terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Se a Bíblia aparentemente não diz "não", podemos precipitadamente dizer "sim"?

Alguns “mestres” da atualidade têm afirmado que, se a Bíblia não diz “não” “claramente” a certas práticas e modismos duvidosos, então podemos abraçar uma das três possibilidades abaixo:
1) Adotar os tais modismos e práticas sem nenhum peso na consciência, haja vista sermos livres.
2) Permanecer no mínimo em silêncio, pois não cabe a nós julgar.
3) Verberar contra quem tem coragem de analisar as tais práticas à luz do contexto geral das Escrituras, tachando-o de caçador de heresias, “religioso”, etc.
Esses “mestres” e “apóstolos” da pós-modernidade também afirmam:
— A Bíblia não diz “não” para a dança, para os bailes... Então, por que não dançar? Você é livre! Não permita que o “espírito de religiosidade” tome conta de seu pensamento.
— Se a Bíblia não diz “não” para o heavy metal e o funk, por que não curtir tais ritmos e adotá-los na igreja?
Bem, de acordo com esse “raciocínio brilhante” — segundo muitos —, seguir ao cristianismo hoje resume-se em abraçar ao relativismo ou ao liberalismo. Afinal, quem quiser poderá usar drogas ou fumar um cigarrinho à vontade, haja vista a Palavra de Deus supostamente não condenar de modo explicíto essas coisas. E mais: quem desejar, poderá dirigir a mais de 150 km/h numa auto-estrada sem nenhuma preocupação, uma vez que as Escrituras também não dizem “não” enfaticamente ao excesso de velocidade...
Você acha o pensamento em apreço correto? Devemos mesmo desprezar os princípios gerais da Palavra de Deus (os quais nos fazem assimilar o que agrada ou não a Deus, quando resolvemos ter uma vida de santidade e renúncia ao “eu” perante Ele), fazendo tudo aquilo que a Bíblia supostamente não condena de maneira clara?
Será que não vale a pena considerar o que Jesus disse em Lucas 9.23? Ele foi claro: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz, e siga-me”. Para seguir ao Senhor, não temos que dar vazão às nossas vontades pecaminosas, e sim renunciá-las (2 Tm 2.22). Jesus não obriga ninguém a segui-lo, mas quem desejar fazer isso deve estar pronto para renunciar a muitos prazeres da vida.
Ademais, será que a Palavra do Senhor não condena mesmo as práticas cuja reprovação não aparece de modo explícito e direto? O que o apóstolo Paulo quis dizer em Gálatas 5.21, após enumerar as obras da carne, ao mencionar “coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”? Note: “coisas semelhantes a estas”. Leia Gálatas 16-21 e reflita sobre as obras da carne semelhantes às que ali estão relacionadas.
Não seria ingenuidade pensar que, não havendo um “não” explícito na Bíblia, isso sempre significaria um “sim”? É claro que essa postura é a mais natural do ser humano, que sempre buscará facilidades. Mas Jesus disse: “Entrai pela porta estreita” (Mt 7.13). E, sabe de uma coisa? Não adianta nada tentar alargar a porta aqui, pois lá em cima ela continua estreita!
Não estaria esse pessoal do é-proibido-proibir enganado quanto às inovações que têm adotado? Teríamos mesmo total liberdade para desfrutar de tudo o que há no mundo, tendo como álibi a palavrinha mágica GOSPEL?
Uma coisa é certa: se tudo o que a Bíblia aparentemente não diz “não” é permitido, também não há mais limites para pecar! As práticas antes pecaminosas podem ser todas “gospelizadas”, e poderemos fazer o que bem entendermos sem peso de consciência. Afinal, a lista do que a Bíblia não condena direta e explicitamente é muito mais longa do que você imagina...
Quer dançar funk? Dance! Desde que seja em um baile freqüentado só por cristãos, maravilha! Aproveite! “Rompa com toda a religiosidade”, dizem os “apóstolos”, “bispos” e “pastores” desse tenebroso tempo! Que me perdoem os flamenguistas, mas... Que tal ir ao Maracanã lotado, sentar-se na geral e gritar: “Mengo, Mengo, Mengo”, em pleno domingo? Não há motivos para se preocupar em estar pecando contra Deus e perdendo o seu precioso tempo com as obras “aparentemente” infrutuosas das trevas (cf. Ef 5.14-16). Faça tudo sem peso na consciência, pois a Bíblia também não diz “não”de modo explícito a isso...
Bem, mas, se você está um tanto desconfiado dessa teoria de que a ausência de um “não” explícito seja um “sim”, então medite com mais diligência na Palavra de Deus (Hb 2.1). Busque a verdade, e não as facilidades deste mundo (1 Jo2.15-17; 2 Tm 4.10; 2 Co 4.4). Em João 6.60-69, vemos que Jesus, ao expor a verdade, “perdeu” vários seguidores que não estavam dispostos a se negarem a si mesmos.
Lembre-se de que ser um cristão de verdade significa nadar contra a correnteza do mundo (Rm 12.1,2). Daí muitos ao resolverem seguir à Palavra de Deus se sentirem na contramão. Na verdade, é o mundo que está na contramão (Tg 4.4); e são poucos os fiéis, os verdadeiros adoradores; o amor de quase todos tem esfriado nesses últimos dias (Sl 12.1; 101.6; Mt 24.12, ARA).
Que façamos nossas as palavras registradas em Gálatas 2.20:
“Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim”.

Ciro Sanches Zibordi

11 comentários:

Pastor César Moisés disse...

Caro Pastor Ciro

É oportuno que haja advertências acerca do que se denomina em teologia de "assuntos adiáforos", ou seja, aquilo que é indiferente, não fazendo bem nem mal à ortodoxia.

No entanto, é a própria Bíblia, como foi dito, que detém o poder e a autoridade de avaliar o que é ou não essencial a fé cristã.

Boa discussão

www.marketingparaescoladominical.blogspot.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro pastor Moisés,

Eis aí uma boa questão: O que é bom e o que é ruim à luz da Bíblia? Sabemos que a Palavra de Deus é um livro que apresenta princípios, e quem sabe se orientar por eles jamais abraçará a falaciosa idéia de que, se algo não está explicitamente na Bíblia (e.g. cigarro, cocaína, funk, etc.), então não há motivos para rejeitá-los.

Um bom texto aqui é Gálatas 5.21. Após enumerar um grande lista de pecados, Paulo afirma: "e coisas semelhantes a estas". O que é semelhante a prostituição, impureza, lascívia, glutonaria, iras, pelejas... Ou seja, tudo o que é semelhante a essas coisas é condenado pela Palavra de Deus, mas de maneira implícita.

Finalmente, gostei do "assuntos adiáforos" (risos).

Deus o abençoe!

CSZ

Joabe disse...

A paz do Senhor

Meu nome é Joabe, pertenço a Assembléia de Deus Bela vista no Ceará. Achei muito interessante seu blog por haver ortodoxia e uma pitada de humor. Parabens Pastor. Mas eu tenho alhuns questionamentos a fazer. O Senhor Já deve ter ouvido ou lido um livro do Pastor Ricardo gondim, "É Proibido", eu não li mas parece que fala mais ou menos sobre o que a Biblia permite e a igreja proibe. O senhor, com seu humor caracteristico, falou de se poder andar num carro a 150 km/h já que na Biblia não se proibe isso, mas as nossas leis proibem. Deve lhe ser conhecido Charles Spurgeon que fumava, Lutero que bebia cerveja,etc. O que pode ser dito em relaçõa a estes ? Não eram homens de Deus ? Ou se abri uma exceção a eles ? Vamos falar agora da nossa denominação. Onde até bem pouco atrás(e em alguns casos ainda hoje) disciplinava se alguma moça usasse brinco, calça comprida, baton... Me diga onde se encontra essas proibições na Biblia ? Eu amo e admiro muito nossa denominação e acho que os bons costumes devem ser presevados e a identidade denominacional. Mas falar que umas bobagens dessas são pecados já é um pouco de ignorancia. Para finalizar eu queria saber se o senhor tem e-mail e/ou orkut ? o meu msn é joabeinacio@hotmail.com e o orkut é http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=6895792135622733971 já grato ,um forte abraço.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Joabe,

A paz do Senhor.

Vou ser bem objetivo, tá bom?

1) Agradeço-lhe por ter achado muito interessante o blog e pelos parabéns.

2) Já ouvi falar do livro e do pastor citados.

3) Essa questão de que a Bíblia SUPOSTAMENTE permite determinadas coisas é perigosíssima! Primeiro, porque não devemos levar em conta apenas pecados! A Bíblia fala de "coisas inconvenientes" (1 Co 6.12); "coisas que embaraçam" (Hb 12.1); "coisas que não edificam" (1 Co 10.32); "coisas que parecem pecado" (1 Ts 5.22); "coisas semelhantes a estas" (Gl 5.21).

4) Meu jovem, prest'enção! A Bíblia é um livro de princípios! Para seguir a Cristo, temos de nos negar a nós mesmos (Lc 9.23); não devemos amar o mundo nem nos conformarmos a ele (1 Jo 2.15-17; Rm 12.1,2).

5) Diante do exposto, não quero nem entrar no assunto envolvendo Spurgeon, Lutero, etc., pois só Deus é quem pode determinar se fulano ou beltrano foram salvos. Uma coisa é certa: não devemos justificar nossos pecados e embaraços com base na vida de heróis do passado. Antes, temos de olhar para Jesus (Hb 12.1; 1 Jo 2.6).

6) A igreja Assembléia de Deus fiel à sua origem possui um perfil, uma identidade. E quem serve a Deus nessa igreja deve sim observar às suas tradições (2 Ts 2.15; 3.6).

7) Se o irmão já qualificou certos costumes de "bobagens", o que eu vou lhe dizer? O irmão já tem a sua conclusão, não é mesmo?

8) Tenho sim e-mail e Orkut... Também sou deste planeta! Risos... No item, "Minha Agenda", abaixo de "Quem sou eu", o irmão poderá encontrar meus telefone e e-mail.

Um grande abraço!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Aos irmãos que me escreveram ONTEM para dizer energicamente que não concordam comigo, e a alguns até me ofenderam com duras palavras e maldições, dirijo-lhes agora uma palavra.

Agradeço-lhes por dedicarem tempo me escrevendo, mas lamento por não publicar o comentário de vocês, tampouco respondê-los. Isso se dá por algumas razões.

Primeiro, vocês escreveram um "livro", quando, para dizer o que disseram, bastava um parágrafo. Vocês precisam ser mais sucintos, pois eu não tenho o tempo que vocês têm de ficar entrando e saindo do Orkut, passando o dia e a noite no MSN, conferindo vídeos no YouTube... Ontem, eu trabalhei o dia inteiro e preguei à noite...

Segundo, alguns de vocês parece até que não sabem escrever, pois empregam palavras como "Cançaum", "Joaum"... Eu sei que esse "estilo" impera entre os internautas adolescentes, mas não cabe aqui neste espaço, não é? Amadureçam, por favor!

Terceiro, você falam, falam, falam... mas não dizem nada! O que deve prevalecer é a Palavra de Deus! Eu estou citando a Palavra, e com certeza (não tenho nenhuma dúvida), e vocês estão argumentando com palavras ocas, sem nenhuma convicção. Estão fazendo valer as suas preferências pessoais: "Eu acho", "Eu gosto"... Bem, se vocês pensam que podem ignorar trechos da Bíblia, a fim de andarem como bem entendem, vão em frente... mas cuidado com o buraaaaaaaaacooooo...

Quarto, alguns de vocês, que continuam com essa atitude reprovável de fãs, e não de servos de Deus, dizem que esse blog não lhes serve para a edificação. Bem, eu já falei e vou repetir: NÃO ESCREVO PARA AGRADAR PESSOAS. MEU COMPROMISSO É COM DEUS. Se alguém não gostar, não precisa ler. Há tantos e tantos blogs...

Ah, quero que saibam, ainda, que Deus está considerando as palavras de ofensas que dirigem contra mim. Eu oro por vocês, para que se voltem para a Palavra de Deus e deixem essas efemeridades que seguem. Oro para que recebam Jesus, não como Astro, não como Revolucionário, não como o Papai Noel, não como o "Demolidor"... Oro para que recebam a Cristo como SENHOR E SALVADOR.

Que Deus os abençoe.

CSZ

Joabe disse...

Graça e Paz

Apesar de discordar de algumas coisas eu concordo plenamente com o Pastor Ciro em não postar palavras de baixo escalão. E para não parecer que eu sou um "assembleiano revoltado", eu quero dizer que amo muito minha denominação, admiro muito a historia de homens como Daniel Berg, Gunnar Vingren, Samuel Nystron, Paulo Leivas Macalão, Cicero Canuto de Lima, José Teixeira Rêgo , Luiz Bezerra da Costa... Acho os Hinos da Harpa Cristã Lindissimos, entre todas liturgias evangélicas eu prefiro a da Assembléia de Deus, entretanto so a palavra de Deus pode dizer o que é pecado e o que não é. As tradições são sim para ser seguidas e respeitadas, mas nunca devem ficar acima da Palavra. Como por exemplo um Pastor diz uma coisa e ai o povo segui depois vem outro e diz outra , depois vem outra e repete o que o primeiro diz e assim fica num ciclo sem fim... Pastor se eu estiver errado eu peço esclarecimento e oração.

Em Cristo,

Joabe

geise disse...

A Paz do Senhor!

É um prazer poder ter um pastor como o senhor em nossos dias. Sou sua leitora e admiro sua postura em tudo que já li.

Como estamos falando de assuntos que a Palavra do Senhor proibe ou não proibe. Só quero tirar uma dúvida sobre o 'Natal', já li muito a respeito, e queria ter uma opinião do ponte de vista do amado Pastor. Afinal, é ou não uma festa para ser comemorada entre o povo de Deus?

Obrigada!

Geise disse...

A paz do Senhor!

Primeiramente quero dizer que é um prazer poder ter em nosso dias um pastor como o Senhor. Sou sua leitora e, admiro sua postura em tudo que já li.

Já que estamos falando sobre assuntos que a Bíblia proibe ou não proibe, está escrito ou não, é licito, mas não me convém etc.
Gostaria de tirar uma duvida sobre o 'natal', já li muito a respeito e, gostaria de ter uma opinião do amado pastor. Ou seja, o natal é uma festa para ser festejada pelos servos do Senhor ou não?

Desde já agradeço!

Paulo Ceroll disse...

Prezado pr. Ciro,
A Paz do Senhor Jesus.
1. Identificar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus em meio à “palha”, ao “joio”, “ao fogo estranho”, “aos prodígios de mentiras”, às “doutrinas de homens e de demônios” tem sido um desafio em tanto.
2. Pois, temos algumas tendências humanas sutis, que são (até) cultuadas na sociedade, mas que na verdade são perigosas quando utilizadas como se fossem um “dom”, uma habilidade no serviço que devemos prestar a Deus e na interpretação da Vontade de Deus para as nossas vidas.
3. E, porque não são necessariamente ruins em si mesmas, elas têm feito muita gente “marchar-de-passo-errado” vindo a tropeçar na Palavra (isto é: infringir os princípios estabelecidos por Deus para vigorarem por todo a eternidade) .
4. A primeira tendência é achar que: se “tudo-que-não-mata-engorda”, então tudo que tem utilidade pode ser usado na obra de Deus ou convém ao povo de Deus.
5. A segunda, é achar que: “tempo-e-dinheiro-não-se-perdem” nem para aprender! Explico. Ninguém se atreve a “mexer” na rede elétrica, sem antes habilitar-se para tal e depois de, teoricamente, apto fazer-se acompanhar de alguém com conhecimento prático da coisa. Mas não existe (por parte de muitos) o mesmo cuidado para estudar diligentemente a Palavra de Deus e aproveitar as experiências de outros. Espiritualiza-se o trabalho duro, abre-se mão da prudência e a “vontade de Deus” é quem deve determinar o sucesso da empreitada.
6. A terceira tendência é achar que: pelo fato de “Deus-ter-um-plano-para-cada-criatura” isto sugere que todos devam ter um trabalho inovador, pioneiro, distinto de tudo que tenha sido feito pela maioria. Ninguém quer ser coadjuvante, continuador (1Co 3.6), mas inovador, precursor, fundador... Entende?... Quando se trata de aplicar a Palavra a vida pessoal os que pensam assim são tendentes à contextualização com o sistema mundano, como se a Vontade divina se adaptasse “aos tempos e estações”.
7. A quarta é achar que: “as-obras-da-carne” se resumem às de Gálatas 5.19-21, facilmente identificáveis pela sua “feiúra e fedor” característicos. Explico. Se aquilo que pretendemos fazer “não é ilegal, não é imoral, não engorda”, dá resultado e o povo “tá gostando”, então (dizem): “é de Deus”.
8. A quinta é achar (erroneamente) que: o Espírito Santo é o facilitador, o executivo dos projetos, sonhos e visões pessoais de todo aquele que for autoridade constutída. E nem estranhos (os desvios), porque achamos comum que todo líder seja profícuo em soluções e criatividade.
9. As tendências naturais citadas acima resultam não só em precipitação, mais também em “eisegese”, “fogo estranho”, “meninice”, etc. Tendemos a fazer tudo do nosso próprio jeito quando a solução nos parece conveniente, e da melhor maneira humana possível.
10. “Quem há entre vós que tema ao SENHOR e ouça a voz do seu servo? Quando andar em trevas e não tiver luz nenhuma, confie no nome do SENHOR e firme-se sobre o seu Deus.” (Isaías 50.10). Amém.
Um abraço. A paz do Senhor Jesus.
Medite: Pv 18.10

Maciel Melo disse...

Pastor Ciro, sou um Jovem assembleiano/cristão/protestante, e tenho lutado com todas as forças contra os falsos ensinos e minha cidade (Cajati/SP), admiro muito seu Blog e seu trabalho e, outrossim, tenho meu Blog e ficaria muito honrado se o senhor o visitasse e fizesse suas críticas, Fica na PAZ
A´esta o endereço:http://macielmelo.blogspot.com/

elen disse...

A Paz do Senhor!
Prezado Pastor, ao ler o texto acima, e os comentarios de alguns leitores, me surgiu uma curiosidade. Qual sua visão, ou melhor, a sua opnião em relação ao uso de jóias (anel,brinco,colar); calça(por mulheres)e maquiagem. O senhor acredita que estás coisas podem impedir nossa comunhão com Deus.

Que Deus continue nos abençoando, amém!