quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Uma palavra sobre a tragédia na Igreja Apostólica Renascer em Cristo


Concordo com a blogueira Cristiane Carrilho que tem havido oportunismo de muitos ante a tragédia da Igreja Apostólica Renascer em Cristo. Ela, em seu espaço, afirma: “É incrível como em meio a tantas vítimas fatais e um sem-número de feridos, alguns em estado grave, no desabamento do teto da Igreja Renascer em São Paulo, a imprensa desvirtua o acidente para se dar lugar a criticas à Igreja e à sua liderança. Num resgate profundo de matérias que acusam ‘a’ ou ‘b’, eles se esquecem de que pessoas, gravemente feridas, precisam com urgência de socorro médico” (http://cristianecarrillo.blogspot.com, 21 de janeiro de 2009).

No entanto, com todo respeito às vítimas e aos membros da igreja que foram atingidos direta ou indiretamente pela tragédia, ela enseja uma oportunidade única de refletirmos sobre algumas coisas. O blogueiro Ivan Tadeu, por exemplo, aproveita o ocorrido para enfatizar que a boa parte dos templos localizados na cidade de São Paulo funciona em lugares adaptados, que não oferecem condições de segurança, citando um estudo do professor da PUC-SP Edin Abumanssur (http://ivantadeu.blogspot.com, 20 de janeiro de 2009).

Já o irmão Anchieta Campos, em seu blog, opina: “Olha, mesmo em meio às dores dos familiares que perderam seus entes queridos, não posso me negar de fazer uma pequena observação. A Renascer é uma igreja neopentecostal (a segunda maior deste segmento), e, como tal, dá muita ênfase aos dízimos e ofertas, sendo um fato inconteste que a mesma é uma igreja rica, frequentada majoritariamente por pessoas de consideráveis condições financeiras. Posto isto, não consigo compreender como os seus líderes deixaram tal fatalidade ocorrer. Uma estrutura como aquela que veio abaixo não cai do dia para a noite, mas em consequência de um considerável período de descaso para com a manutenção física” (http://anchietacampos.blogspot.com, 19 de janeiro de 2009).

A minha sobrinha, Débora Zibordi, em seu blog, preferiu apresentar uma mensagem de conforto a todos os líderes da Igreja Renascer, mas relatou antes uma visão que acredita ter recebido do Senhor: “Ontem, em oração no templo, pude sentir a presença do Senhor ao meu lado. Clamando, o Espírito Santo deu-me a visão de uma grande foice. Muito me entristeci e pedi que Deus tivesse misericórdia de nós, livrando-nos da morte. Ao chegar a meu lar, soube da tragédia que abateu os irmãos da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, aqui na cidade de São Paulo. Manifesto meus sinceros sentimentos pelos parentes e amigos daqueles que foram ter com Cristo” (http://deborazibordi.blogspot.com, 19 de janeiro de 2009).

Diante do exposto, desejo também propor algumas reflexões acerca da tragédia. Li, na grande rede, inúmeros artigos e comentários pelos quais se afirma, peremptoriamente, que o desabamento do teto da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, em 18 de janeiro de 2009, foi um juízo divino, por conta dos pecados cometidos pelos seus líderes — julgados e condenados pela justiça norte-americana, depois de tentarem entrar com dinheiro não declarado nos Estados Unidos. De fato, eu não descarto essa possibilidade, uma vez que a Palavra do Senhor prevê julgamento de líderes de igrejas e seus membros, nos casos de rebeldia e apostasia (Ap 2.5,16,20-22; 3.3,16; Pv 28.13; 29.1).

Eu, que tenho parentes e amigos congregando na Renascer, observo que muitos membros dessa igreja estão percebendo que alguma coisa está errada. Outrora encantados com a ousadia, o carisma e a versatilidade dos seus líderes, agora estão decepcionados. Por quê? Primeiro, porque, depois que começaram as perseguições (desencadeadas por erros da própria liderança da igreja), um lado idolátrico da igreja tornou-se patente. Bispos e membros se tatuaram com inscrições do tipo “Sou Renascer até morrer”, não observando o que está escrito em Apocalipse 2.10.

Outro fator que tem levado alguns crentes da Renascer a se decepcionarem com a igreja é o fato de os líderes se considerarem acima do bem e do mal. Isso ficou evidente a partir do momento em que eles — depois de tentarem ludibriar as autoridades norte-americanas, entrando com dólares não declarados naquele país — não reconheceram o seu erro. Pelo contrário, preferiram dizer que estão sendo perseguidos pela causa do evangelho.

Mas não é só isso. Antes de toda essa avalanche, os líderes da Renascer haviam adotado um tríplice liberalismo. Primeiramente, o liberalismo teológico, ao distorcerem a Bíblia no que tange à correta tradução do seu texto original, bem como na interpretação da sua mensagem. Também abraçaram o liberalismo eclesiástico, adotando inovações descabidas, abusivas e antibíblicas na condução das igrejas e na sua liturgia. E também, desde o início da igreja, o liberalismo consuetudinário, que na prática é a abolição, violação, supressão dos bons costumes, da boa compostura, da boa postura segundo a ética, como reflexo da sã doutrina da Palavra de Deus.

Por ironia, digo isso com tristeza, a pregação triunfalista dos líderes da Renascer e a sua teologia da prosperidade agora depõem contra eles. Eu acredito que, para um membro dessa igreja — acostumado a ouvir clichês “proféticos”, como “2009 é o ano de muitas vitórias e prosperidade” ou “Este é o ano apostólico em que todas as bênçãos serão derramadas sobre a sua vida” —, é muito difícil aceitar essa terrível tragédia da noite de 18 de janeiro sem revoltar-se. Afinal, ela ocorreu logo no primeiro mês de “O Ano Apostólico de Davi”.

Outra reflexão. Ouço pregadores e cantores dizendo que o crente que tem promessa não morre. Pergunte aos crentes, em um culto, se eles têm promessas. Todos levantarão as mãos. E aqueles irmãos da Renascer que partiram para eternidade certamente acreditavam ter promessas... Também ouço expoentes triunfalistas afirmando que o crente não morre de forma violenta. Que engano! Embora os anjos do Senhor estejam acampados ao nosso redor para nos proteger (Sl 34.7), isso não significa que sejamos imortais ou que possamos escolher a maneira como partiremos para a glória.

Não cabe a nós dizer que as vítimas fatais da tragédia em apreço estavam em pecado contra Deus, em razão do tipo de morte que experimentaram. Isso é incorrer em erro, cometendo o julgamento calunioso constante de Mateus 7.1,2. Ademais, Deus não estabelece a maneira como os seus servos morrerão; e nós, conquanto salvos, não somos à prova de bala e imunes a tragédias. De acordo com Hebreus 11, os santos do Antigo Testamento, pela fé, venceram reinos, fecharam bocas de leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, etc. Mas, por outro, também, pela mesma fé, foram torturados, mortos ao fio da espada, andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (vv.33-37).

O que nos torna diferentes das pessoas do mundo, nesse caso? A nossa certeza de que pertencemos ao Senhor, quer nesta vida, quer na eternidade (Fp 3.20,21; 1 Jo 3.1-3). Sabemos que Ele está no controle de todas as coisas. Não podia Deus ter livrado da morte o santo Estêvão e os milhares de cristãos, martirizados no período das perseguições imperiais? Na verdade, enquanto Ele contar conosco nesta passageira vida, teremos oportunidade de evangelizar, desempenhar o ministério que Ele nos outorgou, cuidar da nossa família, da nossa profissão... Mas nunca nos esqueçamos de que somos peregrinos e forasteiros (1 Pe 2.11). Estamos hospedados nesta Terra (Hb 11.13).

Finalmente, deixo a minha palavra de condolência às famílias que perderam entes queridos no desabamento da Igreja Apostólica Renascer em Cristo. Não se esqueçam, amados irmãos, do que está escrito em 1 Tessalonicenses 4.16-18: “... os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras”.

Tragédias envolvendo evangélicos às vezes acontecem. Afinal, a despeito de o Senhor Jesus ter todo o poder para nos proteger do mal (Sl 91), Ele também nos avisou de que no mundo teríamos aflições (Jo 16.33). Não somos derrotados, em definitivo, com a morte; sempre somos vitoriosos, em Cristo (Rm 8.37-39; 1 Co 15.51-58). E as aflições deste tempo não se comparam com a glória que em nós há de ser revelada (Rm 8.18). Aleluia!

Ciro Sanches Zibordi

14 comentários:

Pr. Newton disse...

Nosso, pr. Ciro,

Tristeza! Eu senti muita tristeza em meu coração.

Parece incrível, o teto desabou por completo, mas....mais incrível, foi verificar os comentários dos leitores do Jornal o Globo. A falta de sensatez, equilíbrio e conscientização, tomou conta da quase maioria.

O que ocorreu, foi um acidente lamentável. O alvo atingido eram vidas de, parentes, vizinhos, brasileiros ou não, pessoas de bem, vidas em busca de momentos com a música, a oração, e acima de tudo, desejosos em adquirir uma vida melhor, em busca de uma felicidade, que não será encontrada nesta terra. Felicidade esta, agora em mãos de alguns que morreram esmagados, quem sabe pelo desleixo dos organizadores desta igreja, pelo desprezo das autoridades do governo, ou pela própria vontade de Deus. Afinal, morrer em Deus e com Deus, permite o encontrar com o prêmio maior, resultado do perdão dos pecados e a certeza de salvação em Jesus Cristo.

Vidas se encontraram com Deus, e deixaram mais uma dúvida, sobre o tratamento de Deus, não somente dado aos crentes, mas, aos incrédulos. Muitos foram soterrados pelo teto sobre o seu corpo, e muitos foram soterrados pelas afirmações que li, escritas, por quem, não sabe sentir amor por estes, que perderam seus familiares.

Os sentimentos nestes comentários, garantiram aos acidentados, uma culpa, quase que de terroristas e desumana por parte de flamigerados, cheios de ódio à tudo o que se proclama evangélico.

Muitos sentiram o desejo de ajudar, sentiram agonia pelos acidentados. Existe um Brasil amargo de coração, que escreve maldades e provocações, bem como, um Brasil repleto de seres, com as mãos estendidas para abençoar aos feridos neste trágico acidente.

Eu senti, o meu coração apertar e uma insônia, que assolou a minha noite, na preocupação das vidas acidentadas, e muito também, pelos comentários que debochavam, zombavam, e neste momento, percebi que muitos estavam com o mesmo espírito de Hitler.

A alegria destes escritores às escondidas, com certeza, chegou aos céus, e provocaram a ira de Deus, em seu cortejo fúnebre com palavras hediondas e mal direcionadas.

É meu desejo, que as lideranças, exerçam o seu ministério, sem causar vergonhas e mais vergonhas aos crentes verdadeiros, que aguardam o GRANDE DIA. É hora de vigiar. É chegado o momento da perseguição de verdade.

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Anônimo disse...

Concordo em genero e grau com esta postagem
Quero tambem deixar os meus sentimentos para as vitimas
Mas gostaria agora de saber qual a desculpa teologica ou melhor telogogica que eles vao inventar para justificar sua falsa teologia!


claudio pimenta
crsmedeiros@hotmail

EZEQUIEL disse...

Que esse lamentável fato sirva de exemplo para nós, pois tenho visto muitos de nossos pastores presidentes que acham que para levantar um templo basta contratar pedreiros, que não têm nenhum conhecimento sobre estrutura, e esquecem que o viável seria contratar um engenheiro para fiscalizar a execução da obra.

Sem falar que em muitos de nossos templos nunca foi feito uma vistoria na parte elétrica e estrutural.

Bom! Somos pentecostais, gostamos mesmo é de "fogo e poder".

Filipe Cabeção disse...

A paz para todos

De fato, sentimos um profundo pesar com esse acontecimento. Afinal, como disse o PR. Newton, eram pessoas que ao final de um dia, buscavam refrigério para suas almas com cânticos, orações e adoração ao nosso Deus. Mas sabemos também que eles não estão perdidos em outra galáxia, ou num purgatório... Estão no seio de Abraão descansando na paz do nosso Senhor!

Fica assim, um trecho de uma música regrava pelo cantor PG:
"Eu sou como um vento passageiro que aparece e vai embora, como gota no oceano, assim como um vapor"

Lembremos que não existem "SuperCrentes", com super poderes e super milagres, como é de costume das igrejas neopentencostais aludirem, mas sim, vaso nas mãos do oleiro!

A paz a todos

Paulo Adriano Rocha disse...

Bem, irmão Ezequiel, graças a Deus a nossa igreja aqui em Recife tem outra visão. Nossos templos estão sendo bem construídos e continuamos gostando de "fogo e poder". Rs.

Mas, como diz Salomão, o que sucede ao justo também sucede ao ímpio. Aqui em PE aconteceram duas tragédias com ônibus envolvendo crentes batistas e um amigo meu perdeu o irmão em um acidente de carro, mas isso não invalida o amor de Deus e o seu cuidado por nós, afinal, ele nos deu o melhor: a certeza da vida eterna no céu. Essa é a nossa esperança.

Que Deus console os corações dos vitimados nessa tragédia e nos prepare a cada dia para a vinda de Cristo.

a verdade do evangelho disse...

Que vergonha! Os crentes enriquecem seus lidere$ com seus dízimos e ofertas e estes lidere$ aindam deixam o teto cair em suas cabeças. Que os sobreviventes reflitam neste paradoxo.

Lucivaldo de Paula disse...

Pr.Ciro, como disse o Apostolo Paulo:Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. (2Cor 1,3-4)http://escriba-lucivaldo.blogspot.com/

Sérgio disse...

Pr Ciro, essa de galinha profetizar para mim foi o fim da bicada! Com raras exceções temos bons textos e pregações cristãs dentro da sã doutrina, na qual eu incluo o senhor.
Eu ouvi uma certa vez na TV um pastor batista que vociferou a seguinte pérola: "EU PROFETIZO QUE VOCÊS NÃO VÃO MAIS ESCORREGAR NA MAIONESE!". A platéia em êxtase dava gritos de glórias, e o pregador aproveitou e disse que o DVD daquela pregação estaria a venda. É isso que devemos tomar como base a real situação de muitas igrejas de denominações históricas por aí.
Em CRISTO,

Sérgio

Anchieta Campos disse...

Caro irmão em Cristo, pastor Ciro, a paz do Senhor.

Primeiramente gostaria de agradecer pela referência feita a minha pessoa e blog, o que lhe sou muito grato por tudo o que isso significa para mim.

Um fato lamentável como este apenas se reveste de tristeza e reflexão. A tristeza não é nem necessário comentar, pois é o elemento mais marcante e nítido. Já a reflexão que este triste fato nos produz se reveste de muita importância, pois é através dela que se pode aprender algo com este ocorrido.

Seu comentário fora completo e coerente (como sempre). Jamais saberemos nesta vida se o ocorrido fora um juízo divino sobre a referida igreja ou não (e nem nos cabe entrar neste mérito), mas com certeza se tem o peso do descaso humano da conservação/restauração física do templo. A lei da semeadura, sem sombra de dúvidas, é também perfeitamente aplicável ao caso em questão, falo do ponto de vista objetivo do descaso físico. Plantou-se descaso com a estrutura física do templo-cinema, e colheu-se esta tragédia.

Quem são os culpados? Diretamente os líderes, e creio que os membros (não todos) também tem sua parcela de culpa (indireta), pela idolatria à igreja e sua liderança, o que os impedia de verem os erros administrativos cometidos em sua denominação. No final de contas o resultado não fora nada agradável.

Se os membros da Renascer, de um modo mais consistente e majoritário, passarem a ter uma visão mais crítica sobre a sua igreja e liderança, já será um aprendizado louvável; aprendizado movido pela tristeza e dor, é verdade, mas não deixará de ser aprendizado.

Que o Senhor nosso Deus console e ajude aos familiares das vítimas (fatais ou não) desta verdadeira tragédia. Amém.

Forte abraço.

Anchieta Campos

Matias Borba disse...

Nobre Pastor Ciro,
Paz do Senhor!

Concordo plenamente com esta postagem, creio que isso poderia ser evitado se os lideres da renascer soubessem "aplicar" melhor os tantos dizímos e ofertas dadas pelos Cristãos desta igreja.
A imprenssa é sempre a mesma, basta acontecer qualquer coisa em que tenham algum Cristão envolvido que eles dessem a lenha, porém, isso é um caso muito grave que deve ser averiguado com muito cuidado pelas autoridade e os responsáveis devem pagar de acordo com as nossas leis.
Claro que isso pode ser um juízo de Deus pelo fato de que os lideres cometerem os erros ja citados e acharem que estão fazendo a coisa certa, mas mesmo assim creio que Deus tem um controle de tudo e ele sabe a hora de guardar seus servos, pois creio que os mesmo estarão com o Senhor eternamente.

Deus abençoe muito, e parabéns!

Marcia disse...

Pastor Ciro

Concordo com a sua postagem sobre esta tragédia. Quando liguei a televisão, fique chocada com este incidente. Lamento que houve vítimas fatais também. O que não concordo é o fato de que a Renascer não vigiou em fazer a manutenção do teto e de toda a estrutura do espaço. Jesus disse que o cristão não deve dar escândalo. Segundo as fontes jornalísticas, toda a reforma foi feita de forma irregular, e isto é uma forma de escândalo que um crstão não pode cometer. Outra coisa que não concordo é esta igreja pedir dinheiro para a construção de outra no lugar em vez de idenizarem os parentes que perderam seus entes queridos e dos vizinhos que estão correndo o risco de perderem suas moradias. Se pensassem nisto, seria atitude de um bom "soldado de Cristo".

Deus abençõe.

Edson Dorna disse...

Caro Pastor Ciro,
A paz do Senhor!

Ficamos tristes pelo ocorrido, e também pelo fato de membros da Renascer defenderem seus líderes a respeito do acidente, conforme a matéria a um programa jornalístico. Porque a maior gravidade desse assunto, que eles não respeitaram seus fieis. Pelo menos esse incidente poderá servir para que muitas vidas abram os olhos para que não sejam enganadas.

W.R disse...

Pastor,

Perdoe a demora em responder. Gostaria de dizer que continuo acompanhando seu maravilhoso e esclarecedor trabalho e que ficarei bastante satisfeito em contribuir com a obra de Deus.

Graça e paz.

Sidney Rosa disse...

Hoje, 16/09/2009, no jornal O DIA, que circula no Estado do Rio de Janeiro, tem uma reportagem na página 25 que como título " LUTAS E REGGAE PARA ATRAIR JOVENS FIÉIS". E nesta reportagem fala sobre a estratégia da Renascer em Cristo de buscar atrair jovens com combates de luta livre, denominado EXTREME FIGHT, onde o ringue é marcado dentro da própria "igreja" e neste mesmo lugar os jovens são tatuados com a frase I Belong to Jesus ( eu pertenço a Jesus ).Olhando para dentro da Palavra de Deus, o que Sr. Pastor Ciro diria disso tudo?