quinta-feira, 29 de maio de 2008

STF aprovou pesquisas com células-tronco embrionárias. E agora?


Ontem e hoje, os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) se reuniram para definir o indefinível, cientificamente: em que momento começa a vida. Não conseguiram, é claro, estabelecer exatamente a origem da vida humana. Mas, ao final, chegaram ao consenso de que os embriões, nos primeiros dias, não têm status de "pessoa". E, por isso, decidiram que as pesquisas com células-tronco embrionárias não são inconstitucionais.
O STF aprovou, sem restrições, a continuidade das aludidas pesquisas no País. Mas o presidente do Supremo, Gilmar Mendes, o último a apresentar sua decisão e votar a favor das pesquisas, disse que há necessidade de uma análise por parte do comitê ligado ao Ministério da Saúde.
Eles julgaram uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contrária às pesquisas, em direito à vida. Depois de um debate acalorado sobre a interpretação dos votos e as restrições sugeridas pelos ministros, o presidente encerrou a sessão, anunciando um placar de seis votos pela improcedência da ação. Mas houve cinco votos com ressalvas, em maior ou menor grau, às pesquisas.
As ressalvas feitas pelos cinco ministros (de um total de onze) estimularão, com certeza, um debate no Congresso, haja vista ser a questão em apreço extremamente sensível, relacionada com a vida e com a dignidade humana. Para muitos, a decisão do STF foi uma vitória da vida, atendendo à expectativa de milhares de pacientes que têm esperança de cura para as suas doenças. Segundo eles, as pesquisas de células-tronco trarão respostas para doenças que não têm tratamento hoje.
Mas, o que a Bíblia diz a respeito? Em Salmos 11.3, está escrito: "... os fundamentos se transtornam. Que pode fazer o justo?" Como os crentes em Jesus Cristo, através da bancada evangélica, em Brasília, devem se posiocionar quanto a esse assunto? Em primeiro lugar, todos nós devemos ter um conhecimento mínimo acerca das células-tronco, à luz da Palavra de Deus e da ciência. E é esse o objetivo dessa postagem: informar o povo de Deus sobre o assunto, ainda que de maneira sucinta.

O que são células-tronco?

As células, de maneira geral, são as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. Uma célula representa a menor porção de matéria viva dotada da capacidade de auto-duplicação independente. Depois da fecundação, o ovo se divide em duas partes, de duas em quatro, de quatro em oito e assim sucessivamente até atingir a fase de algumas centenas de células com o poder de se diferenciarem em qualquer tecido.
No entanto, em determinado momento, “elas recebem uma ordem”, e umas se diferenciam em fígado, outras em ossos, sangue ou músculo, etc. Daí em diante, todas as suas descendentes, de acordo com essa mesma ordem, continuarão diferenciadas: a célula do fígado só vai dar origem a células do fígado; a do sangue, só a células do sangue...
As células-tronco são células mestras, capazes de se multiplicarem e se diferenciarem nos mais variados tecidos do corpo humano (sangue, ossos, nervos, músculos, etc.). No momento da fecundação, como já vimos, começam as primeiras divisões celulares e surgem as células-tronco, que dão origem a todos os tecidos do corpo. Estas células existem até quando o embrião atinge 32 a 64 células.
Células-tronco adultas são encontradas em vários tecidos humanos, em pequenas quantidades, no cordão umbilical, na placenta e na medula óssea. As células-tronco embrionárias — cobiçadas por terem múltipla capacidade de diferenciação — são obtidas a partir de um óvulo fecundado (geralmente, descartado em uma clínica de fertilidade), e precisam ser colhidas até a divisão em 64 células, o que leva no máximo cinco dias.

O que a ciência diz sobre as células-tronco embrionárias?

Os cientistas, em sua maioria, dizem que, se for constatada a morte cerebral de alguém, pode-se — se a família estiver de acordo — retirar dele o coração e outros órgãos para transplantá-los numa pessoa que precise. A sociedade não só aceita esse ato da medicina como o considera louvável. Qual é o princípio que orienta tal procedimento? A ausência de funcionamento do sistema nervoso. Esse princípio, segundo a ciência, deveria se aplicar à manipulação de embriões, uma vez que não existe neles o menor esboço de sistema nervoso central.
Os pesquisadores também afirmam que não tem lógica considerar que um óvulo fecundado por um espermatozóide num tubo de ensaio, depois de três ou quatro divisões, é uma vida com o mesmo direito de uma criança na cadeira de rodas, sentindo-se cada vez mais incapacitada.
Numa matéria publicada em 5/11/2007, em O Estado de São Paulo, há a seguinte declaração da diretora do Centro de Estudos do Genoma Humano da Universidade de São Paulo (USP), Mayana Zatz:
"Há uma diferença muito grande entre uma célula viva e um ser humano. Cada célula do corpo está viva. Um coração a ser transplantado está vivo, mas isso não quer dizer que seja um ser humano. A possibilidade de um embrião gerar células não quer dizer que vá gerar um ser humano".

O que a Palavra de Deus diz sobre isso?

De acordo com a Bíblia, que está acima de qualquer ciência, o ser humano não se restringe à matéria. O "homem interior" (espírito+alma) é mais importante do que o homem exterior, isto é o seu corpo (Zc 12.1; 1 Ts 5.23), como lemos em Jeremias 1.5:
"Antes que eu te formasse no ventre, eu te conheci; e, antes que saísses da madre, te santifiquei e às nações te dei por profeta".
O ser humano é criado, formado e feito, nesta ordem; ou seja, antes da sua formação já é conhecido pelo Criador (Is 43.7; Gn 1.27; 2.7,22). Para Deus, o corpo informe, mesmo sem o funcionamento do sistema nervoso, já é considerado um ser humano. Leia com atenção Salmos 139.13-16.
Por conseguinte, ainda que os ministros do STF tenham outro entendimento, dissociado do que dizem as Escrituras (nossa regra de fé, de prática e de vida), e haja um grande clamor pelo emprego de células-tronco embrionárias em pesquisas pró-vida, os embriões são pessoas inocentes e indefesas (Êx 23.7).
É claro que essa questão envolve outros aspectos. Sugiro a todos que se aprofundem no assunto, analisando todas as implicações das mencionadas pesquisas. Mas uma coisa é certa: não podemos aceitar como verdadeiro tudo o que a ciência diz (1 Tm 6.20; 2 Co 4.4). Para os salvos em Cristo a Palavra de Deus é a fonte primacial de autoridade (2 Tm 3.16,17).

Ciro Sanches Zibordi

6 comentários:

Anônimo disse...

Graça e Paz Ciro!

Excelente artigo! Esclarecedor e como sempre pauta na Palavra de DEUS.

Hoje, 30/05, faz 1 mês que meu filho nasceu, o Luis Pedro.
E quando li seu artigo me lembrei do 1º Ultrasom que fizemos, bem no início da gestação, e mesmo uniforme era visível perceber a VIDA existente.
Naquele momento veio em minha mente o versículo que você usa, Jeremias 1.5 e me emocionei, pois DEUS é maravilhoso, onipotente.

Ciro, o diabo jamais contará uma mentira. Sua tática é transformar essa mentira em uma quase verdade. Camuflá-la atrás de um bom pensamento, uma boa ação, um fim até que plausível, mas sempre será uma mentira.

Parabéns pela sua postura.

Mesmo que pareça incoerente, mesmo que o mundo nos taxe como antiquados, radicais, ignorantes e até mesmo desumanos, pois a plataforma daqueles que estão encabeçando tudo isso é que a pesquisa trará uma qualidade de vida melhor para milhares de pessoas, mesmo diante de tais afrontas e acusações, a verdade é que estarão sendo mortos todos os dias milhares vidas.

Neste momentos Ciro, percebemos que o cerco está se fechando e que somente aqueles convíctos da sua Fé resistirão e não sucumbirão a tantas afrontas do inimigo.

Graça e muita Paz!

Luis Carlos Mathias
Joinville/SC

Graça Souza disse...

A paz do SEnhor.
Gostei muito do artigo.É para isso exatamente que o homem é "tirado para fora", para mostrar a verdade. Pena que nem todos estejam no mesmo caminho. Apesar de se dizerem públicos e defensores dos direitos e da verdade, já caíram na astúcia do diabo. É o fim! O Senhor seja sempre a nossa Bandeira, e o motivo do nosso viver.
Em Cristo. Graça

Anônimo disse...

Caro, Pastor Ciro
Gostei muito sobre essa matéria e realmente, seria necessário que cada um de nós, como cristãos, soubessemos muito mais sobre isso; meus parabéns, tenho alguns livros do senhor, e gostei muito e louvo a Deus, por ainda, existir homens que defendem a verdadeira fé cristã.
Eu gostaria que o senhor respondesse uma pergunta:o que é, e qual a diferença de usos e costumes, com a verdadeira doutrina?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Luís Carlos,

Mais uma vez agradeço-lhe pelas palavras de encorajamento. Estamos juntos, no mesmo barco, meu amigo, em defesa do evangelho de Cristo!

Deus o foraleça!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmã Graça Souza,

O que disse ao irmão Luís Carlos também vale para a irmã. Alegro-me muito quando recebo mensagens de incentivo. Continuemos a fazer a nossa parte, pregando a Palavra de Deus como ela é, anunciando Cristo, Cristo, Cristo... Aleluia!

A paz do Senhor!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado anônimo,

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo e pelos parabéns. Glória seja dada ao maravilhoso nome de Jesus!

Quanto a usos, costumes, práticas, etc., relacionados com a doutrina bíblica, publicarei em breve um texto sobre o assunto. Mas sugiro ao irmão a leitura do livro "Manual da Escola Dominical" (CPAD), do mestre Antonio Gilberto. É uma obra que trata do assunto, ainda que de modo resumido.

Em Cristo,

CSZ