmente, há o farisaísmo moderno. Não ganham almas, não libertam oprimidos, não curam enfermos e desconhecem os efeitos da fé, mas são rigorosos seguidores dos ditames formais e legais que criam. São guardiões de costumes regionais e religiosos. São críticos de igrejas, como a Universal do Reino de Deus, cujos pastores se gastam pregando o evangelho, orando e jejuando, buscando de todas as formas os cativos no pecado para trazê-los a Jesus Cristo. Refutam o uso de pontos de contato de fé, mas não possuem a fé e nem a humildade ensinadas por Jesus. Ocupam-se em deturpar os argumentos apresentados por estas igrejas que crescem mais do que as suas".

Vosso Servo disse...

Complementando meu comentário, segue o link da matéria "Doutrina da IURD inspira evangélicos", publicado pelo Jornal FOLHA UNIVERSAL:
http://www.folhauniversal.com.br/integra.jsp?cod=143861&edicao=883

Anderson H. disse...

Paz do Senhor!

Webpastor Ciro, usando o mesmo versículo de Filipenses 1.16 ``...fui posto para defesa do evangelho´´ (ARC), conseguimos visualizar que este weblog tem cumprido com grande êxito a defesa do evangelho.
Será que é difícil para os racionalistas, propagadores de heresias, etc, entenderem que aqui nesta página: cirozibordi.blogspot se DEFENDE O EVANGELHO?

Anderson H.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado "Tone Andrade",

A paz do Senhor!

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo e pela valiosa correção da minha narrativa sobre a pergunta "O crente pode abençoar?" Sua observação foi realmente ótima.

Eu tenho sido muito exigente com as palavras falada e escrita. E o "bendizeram" acabou escapando. Eu só percebi o pequeno erro depois de ter publicado a postagem. E, como corrigir um vídeo não é tão fácil como revisar um texto, fui "obrigado" a deixar a postagem com o famigerado "bendizeram", aceitando correr o risco de alguns poucos internautas o perceberem...

O seu comentário, de qualquer modo, foi-me muito últil, pois me dá oportunidade de me justificar perante os internautas mais exigentes. Aos que não perceberam o erro, eu devia ter dito "bendisseram", e não "bendizeram".

Outrossim, prezado "Tone Andrade", a sua maneira de se expressar me lembra bastante um outro internauta que muito me tem ajudado com as suas observações. Talvez vocês tenham estudado na mesma escola.

Um grande abraço.

CSZ