sábado, 12 de julho de 2008

Crer na predestinação e no livre-arbítrio não é um contra-senso (1)

Na Palavra de Deus temos tanto a predestinação divina como a livre-escolha humana, em relação à salvação; mas não uma predestinação em que uns são destinados à vida eterna, e outros, à perdição eterna. A Palavra de Deus também não apresenta uma livre-escolha humana, como se a salvação dependesse de obras, esforços e méritos humanos.
Os extremos nesse assunto são maléficos, propalando ensinos que a Bíblia não contém. A ênfase inconseqüente à soberania de Deus no tocante à salvação leva a pessoa a crer que a sua conduta e procedimento nada têm com a sua salvação. Por outro lado, a ênfase inconseqüente à livre-vontade (livre-arbítrio) do homem conduz ao engano de uma salvação dependente de obras, conduta e obediência humanas.

O perigo da prevalência do raciocínio humano

Somos salvos não por aquilo que fazemos ou deixamos de fazer para Deus, mas pelo que Jesus já fez por nós, uma vez para sempre. Há muitos tendo a salvação dependente de suas obras, obediência, conduta, santidade, etc. Não é de admirar que os tais caiam e não se levantem, e que quando pequem duvidem da sua salvação.
Conquanto pareça incoerente e irreconciliável que algo predestinado por Deus admita livre-escolha ou livre-vontade, não é porque não entendemos algo, ou entendemo-lo apenas em parte, que deixa ele de existir.
No caso da predestinação e da livre-escolha, no tocante à salvação, a tendência humana é rejeitar uma ou outra. Entretanto, um exame atento e livre de preconceito da Palavra de Deus mostra que, através da obra redentora de Jesus, Deus destinou de antemão (predestinou) todos os homens à salvação: “quem quiser, tome de graça da água da vida” (Ap 22.17; Is 45.22; 55.1; Mt 11.28,29; 2 Co 6.2; 1 Tm 2.4). De acordo com João 12.32, todos podem ser atraídos a Cristo. Mas não são todos que seguem a Cristo.
Os predestinalistas — seguidores de João Calvino — dizem que o homem, decaído como está, no seu estado de depravação total, é incapaz de fazer livre-escolha concernente a sua salvação, pois está incapacitado espiritualmente para isso. Segundo essa teoria, Deus elegeu uns para a salvação, comunicando-lhes também a fé. Os demais, não-escolhidos, estão perdidos. Isso equivale a dizer que Cristo morreu apenas pelos “escolhidos”.
Do raciocínio acima decorre outro: que a graça de Deus é irresistível, isto é, não pode ser recusada por aqueles a quem Deus escolhe salvar. Segundo o predestinalismo, a salvação é um decreto divino, e a conversão é simplesmente o início da execução desse decreto. O termo “decreto” é extraído de textos como Romanos 8.28.
Afirmam também os predestinalistas que a vida eterna em Cristo é um dom de Deus, e que uma vez recebida não pode ser jamais perdida em conseqüência de qualquer ato ou determinação da vontade humana. E que se, de fato, o crente nasceu de novo, está eternamente salvo. Caso venha a desviar-se, comprometerá, sim, o seu galardão, mas jamais perderá a sua salvação, nem cairá em apostasia. É como alguém que, estando a bordo de um avião, navio ou trem, escorrega e cai, porém continua a bordo.
Dizem que o crente salvo “está escondido com Cristo em Deus” (Cl 3.3), e que o Inimigo jamais o achará, nem jamais o arrebatará dessa posição. Em abono dessa predestinação fatalista, os predestinalistas citam textos como João 6.37; 10.28,29; Romanos 8.28-30; Efésios 1.4,5; 2 Tessalonicenses 2.13; Eclesiastes 3.14; Filipenses 1.6; 1 Pedro 1.2; e Apocalipse 17.8 — mas sem interpretá-los à luz de seus respectivos contextos imediato e remoto.
Proceder como acima exposto é adaptar a Bíblia ao raciocínio humano; ou seja, ao modo humano de pensar, como se a Palavra de Deus dependesse de argumentos humanos. Mas ela não afirma que Cristo morreu apenas pelos eleitos. Ele morreu por todos (1 Tm 2.4,6; 1 Jo 2.2; 2 Pe 3.9; At 2.21; 10.43; Tt 2.11; Hb 2.9; Jo 3.15,16; 2 Co 5.14; Ap 22.17). O falso ensino de que o Senhor teria morrido apenas pelos eleitos pode conduzir a um desinteresse pela evangelização, haja vista Deus já ter escolhido os perdidos que vão para o inferno.

A irrefutabilidade do livre-arbítrio

Qualquer pessoa que crê em Jesus torna-se um dos escolhidos de Deus, pois somos eleitos em Cristo (Ef 1.4). Em Mateus 22.1-14, vemos que todos os convidados foram “chamados”; porém “escolhidos” foram os que aceitaram o convite do rei. No versículo 14, a expressão “muitos são chamados, mas poucos escolhidos” revela, portanto, que das multidões que ouvem o evangelho apenas uma pequena parte crê em Cristo e o segue.
Deus elegeu a si um povo chamado Igreja, e não indivíduos, isoladamente. Somos predestinados porque somos parte da Igreja de Deus; não somos parte da Igreja porque fomos antes, individualmente, predestinados. Se, na Igreja, como Corpo de Cristo, alguém individualmente se desvia, e não volta, a eleição da Igreja não se altera.
De igual modo foi a eleição de Israel. O Senhor elegeu aquele povo para si; não indivíduos de per si. É tanto que milhares de israelitas se desviaram, porém a eleição de Israel, como povo, prosseguiu.
A livre-escolha do homem é uma realidade inconteste. A Bíblia acentua a cada passo a responsabilidade do homem no tocante à sua salvação. Deus oferece a salvação e, mediante o seu Espírito, convence o pecador do seu pecado, da justiça e do juízo. O homem aceita a salvação ou rejeita-a (Is 1.19,20; Js 24.15; Dt 30.19; Jo 1.11,12; 3.15,16,19; Ap 22.17; Lc 13.34; At 7.51; 1 Rs 18.21; 1 Tm 4.1; 2 Cr 15.2; Mc 16.16; Hb 2.3; 3.12; 12.25).
Não existe graça irresistível. O homem através dos tempos tem resistido a Deus, por suas incredulidade e rebeldia (At 7.51; 1 Ts 5.19; Pv 1.23-30; Mt 23.37; 2 Pe 2.21; Hb 6.6,7; Tg 5.19). A ação do Espírito Santo no pecador, para que se salve, é persuasiva, e não compulsória (2 Co 5.11).

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

18 comentários:

José Rinaldo de Santana disse...

Caro Pastor Ciro

Em Marcos 16:15 "Está a ordem imperativa de Jesus" Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.

Porque Jesus deixaria esta ordem de pregar ao mundo?

Porque existem países que morrem milhares de pessoas sem ouvir falar de Jesus?

O homem tem livre arbítrio. Ele tem poder para escolher. Ele é posto em pé, com capacidade para escolher entre o bem e o mal, a vida ou a morte, para buscar a Deus, para querer, para vir à luz, para buscar a imortalidade, para perguntar, para buscar e bater, e para encontrar e entrar no caminho estreito que conduz à vida.

Eclesiastes 7:29; Vede, isso tão somente achei: que Deus fez ao homem reto, mas ele buscou muitas invenções.

Deus deseja que todos sejam salvos 1 Tm 5:24. Ele não quer que ninguém seja perdido, pois não se deleita na morte dos ímpios (2 Pedro 3:9; Ezequiel 18:32). Não sendo parcial nem arbitrário, ele ama todos os homens igualmente Jo. 3:16. Jesus morreu por todos, pois o evangelho é para todos (Hebreus 2:9).

Vemos que Deus advertiu aos primeiros antepassados humanos que não comessem do fruto (Gn 2.17) a fim de evitar que caíssem, é evidente que a queda do homem não foi a predestinação de Deus, senão o resultado da desobediência do homem ao mandamento de Deus.

Lemos também (Gn 6.6) que Deus se arrependeu de ter posto o homem na Terra.

Se o homem tivesse caído de acordo com a predestinação de Deus, não haveria motivo algum para que Ele sentisse pesar por ter criado o homem, cuja queda Ele teria predestinado. João 3.16 diz que todo aquele que crer em Jesus não perecerá.

Em Cristo
José Rinaldo de Santana
www.rinaldoeapalavra.blogspot.com

Ronys disse...

A paz do Senhor Pr.ciro ao navegar pelo seu blog vendo suas postagens me maravilhei muito dos assuntos concernentes a palavra de Deus principalmente assuntos tão profundos faz me lembrar o tempo de Lutero versus Erasmo. sou um jovem disposto a busca pela verdade embora que tenha de esvazia-me dos meus preconceitos só não aceito argumentos superficiais para falar de coisas tão seria.
Ao ver sua postagem concordo com algumas coisas mas não na intregar mas vc pode me ajudar, permita-me fazer uma pergunta com respeito a sua postagem:sendo Deus oniciente sabedor de todas as coisa do futuro com exaltidão então tudo que irei fazer amanhã Deus já saber com exaltidão certo. então as minhas escolhas não poderão ser diferentes ,onde entra o livre-arbítrio.
o livre-arbítrio torna o homem pecador criador do amanhã deixando Deus como um simples observador, o humanismo pagão é beneficiado pelo livre-arbítrio.
como vc alisa a soberania de Deus e oniciência com o livre-arbítrio?
tem pessoas que acusam as calvinistas de seguirem a lógica como a mesma fosse dibólica, porem eu creio que alógica só existe por que Deuas a criou. Deus não vai afirma que um círculo é quadrado não émesmo?. Sendo Ele perfeito e coerente em tudo que faz.
que seje dada somente a Deus o soberano controlador dos céus e terra, honra, glória e poder.amem.

gonçalves disse...

a pz do senhor pastor ciro,Deus tem cido muito misericórdioso na tua vida,que o senhor continue defendo as grandes verdades do evangelho de jesus CRISTO,POIS A VERDADE LIRBERTA O HOMEM DA ESCRAVIDÃO DO PECADO,cristo sempre te honrará se vc sempre continuar o honrando que Deus te abençoe mais e mais.

snipes disse...

A paz do senhor pastor.Pastor eu quero que voce me explique melhor essa questao.Se Deus é onisciente, como pode haver livre arbitrio, se Deus é soberano pra escolher quem ele quer que seja salvo como pode haver livre-arbitrio.....pode o barro ter vontade diante do oleiro? Deus fez vasos de honra e vasos de desonra para manisfestar a sua gloria....
em deuteronomio diz q Deus se compadece de quem ele quer compadecer, ele é misericordioso com quem ele quer ser misericordioso....ELE É SOBERANO....será que por causa disso devemos acusar o nosso Deus de injusto? Nós sabemos o que merecemos, mas, tambem sabemos que o sangue de Jesus nos salvou desse destino....pessoas que realmente aceitaram a cristo nao podem perder sua salvação, pois eh dadiva de Deus....aquele que erra por toda sua vida nao ganhou a salvação, mas, se enganou pensando que tinha ganhado.....o que realmente ganhou a salvação se arrepende daquilo que fez e tenta nao mas fazer, pois ele temor, temor que é consequencia dele ter realmente aceitado a cristo e por ser um escolhido.....eu so queria que me explicasse sobre isso......pois tbm ha dizendo na biblia que Deus tambem quer que todos se salvem, e que tambem pelo fato dEle ser inteiramente um Deus de amor nunca desejaria que seus filhos fossem direcionados ao inferno.

Isaías disse...

Oi Pastor. Muito bom seu blog. Que Deus continue o abençoando. Tenho uma pergunta. Aprendi que analisando a Bíblia na visão protestante calvinista não encontro a palavra livre-arbítrio. Porque não encontro se é uma doutrina tão importante não deveria estar mais claro isso nos evangelhos ?

J. Carlos disse...

Não é difícil saber sobre a existência ou não do livre arbítrio, apenas duas coisinhas simples são necessárias para a avaliação, a saber;
1º - Ir ao dicionário Aurélio e procurar o significado da palavra livre, darei uma ajuda. Livre adj.1. Aquele que não está sujeito a algum senhor. 2. Aquele que não está, ou já não está, prisioneiro. Ao traçar-se um paralelo com as escrituras sagradas veremos que essa afirmativa não pode ser feita ao homem, haja vista as palavras do apóstolo Paulo dirigindo-se aos crentes situados em Roma, a saber: "Fostes libertados do pecado, e vos tornastes escravos da justiça (ou de Cristo, que é a justiça de todo aquele que crê). "Quando éreis servos do pecado, estáveis livres da justiça (sem justificação pela fé).” Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus (Foi Ele, e não nós, que nos fez povo seu e ovelhas de seu pasto. Salmo 100)- Vide Romanos 6:17-23. O homem jamais é livre, quando natural é filho da ira como todos os demais (Efésios cap. 02), um escravo do pecado. e Quando posto em liberdade por Jesus Cristo (se o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres), torna-se escravo da justiça (Cristo). O apóstolo Paulo tornou isso bem claro quando afirmou: "Bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido como escravo ao pecado. O que faço não entendo. Pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto que a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Eu sei que em mim, isto é na minha carne, não habita bem algum. Com efeito, o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Pois não faço o bem que QUERO, mas o mal que não quero, esse faço. Miserável homem que eu sou! - Romanos cap.7:14-25. Paulo, segundo o antropocentrismo gospel da atualidade deveria dizer: "Que maravilhoso homem que eu sou ninguém tem senhorio sobre mim, tenho um poderoso livre arbítrio, que fará de mim o mais maravilhoso e esplendoroso apóstolo daquele sujeito que eu persigo. Só existe um opção, ou crê-se em Deus ou se autoengana com o arbítrio, que em profunda rebelião contra Deus e sua palavra, é chamado de livre. O único ser que possui o livre arbítrio é Deus, porquanto não está sob o comando de quaisquer senhores.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro J. Carlos,

Chamem do que quiser: livre-arbítrio, livre-escolha, livre-vontade. O fato é que Deus dotou o ser humano de liberdade para ESCOLHER ENTRE A VIDA E A MORTE (Dt 30.18), ENTRE A PORTA PARA A SALVAÇÃO E A PORTA PARA A PERDIÇÃO (Mt 7.13,14). Isso é inegável, à luz da Palavra de Deus, pois a vida eterna é para "todo aquele que nele crê" (Jo 3.16).

Grato pela participação.

CSZ

J. Carlos disse...

Prezado Ciro,
No que tange ao verso por você citado "todo aquele que nele crê" (Jo 3.16). Inegavelmente todo aquele que crê tem realmente a vida eterna, todavia, deve-se não desprezar o sentido exato do verbo "crer". A crença, ou a fé não é inerente ao gênero humano, nem é em si mesma uma força latente do ser, mas sim, como deixou claro o apóstolo Paulo tratar-se de uma concessão, uma dádiva, um presente, um dom, uma capacitação, algo posterior a regeneração, que só pode ser efetuada pelo Espírito. "Pois vos foi CONCEDIDO, por amor de Cristo, não somente o crer nele, como também o padecer por ele Filipenses1: 29; "Pois é pela graça que sois salvos, por meio da fé e isso não vem de vós, e dom de Deus (Efésios 2:8). As escrituras são extremamente claras no que se relaciona com o assunto em apreço, basta ler o Cap. 02 da carta de Paulo aos efésios, principalmente quando é afirmado pelo prefalado apóstolo que todos estávamos mortos em delitos e pecados, e, que éramos por natureza filhos da ira, como todos os demais homens; isso tem um significado muito forte pois mostra a total incapacidade do homem de ser livre, ou seja: um sujeito morto em delitos e pecados, e, ainda por cima filho da irá, só se verá livre dessa miséria se Deus usar de misericórdia com ele e o gerar de novo, porquanto ao nascer da carne torna-se filho da ira, tão somente se tornará filho de Deus se o Pai o gerar de novo. Pode por ventura uma homem se auto gerar para essa vida carnal, nunca, em tempo algum se pode aceitar tal doidice, pois bem se você e eu não podemos nem mesmo escolher nascer para esta vida de pecados (nascimento na carne), porquanto foram nossos pais que nos geraram, quanto mais poderemos gerar-nos para a vida eterna. Basta um pouquinho de humilhação em cada um de nós para nos aperceber do que Paulo pode dizer "miserável homem que sou".

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amém, irmão J. Carlos!

Agradeço-lhe pela participação. Se desejar, leia a sequência deste estudo, a fim meditar um pouco mais sobre o assunto à luz da Palavra de Deus.

CSZ

Ezequiel Stefani disse...

Boa tarde


Sobre o post

Porque o Sr não dá uma resposta satisfatória ao argumento do Sr João Carlos?

Será que é por que o sr não tem resposta para esse argumento?

O que vocês "armianistas" inrustidos ou nominais, fazem om os livros de Romanos, Efesios?

Falar em livre arbitrio após ler Efesios 2, é quase ridiculo,
MOrots em delitos e pecados, filhos da ira, inimigos de DEUS e ainda com "SUPERPODERES DE ESCOLHER SER SALVO" seja razoavel não com calvino, e sim com a biblia...
Pr Ciro, antes do Sr me ridicularizar por possiveis erros de grafia, antecipo que o teclado que estou usando esta com algumas teclas quebradas.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Ezequiel,

Parabéns pela sua "humildade"!

Sei que é penoso para alguém que aparenta ser tão confiante examinar textos de "pobres arminianos", mas a reposta para o senhor e para o irmão mencionado estão na série que eu citei acima. Por isso, não vou reescrever respostas aqui.

Grato pela visita.

CSZ

J. Carlos disse...

A verdade é que somente o Pai tem poder para gerar seus filhos, nunca, jamais, em tempo algum se ouviu dizer que um filho se auto gerou, ou que escolheu ser gerado, para provas do afirmado basta fazer a seguinte pergunta a si mesmo: Escolhi nascer? Se não podemos o mínimo, como poderíamos o máximo?

Anônimo disse...

Esse Assunto dá pano prea manga!
Não possso dizer realmente até onde vai as escolhas do homem, ente tanto minha única conclusão é que Deus é responsável pela salvação e o homem pela sua perdição.
Me desculpe se isso lhe parecer um tanat calvvinista mas deus olhou pra mimi e disse: Esse é o cara

Anônimo disse...

Eu não entendo como tem alguns que, mesmo com tantos textos irrefutaveis, ainda querem rasgar da Bíblia o "Livre Arbitrio". É Bíblico e acabou-se. Ou aceitamos esse fato ou deixaremos de ser Bíblicos. Valeu Pr Ciro, pr este artigo tremendo.

CARLOS JOSE MAGALHAES disse...

A PAZ DE CRISTO PARA TODOS, ACHO QUE TODAS QUE DISCUTEM ESSES ASSUNTO ENCONTRAM TEXTOS BIBLICOS PARA TEREM SUAS RAZOES. ENTÃO O IMPORTANTE QUE TODOS QUE CREREM QUE CRISTO PAGOU SUA DIVIDA, E RESTAUROU A NOSSA COMUNHAO COM DEUS, ESTÃO SALVOS, ISSO E IMPORTANTE E FUNDAMENTAL, ACHO QUE CRER OU NAO CRER EM LIVRE ABRITRIO, NAO TEM FUNDAMENTAL IMPORTANCIA... CONFIAR EM CRISTO ... E ISSO QUE NOS GARANTE SEMPRE E PARA SEMPRE SALVOS...

josec.r.teixeira@gmail.com disse...

O livre-arbítrio é uma afirmação do homem natural, haja vista que o mesmo é livre em seu próprio pecado, em sua própria natureza pecaminosa, filhos da ira, como Paulo escreveu aos efésios no cap. 2. Deve-se, todavia, levar em consideração que o mesmo não é livre para deixar de pecar, deixar de ser nascido da carne( aliás até mesmo para nascer na carne ele não pode opinar) nasceu sem saber que ia nascer, e, terá que morrer sem realmente ter escolhido livremente a morte, mas lhe foi ordenado morrer somente uma vez por causa de seu pecado, e, será julgado por ser escravo do mesmo. Quem já ouviu falar de um escravo livre? Se arbítrio livre fosse uma qualidade humana, o homem por seu próprio poder se salvaria, se libertaria e deixaria de pecar, e, então as palavras de Jesus perderiam todo o sentido, a saber: Se o filho vos libertar verdadeiramente sereis livres. Só escravos podem ser libertados. Finalmente chega-se a única conclusão! Só, e tão somente o Senhor Deus possui o arbítrio livre.

marcos disse...

Paz do Senhor, Pastor!

Achei os versículos apresentados bastante fortes para a defesa do lívre arbítrio, porém a doutrina da predestinação ainda me parece mais bíblica.

Mas, o que gostaria de perguntar é o seguinte...

Se dissermos que a Bíblia apresenta argumentos para ambas doutrinas, automaticamente não dizemos que a Bíblia é contraditória?

Lembrando ainda, que tais doutrinas implicam em conseqüências práticas para quem acredita em alguma delas, e ao meu ver significativas(humildade, descanso etc)

grande abraço, Marcos

Fruto do Espírito disse...

Deus é soberano, mas criou o ser humano com capacidade de decidir. Esse livre arbítrio fez Adão pecar, e perdemos a comunhão espiritual.
Jesus veio restaurar essa relação com Deus por meio do novo nascimento, vida de Deus em nosso espírito.
Mas, mesmo que a pessoa nasça de novo em Cristo, em seu homem interior, permanece o livre arbítrio, as nossas decisões são respeitadas.
Deus nos deu a Palavra como nosso guia, nossa luz. Somos cooperadores de Deus por meio desse livre arbítrio.
Deus propôs a benção e a maldição diante da humanidade. Deus se move por princípios, e esses desobedecidos, geram consequências, resultados.
Então, parece que Deus designou o homem para viver em comunhão com ele, para colher coisa boas, mas se escolhermos não se submeter a essa vontade, então, somos julgados por mossas consequências, colhemos coisas ruins.
Creio que seria basicamente isso, a predestinação e o livre arbítrio.
Se pecarmos, e não nos arrependermos, somos predestinados a perecer. Se agradarmos a Deus, somos predestinados a viver eternamente, aprendendo com o Altíssimo.
Só sei que o diabo está predestinado por Deus a perecer no inferno.

Deus abençoe a todos em Nome de Jesus.

Querido pastor, pela admiração e sobretudo o Amor de Jesus que nos une, conto com sua presença: como seguidor.
Farás uma ovelhinha feliz!

Em Cristo,

***Lucy***